Categoria: Países

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem

Postado por: Tatiana Serbena/ 326 0

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem: Todo viajante tem em mente a sua própria lista de aventuras, sejam elas radicais ou não. Essas aventuras podem incluir desde voar de balão na Capadócia a pular de Bungee Jump na Nova Zelândia.

Pensando nos aventureiros dispostos a encarar qualquer parada, criamos uma lista com 10 sugestões de aventuras que tem tudo para marcar a vida de quem mergulha de cabeça em cada experiência dessas. Lembrando que o tempero de cada experiência não precisa ser apenas radical. Você pode ficar completamente satisfeito e empolgado com diferentes maneiras de ver algumas das paisagens mais bonitas da terra.

Começaremos, portanto, com uma experiência já anteriormente citada e bastante conhecida para quem aterriza em terras turcas:

 

Voe de balão na Capadócia

É com certeza o passeio imperdível da Turquia. Além da sensação de voar em um balão, o que, diga-se de passagem, não é nem um pouco familiar, você terá aos seus pés uma paisagem indescritivelmente bela. Existe um silêncio que paira sobre o momento que transmite paz, tranquilidade e emoção ao mesmo tempo. A consciência de como a natureza é grandiosa é um dos legados mais bonitos dessa experiência. O passeio é concorrido, portanto, reserve-o antes de chegar lá.

capádocia balão travelmate

 

Mergulhe em um cenote mexicano

Os cenotes são espécies de cavernas ou grutas. A diferença é que estão cobertos por água da chuva, e com isso, são formados incríveis poços de água cristalina. No México existem vários deles, e é na Riviera Maia que você pode encontrar a maioria. Além de serem belíssimos, os cenotes tem história. Eles eram de extrema importância para a população Maia, pois além de fonte de água também serviam como local para cerimônias religiosas. Não é de surpreender, pois esses lugares são realmente divinos. Você pode comerçar por Tulum, onde está o famoso Cenote Dos Ojos ou conhecer o Gran Cenote, para ver de perto uma água incrivelmente cristalina e uma das representações mais bonitas da arquitetura gótica do mundo.

mexico travelmate

Acampe na Antártica

Parece impossível, mas não é. A Antártica pode ser considerada a fronteira limítrofe quando se trata de uma viagem de aventura. Por lá, existe vida e paisagens selvagens e é possível viver (nem que seja apenas por poucas noites) encarando toda essa novidade de perto. Diferente do que a maioria pensa, visitar o Continente Branco não é somente para cientistas ou pesquisadores. Para chegar na região mais fria do planeta, você precisa se deslocar até Ushuaia, na Argentina para então percorrer cerca de 1000 km de navio quebra-gelo. A melhor época para encarar essa aventura gelada é entre novembro e abril, pois as temperaturas estão um pouco mais amenas. Uma das sensações mais incríveis é quando bate meia noite e ainda é possível ver o sol no horizonte, pois o dia tem quase 24 horas. O lugar é inóspito e observar paisagens, animais e um campo vasto de água congelada vale mais do que uma visita a qualquer museu da face da terra.

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem
3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem

Conte com a Travelmate para embarcar rumo ao destino dos seus sonhos. Clique aqui e fale com a gente!

Três destinos para aprender inglês e economizar

Postado por: Tatiana Serbena/ 262 0

A chance de aprender inglês no exterior é uma oportunidade de ouro pra quem precisa dominar o idioma. A boa noticia é que você pode fazer isso, e ainda economizar dinheiro fugindo dos destinos mais populares do mapa caso volte os olhares para destinos mais alternativos. Países como a requisitada Austrália, a exótica África do Sul e a badalada Malta são as melhores opções para quem busca se aperfeiçoar no idioma, fazer turismo e economizar.

Além de serem países com uma excelente oferta de ensino de inglês, os três possuem uma vantagem em comum. A excelente estrutura turística de seus lugares exuberantes e atrativos fazem a motivação de estar lá, decolar. O apoio aos estudantes também é outro fator digno de ser considerado e pontuado como benéfico, pois em determinados países existem restrições ou uma burocracia demasiada que dificulta a permanência e liberdade do estudante do local.

Países como África do Sul e Malta por exemplo, possuem uma particularidade que pode ser bastante positiva se o seu objetivo é uma imersão total na língua inglesa. Nos dois existe um número reduzido de brasileiros, o que te proporciona um contato maior com estudantes estrangeiros e moradores nativos. Esse ponto com certeza impulsionará os ganhos do seu intercâmbio, em termos de aprendizado e experiências diferentes.

Já a Austrália, por suas mil e umas qualidades, costuma receber um número um pouquinho maior de brasileiros, no entanto, não é um fator que chegaria a ser prejudicial ao seu intercâmbio. Esse ponto vai muito da sua postura de imersão no idioma estrangeiro que acaba determinado pela nacionalidade que você mais conviverá.

Três destinos para aprender inglês e economizar
Três destinos para aprender inglês e economizar

 

Um outro ponto positivo da Austrália, além de ser um país com imensas qualidades e atrações, e por isso um pouco mais caro que os outros dois, é com relação à facilidade de obter visto que autorize o trabalho em meio período. Muitos estudantes buscam essa complementação na renda, e ir para a Austrália pode ser um fator determinante para essa conquista.

Na África do Sul, o destino mais comum é a Cidade do Cabo. O local garante um baixo custo de vida, visto que a moeda é desvalorizada em comparação com o real. Em Malta, você pode optar por Saint Julians. Mesmo sendo o euro a moeda oficial do país, por lá as coisas não costumam ser tão caras, principalmente se tratando de cidades pequenas e acolhedoras, como Saint Julians. Por lá, existem excelentes ofertas de ensino de inglês, visto que o inglês é um dos dois idiomas oficiais do país.

Cape Town

A Austrália é longe de ser uma opção barata. Mas se colocarmos a alta do dólar americano e do euro em questão, o destino passa a ficar um pouco mais atrativo se nos voltarmos para o custo/benefício. Lembre-se também do fator que estimula o trabalho meio período na Austrália, o que pode acabar ajudando muito no final das contas.

Entre em contato com a Travelmate e dê o primeiro passo para realizar o seu sonho de morar fora!

Os três modelos de hospedagem mais comuns no intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 209 0

Se tratando de intercâmbio, uma série de decisões devem ser tomadas. Para ter certeza de que você chegou na melhor opção, é preciso primeiramente conhecer as alternativas possíveis e fazer um balanço dos fatores que mais pesam. Uma importante decisão a ser tomada é com relação a sua moradia. Listamos abaixo as três modalidades mais comuns e pontuamos as vantagens e desvantagens mais evidentes de cada uma delas. Lembrando que essa é uma decisão que não precisa ser fixa do início ao fim do seu intercâmbio. Você pode mudar caso não se sinta à vontade ou perceba que não é da maneira como você esperava.

hospedagem mais comuns no intercâmbio
Hospedagem mais comuns no intercâmbio
  • Host Family 

Um dos modelos mais comuns de se hospedar no intercâmbio é o que chamamos de Host Family, que significa morar na casa de uma família e dividir com eles o dia a dia. Este, possivelmente, é o caminho mais curto para economizar e mergulhar na cultura de um país, pois é uma troca bastante significativa e diária. As três maiores vantagens que resumem essa modalidade de hospedagem são: economia, segurança e excelente custo-benefício. Além disso, esse tipo de acomodação costuma ter pelo menos uma refeição inclusa, um fator confortável e que reduz gastos.  Sem contar ainda que “ter uma família” do outro lado pode ser bastante confortante. Há momentos em que pode-se precisar de uma atenção um pouco mais particular.

Além disso, quem vivenciou na pele esse tipo de modalidade de hospedagem afirma ter tido uma melhora e aprofundamento significativo na língua materna local, seja ela qual for. Se a sua intenção for realmente aprender inglês, por exemplo, a Host Family é seguramente uma excelente opção.

No entanto, você pode estar indo para o intercâmbio com um espírito um pouquinho diferente, e opções como “residência estudantil” e “morar sozinho” podem ser mais adequadas.

 

  • Residência estudantil

O ambiente é outro. Você vive entre estudantes que geralmente tem a mesma idade que a sua e possivelmente as mesmas pretensões e objetivos. As acomodações nessa modalidade podem variar entre quartos compartilhados ou individuais. Aqui, você já é um pouco mais dono do próprio nariz e deve menos satisfações. É uma rotina um pouco mais autônoma que a intimidade vivida em uma casa de família. As residências estudantis costumam ter excelentes infraestrutura e localizações centrais privilegiadas. Algumas incluem até mesmo a facilidade das três refeições diárias, já outras oferecem cozinhas e a infraestrutura necessária para que você mesmo faça a sua própria comida. Existem outros tipos de variações, como banheiros compartilhados ou não.

Uma vantagem da residência estudantil que se assemelha à casa de família é o fator convivência diária com a língua diferente da sua e que você provavelmente tenha imenso interesse em aprender.

Uma das principais desvantagens, principalmente em comparação com a casa de família é o preço. Residências estudantis costumam ser mais caras e também mais concorridas. Em alguns casos há filas de espera para conseguir uma vaga. Por mais esse motivo é importante fazer tudo com antecedência.

Lembre-se também do fator convivência. Como você dividirá os espaços e possivelmente seu quarto com diferentes pessoas das mais distintas culturas, é preciso haver uma conversa para que haja a responsabilidade devida, respeito e organização, a fim de evitar conflitos futuros.

Por outro lado, se você pretende ficar muito tempo no local de destino, esse é um ambiente ótimo para a sua chegada. Lá, você irá fazer amigos e encontrar possíveis colegas para dividir um apartamento, opção que oferece um pouco mais de privacidade e conforto, além de criar laços e amizades duradoras com pessoas de diversos lugares.

 

  • Morar sozinho

Eis a opção que exigirá uma disposição maior em desembolsar um valor a mais por mês. Morar sozinho tem qualidades evidentes que atraem qualquer um que deseja uma experiência de autonomia no exterior. No entanto, costuma ser a menos popular entre as opções mais comuns de moradia, principalmente tratando-se de intercâmbio estudantil. Além de ser mais caro na grande maioria dos casos, morar sozinho exige que você tenha mais autonomia em resolver todos os seus problemas de maneira independente. É preciso também ter um pouco mais de controle com gastos e pagamentos de contas.

No entanto, ter o seu próprio cantinho pode significar um prazer imenso para quem não abre mão de conforto, liberdade total e principalmente privacidade.

Se o local comportar, nada impede também que futuramente você também opte por dividir com uma ou mais pessoas, já que existirá a liberdade de fazer esse tipo de escolha. Essa opção cai bem não só pela companhia, caso você deseje, como também para dar uma folga nos gastos mensais da casa.

Agora que você já conhece as principais vantagens e desvantagens de cada uma das principais modalidades de hospedagem para o seu intercâmbio, entre em contato com a Travelmate e dê o primeiro passo para o seu sonho de morar fora!

Intercâmbio na Austrália? Anote 5 experiências inusitadas

Postado por: Tatiana Serbena/ 111 0

Pelo país rico que é, motivações diferentes é o que não faltam para quem elege a Austrália o país de seu intercâmbio. Listamos 5 experiências inusitadas que são dignas de marcar não só o seu intercâmbio, mas a sua vida.

Intercâmbio na Austrália
Intercâmbio na Austrália

 

  • Conheça de perto uma onda gigante de pedra

Na pequena cidade de Hyden existe uma instigante obra prima da natureza. Uma formação rochosa natural com mais de 110 metros de comprimento conhecida por Wave Rock justifica a visita e todas as fotos que serão levadas desse encontro. A propósito, privilegie a visita na época da primavera. As orquídeas florescem e criam um entorno único.

intercâmbio na austrália

 

  • Se jogue nas dunas de Port Stephens

Melhor lugar que esse pra surfar só mesmo um mar com boas ondas. As dunas de Port Stephens oferecem quilômetros de pura beleza e diversão. Para deslizar nas dunas, você praticará algo conhecido como sandboarding, o que é o mesmo que se jogar pelas montanhas de areia com uma tábua ideal para isso. Termine com um mergulho no mar ao lado.

 

  • Nade com tubarões

Por mais assustador que essa ideia pareça, tudo acontece de forma segura. No parque marinho de Ningaloo você pode mergulhar com os bons gigantes conhecidos por tubarões-baleia. Caso você já tenha alguma experiência a mais em mergulho, descubra e explore a diversificada coleção de esponjas, gorgônias e chicotes do mar localizadas nos jardins de esponjas logo na entrada do golfo de Exmouth.

 

  • Viaje ao centro da terra em Hancock Gorge

Já que você estará na outra ponta do mundo, dá pra ir um pouquinho mais além. Encare um passeio conhecido como “viagem ao centro da terra”. O lugar é Hancock Gorge e a paisagem é exuberante. Vale a queda, literalmente.

 

  • Veja de perto a historia das colônias de Port Arthur, Tasmania

Apesar da juventude do país, Austrália também é casa de lugares históricos. Mesmo que pareça inusitado para um país tão belo, sorridente e banhado por águas lindas e cristalinas, a Austrália tem um passado presidiário, e dos pesados. Em Port Arthur está um dos presídios mais duros da época colônias, cheio de historias e personagens emblemáticos. Talvez um dos motivos da fama, é que Port Arthur era o destino final dos condenados mais perigosos da época. O presídio foi fechado em 1877 e hoje ocupa a categoria de Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Ficou com vontade de fazer intercâmbio pra Austrália? Entre em contato com a Travelmate e conheça nossos pacotes e condições especiais.

Austrália | Melbourne

Duda Flores fala sobre sua preparação de intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 199 0

A Duda vai viajar para a Austrália com a Travelmate e fez um vídeo falando sobre a preparação dela.

Confira:

Juliane Paula Trevisol na Nova Zelândia

Postado por: Tatiana Serbena/ 1584 0

Esse é um relato de experiência pessoal, onde posso garantir que após um intercâmbio você nunca mais será o mesmo, você não terá as mesmas ideias sobre as coisas, você se tornará uma pessoa melhor em todos os aspectos pessoais.

Bom, meu nome é Juliane Trevisol, nasci na cidade de Itá Santa Catarina, cidade a qual vivi por toda minha vida até o ano de 2016 quando dei uma reviravolta em minha vida. Planejando casar, vivendo em uma cidade pacata de apenas 5 mil habitantes, onde tudo acontecia de uma maneira rotineira e a qual não me fazia sentir realizada e completa, faltava adrenalina, faltava emoção, tinha um sentimento que dizia: “vai guria, você pode mais do que isso, vai desistir dos seus sonhos por medo? Pelo que as pessoas dizem? “Eu sabia que não encontraria felicidade se continuasse reclamando da minha vida sem fazer nada para muda-la. Foi o que eu fiz.

Sempre tive um sonho de infância que era realizar um intercâmbio, comentei sobre a ideia com meu futuro marido na época, o mesmo me respondeu: “ Esse é um sonho seu e não meu” Lembro como se fosse hoje, isso significava que eu estava com uma pessoa que não compartilhava dos meus sonhos, e foi exatamente isso me impulsionou a tomar minha decisão, vi que nossos caminhos não estavam indo para mesma direção, decidi terminar o relacionamento, pedir demissão do meu trabalho, vender minhas coisas, resolver assuntos pendentes, e contar para minha família sobre minha decisão, isso foi o que eu fiz. Estava certa do que eu queria e nada e nem ninguém iriam fazer eu desistir. Manter o foco no objetivo é fundamental, não levar em conta as influencias, pois muitos tentaram fazê-lo desistir, ou desejar o seu fracasso, nessa hora você identifica quem são seus verdadeiros amigos, e são aqueles que ficaram ao seu lado quando ninguém mais está.

Após um planejamento e dicas de uma boa agencia de viagens chamada Travelmate de Chapecó, que me orientou sobre a melhor escolha, e quais as possibilidades seriam as melhores para mim eu decidi optar como destino a Nova Zelândia, um pais a aproximadamente 18.000 quilômetros da minha cidade Itá Santa Catarina. Arrumei as malas e com muita vontade de fazer acontecer, embarquei rumo ao desconhecido.

Chegando em Auckland uma das maiores cidades da Nova Zelândia me deparei com um mundo desconhecido, mas cheio de oportunidades, e eu precisava fazer com que as pessoas que aqui viviam percebessem que eu estava aqui, fazer o diferencial.

Após 2 meses procurando por trabalho, distribuindo currículo de porta em porta, consegui meu primeiro emprego em uma loja de cafés chamada Starbucks. Na época eu trabalhava três dias por semana, incluindo sábado e domingo, e estudava de terça a quinta, durante um ano e meio, na mesma empresa fui promovida a supervisora, e a dois meses consegui emprego em um dos maiores bancos da Nova Zelândia.

Recebi muitos nãos, mas a cada não que eu recebia me fortalecia ainda mais, eu sabia que eu conseguiria, eu acreditei em mim. Viver em um país que não é o seu é desafiador, e você precisa manter o pulso firme para não desistir, manter o pensamento positivo e acreditar que o amanhã será melhor que o hoje ajuda muito a equilibrar as emoções, essas que são muitas. A falta da família, dos amigos, da comida que sua mãe preparava, da sua cama, das festas, você irá enfrentar um turbilhão de emoções, mas mantendo o foco é possível ir em frente. A cada vitória é uma conquista, conquista que é somente sua e de mais ninguém.

Hoje sou um ser humano melhor, fazer um intercâmbio faz com que você aceite as diferenças, faz com que você aprenda a pedir ajuda, a dizer obrigada, agradecer e agradecer. Encarar os desafios e medos é muito mais fácil após um intercâmbio, é uma maneira de receber um aprimoramento pessoal vivenciando na pele, você literalmente precisa correr atrás dos objetivos e fazer acontecer, não é como no Brasil que ter uma boa classe social te ajuda em algumas situações, aqui não importa quem você é, se é rico ou pobre, filho de presidente ou não, aqui você é igual a todo mundo, buscando lugar ao sol.

Atualmente estou noiva de um indiano, com quem tenho casamento marcado para o próximo ano além de planos futuros. Ao longo da minha jornada conheci vários lugares e países ao redor do mundo como: França, China, Holanda, Amsterdã, London, Bélgica e claro não poderia faltar a Índia que era o meu maior sonho.

Hoje tenho amigos de toda parte do mundo, vivo um dia após o outro, e com uma nova descoberta a cada dia, a declaração acima é apenas um pequeno exemplo do que um intercâmbio pode trazer e mudar a sua vida, basta acreditar que desbravar o mundo é possível pra quem quer, arriscar sem medo de falhar, aprender com os erros irão te permitir ser feliz.

Certamente a decisão de fazer o intercâmbio foi o investimento mais proveitoso e assertivo que eu poderia ter feito na minha vida, encontrei minha felicidade e minha realização aonde eu jamais pensei que poderia encontrar. Tenho certeza que essa é somente a primeira página do meu livro da vida, tem muito mais por vir, basta lutar e se dedicar para isso.

Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos

Postado por: Tatiana Serbena/ 1013 0

Com tantas opções disponíveis, como ser certeiro ao escolher o destino do seu intercâmbio? Existem mais de 190 países no mundo e seguramente cada um deles possui uma particularidade, ou algumas delas, que fazem toda a diferença na hora de eleger o país ideal para a sua experiência como intercambista. Existem alguns passos que direcionam a escolha do seu destino, e as principais estão listadas abaixo:

  1. Idioma

Principalmente se a sua intenção for viajar em pouco tempo, impossibilitando o aprendizado necessário de uma segunda língua para se sentir preparado para viajar, considere o idioma que você já domina ou no mínimo, se vira bem. Pergunte-se: qual idioma você quer se aprofundar? Se for inglês, este fator já exclui todos os outros países que não tem o inglês como língua nativa.

  1. Distância

A distância do Brasil em relação ao futuro país de destino, é um fator de peso principalmente se você deseja visitar a sua família ou receber visitas durante o seu intercâmbio. Verifique o que seria possível, e exclua aqueles que ficariam inviáveis para as suas intenções.

  1. Estilo de vida

Entre Europa e Estados Unidos podem haver muitas diferenças se a questão for estilo de vida. Entre Nova York e Firenze, na Itália, existe um abismo. Vai de você entender o que mais se aproxima do estilo de vida que pretende levar no exterior, e então, deixar de lado os países que não se assemelham com o que você está idealizando. Uma agência de intercâmbio ajuda muito no processo de conhecimento de destinos.

Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos
Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos
  1. Orçamento

Definir um orçamento, ou seja, um planejamento com relação à quanto você pretende gastar no seu período de intercâmbio é outro fator que pode ser determinante na hora de escolher um destino e desconsiderar outro. Algumas cidades são um pouco (ou muito) mais caras que outras. Procure se aprofundar nas informações que dizem respeito ao custo de vida das cidades que você tem em mente. Você vai acabar tendo que deixar algumas delas de lado e dessa forma, as coisas vão se afunilando.

  1. Objetivos

Imagine-se na cidade de destino e reflita como determinada cidade pode ser benéfica e estar em consonância com os seus objetivos e intenções. Faça pesquisas sobre universidades e cursos disponíveis para a sua área de interesse. É importante, da mesma forma, refletir sobre o seu futuro e aspirações profissionais e pessoais. Assim, vai conseguir extrair o melhor que o seu intercâmbio poderia te proporcionar.

Para o seu conforto, o blog da Travelmate possui diversos conteúdos que respondem algumas dessas questões, não deixe de visitar! Conte com a Travelmate para auxiliá-lo neste processo inicial assim como acompanhá-lo em sua experiência como intercambista. Conheça nossos planos e pacotes disponíveis e boa viagem!

7 empresas que oferecem oportunidade de carreira internacional

Postado por: Tatiana Serbena/ 673 0

Um intercâmbio profissional no exterior é considerado um benefício e um diferencial na carreira que pode fazer toda a diferença em seus planos futuros. Se a sua intenção for seguir carreira internacional, começar por um intercâmbio fora do Brasil pode ser o primeiro passo que o aproxime de uma carreira sem fronteiras.

empresas que oferecem oportunidade de carreira internacional
Empresas que oferecem oportunidade de carreira internacional

 

São vários os países que permitem esse tipo de experiência, como Estados Unidos, Austrália, França, Irlanda, Canadá, Nova Zelândia e diversos outros destinos. Uma agência de intercâmbio como a Travelmate pode te auxiliar em todo este processo de escolha e trâmites burocráticos, baseado no tipo de trabalho que você deseja exercer lá fora. É importante que você tenha claro os motivos que te levaram a escolher trabalhar no exterior, pois caso você não tenha um foco muito grande e não souber o real motivo da sua escolha, é bastante provável que você retorne ao Brasil nas primeiras dificuldades, porque elas existem.

 

Dentre as empresas que se destacam entre as que são abertas ao intercâmbio cultural, estão:

  1. General Motors (GM)

A empresa é conhecida por oferecer um aprendizado constante, bons salários e benefícios. A sede principal está localizada em Detroit, Michigan, EUA.

  1. Enel

A Enel é uma empresa italiana com sede em Roma, na Itália. Atua na geração e distribuição de energia elétrica e gás natural. Os pontos positivos mencionados por seus colaboradores são oportunidades internacionais, trabalho em equipe, bons salários e benefícios.

  1. Citibank

Fundado em 1812 como o “Banco da cidade de Nova York” hoje possui mais de 3 mil filiais em mais de 35 países ao redor do mundo, a maioria delas estão nos EUA. Os pontos positivos mais mencionados em relação à empresa são oportunidades internacionais, ambiente de trabalho estimulante e equipe competente.

  1. Siemens

A Siemens é uma empresa alemã e seus principais escritórios estão localizados na Alemanha, precisamente em Berlim, Munique e Erlangen. Os pontos positivos mais reconhecidos da empresa são as oportunidades de carreira internacional, salários, benefícios e ambiente de trabalho tranquilo.

  1. Nestlé

A Nestlé inicia sua história em 1866 na Suíça e em 2016 a empresa cumpriu os seus 150 anos, sem parar de inovar. Fora os clássicos da marca, a empresa lançou recentemente o sorvete Gelato, a linha Optifast e por aí vai. Os salários e benefícios, planos de carreira e oportunidades no exterior são os pontos positivos citados pelos colaboradores da empresa como os que se sobressaem.

  1. ABB

Asea Brown Boveri é uma multinacional com sede em Zurique que atua no ramo da tecnologia servindo a clientes industriais, concessionárias, transporte e infraestrutura de forma global. Os pontos que mais se destacam para os que trabalham na empresa é com relação ao ambiente de trabalho, possibilidade de mudança para outros países e flexibilidade de horários.

  1. Ernst & Young

A EY é uma empresa que atua basicamente nos ramos de Auditoria e Consultoria com sede principal em Londres. Presente em mais de 150 países e mais de 700 escritórios espalhados pelo mundo, as vantagens de se trabalhar lá se relacionam principalmente com a flexibilidade, exposição internacional e aprendizado constante.

Dê o primeiro passo para a sua carreira internacional. Fale com a Travelmate e conheça nossos planos e pacotes para um intercâmbio de trabalho no exterior.

Work&Study na Irlanda

Postado por: Tatiana Serbena/ 336 0

Pelos benefícios que a escolha de estudar e trabalhar ao mesmo tempo traz ao estudante, o Work&Study na Irlanda representa hoje um dos programas mais procurados pelos intercambistas que buscam uma experiência fora do país.

work&study na irlanda
Work&study na Irlanda

 

Uma das curiosidades mais comuns de quem pretende trabalhar no exterior é quanto à remuneração. “Quanto eu vou ganhar?” é uma pergunta muito comum, e aí vai a resposta: a remuneração gira em torno de 7 a 12 dólares por hora, dependendo muito, no entanto, do trabalho que você for exercer.

Mas muito além do dinheiro, existe o fator “bagagem” e o fator “experiência”. Quem estuda e trabalha em um país estrangeiro adquire habilidades e competências que muitas vezes são características do estilo de trabalho local, e dessa forma, serve como um diferenciador na sua trajetória. O trabalho impulsiona ainda o conhecimento e domínio da língua estrangeira, a qual se desenvolve principalmente pelo contato diário com pessoas diferentes, pela troca de experiências e necessidades de comunicação.

Se a sua vontade é trabalhar enquanto estuda, é fundamental analisar todos os países que dizem sim ao quesito “permissão para trabalhar”. Existe uma lista diversa de países que são ideais para um excelente Work&Study e escolher entre um deles, além da compatibilidade com o seu perfil, vai depender muito das oportunidades do momento e do estilo de vida que você pretende levar.

As cidades de Cork, Limerick e principalmente Dublin, na Irlanda, são muito desejadas por aventureiros que querem mergulhar nos estudos e conseguir uma memorável experiência de trabalho. Você tem chances de aprimorar o seu currículo, tanto em qualificações quanto experiência.

Em comparação à outros destinos, o Work&Study na Irlanda tem uma grande vantagem no que diz respeito à burocracia e custo. Dublin é o destino mais procurado. A capital cultural, política e de negócios da Irlanda está recheada de opções de escolas de inglês como ISE, Dorset College e Griffith College e, além da qualidade de ensino, por lá é possível se divertir muito. A cidade abriga inúmeros pubs característicos que são a alma do povo irlandês. O “The Temple Bar” é tão ponto turístico quanto a The Spire, a maior escultura da Europa.

Em um dos pacotes da Travelmate, você realiza um curso de inglês por 25 semanas e tem direito a 8 semanas de férias destinadas ao trabalho. Nesta estrutura, o estudante é encarregado por procurar e escolher o trabalho de sua preferência e pode iniciá-lo uma vez que as horas destinadas ao estudo tenham sido cumpridas. Além da Irlanda, as outras opções de destinos oferecidas pela Travelmate condizem com os destinos mais procurados para se fazer intercâmbio. É o caso do Canadá, no topo da lista, seguido por Austrália, Nova Zelândia e nosso mais novo destino, Dubai.

5 passeios imperdíveis para fazer em Chicago

Postado por: Tatiana Serbena/ 286 0

Muito se fala em intercâmbio para os Estados Unidos, mas você já imaginou um intercâmbio precisamente em Chicago? A cidade reúne uma série de atrações (além de ser uma atração por si só) e você conhece 5 delas nos tópicos abaixo:

passeios imperdíveis para fazer em Chicago
Passeios imperdíveis para fazer em Chicago

 

  1. Encontre o melhor do jazz

Percorrendo a cidade de uma maneira um pouco mais pessoal e não tão turística, você encontrará pelo caminho diversos pequenos bares locais que tocam o melhor do jazz. Caso você goste do gênero, um dos imperdíveis é o “Green Mill Cocktail Lounge” quase tão antigo quanto a arte do jazz.

 

  1. Barco, um meio de transporte alternativo

Pode parecer que estar preso em um barco junto a uma centena de turistas não é a melhor das ideias. Mas a maneira mais rápida, fácil e inteligente de ter uma noção rápida e um entendimento da magnífica história de Chicago é em um passeio de barco. Enquanto navega pelo rio da cidade, você voltará anos na história de um lugar que já foi indispensável para o comércio mundial, ficará encantado pelas obras e histórias de Daniel Burnham, Mies Van der Rohe, Louis Skidmore e outros tantos nomes célebres que fazem de Chicago uma das cidades com a mais bela arquitetura de todos os tempos.

  1. Explore o Hyde Park

É neste lugar que você vai se deparar com o belo e imponente Museu de Ciência e Indústria, o Museu DuSable de História Afro-Americana e a famosa Universidade de Chicago. Hoje, a zona do Hyde Park é bastante conhecida por ser lar do casal Obama, que se mudaram para a região quando o ex-presidente começou a lecionar na Faculdade de Direito da Universidade. Se estiver um dia bonito, nada melhor que ir ao Promontory Point e desfrutar da linda vista para o lago Michigan.

 

  1. Passeie por Millenium Park

Este parque central é um dos lugares mais visitados da cidade e dá pra dizer que “são várias atrações dentro uma atração”. Isso porque no Millenium Park estão o Cloud Gate (The Bean) um dos símbolos de Chicago feito por Anish Kapoor, Crown Fountain, uma fonte projetada por Jaume Plensa com duas torres de luz que atuam como telões exibindo rostos de moradores ou naturais de Chicago (como Oprah Winfrey e Barack Obama) e ainda pontos interessantes como Jay Pritzker Pavilion, BP Pedestrian Bridge, Lurie Garden e Harry Theater.

  1. Frank Lloyd Wright tour

A cidade próxima a Chicago chamada Oak Park concentra uma bela parte do legado deixado pelo célebre arquiteto Frank Lloyd Wright. A viagem vale a pena, e é facilmente executada através do trem Green Line L desde o centro de Chicago. O pai do marco arquitetônico “Casa da Cascata” está entre os maiores arquitetos que o mundo já viu. Em Oak Park você poderá ver de perto inúmeras casas feitas pelo arquiteto dos marcantes traços de linhas horizontais e transformador de uma era na arquitetura mundial. Vale o passeio.

Fale com a Travelmate e conheça nossos planos e pacotes para viagens de lazer e intercâmbios.

Malta: Uma Ilha de Amigos – Lígia de Castro

Postado por: Tatiana Serbena/ 1146 0

Olá, sou Lígia, a menina do meio dessa foto. Todas essas pessoas encontrei nessa ilha que, há 6 meses atrás, nem imaginava que seria o destino mais feliz e abençoado.

Tudo começou no ano de 2016, quando a ideia de realizar um intercâmbio voltava de novo à cabeça, fui em uma, duas, cinco agências até que conheci a Luiza, na Travelmate.

Decidida a viajar e estudar, tinha algumas opções em mente: Irlanda, África do Sul e até Estados Unidos. Até que Luiza apresentou a combinação perfeita: praia + calor + preço acessível e paisagens paradisíacas. Fechamos uma experiência única ali!

Quando o avião aterrissava ao meio dia, em uma ilha, em pleno verão europeu, só pensei: “Essa foi a melhor decisão da minha vida”. E, realmente, foi.

A ilha de Malta é linda, água azul cristalina, vida noturna agitada, muitos turistas de todos os lugares do mundo, vento (muito vento) e maioria dos prédios e casas são construídos com pedra calcária, o que dá à ilha a mesma cor.

Fiquei no bairro Swieqi, próximo do centro, de mercados, restaurantes e das festas. Uma vizinhança de estudantes. Obrigatoriamente tranquila, até mesmo porque os guardas noturnos estavam sempre alertas.

O transporte público tem ótima estrutura e o ticket (2 euros) vale por duas horas, o que é muito bom para fazer o trajeto de um ponto turístico a outro. Mas não pense que o tal “horário britânico” se estende por toda a Europa. O ônibus demora.

Em relação aos preços, mercado (exceto, carne e salada) é mais acessível comparado ao Brasil, passagens aéreas, roupas, calçados e, claro, chocolate, também.

Para quem gosta de festa, não deixe de passar pelo bairro de Paceville, uma rua/escadaria repleta de casas noturnas com diversos estilos musicais. E, o melhor, entrada gratuita e vários “free drinks”.

Depois da balada, em qualquer dia e horário, não se preocupe em caminhar pelos bairros, Malta é extremamente segura.

Na ilha, o idioma oficial é o maltês, mas 99% de sua estadia você irá ouvir inglês, afinal, todo mundo fala inglês e muito bem. Assim, caso seu objetivo seja como o meu, aprender o idioma britânico, Malta é o ambiente perfeito: variedade de sotaques e professores qualificados.

E, para finalizar, não poderia deixar de indicar os locais mais bonitos do país e suas ilhas: Comino/Blue Lagoon (travessia por barco), Gozo (travessia por ferry), passeio de barco por Blue Grotto, a belíssima capital Valleta, a noite romântica em Mdina, a feirinha de Marsaxlokk, a prainha de Paceville, a pitoresca Popeye Village, o bairro de Saint Julian’s e algumas das 360 igrejas distribuídas por toda ilha.

Para auxiliar no transporte, uma sugestão é alugar um carro (30 euros/dia) ou quadriciclo (50 euros/dia) e atravessar a ilha, são apenas 316 km². Mas atenção, em Malta o trânsito é mão inglesa e os motoristas não têm muita paciência com os novatos condutores.

Lígia de Castro – Jornalista

Larissa Cavallini em Cape Town

Postado por: Tatiana Serbena/ 912 0

Eu gostaria de compartilhar com todos a experiência que eu tive a oportunidade de vivênciar,  um intercâmbio para Cape Town na África do Sul. Confesso que meu único mês lá me fez crescer muito como pessoa.

Eu não tinha muito dinheiro para fazer essa viagem mas era uma necessidade para prosseguir na minha carreira.  Então a Travelmate me deu uma grande oportunidade por uma quantia acessível ao que eu teria na época. Fui com o único e exclusivo objetivo de aprender inglês,  nem sequer procurei pontos turisticos ou passeios porque eu pensava q meu dinheiro não seria o suficiente.

A aventureira dentro de mim não me deixou sentir medo em momento nenhum. Conseguia sentir a adrenalina correndo nas veias,  a ansiedade de pegar o avião e viajar pra tão longe tomava conta de mim.

Cape Town me trouxe o modelo de paraíso em cada pôr do sol,  me trouxe o verdadeiro sentido de irmandade,  fiz amigos lá que mesmo longe sempre estarão presentes na minha caminhada,  seja relembrando uma foto de um momento engraçado ou organizando uma visita surpresa pra alguém.

A LAL me ensinou que você nunca é inexperiente demais para ensinar assim como nunca experiente demais para aprender. Meus colegas lá me ensinaram sobre suas culturas,  sobra suas religiões,  sobre suas comidas e esportes,  e a cada momento eu me apaixonava mais e mais pelo nosso mundo,  pelas nossa pessoas,  nossos irmãos.

Eu vivi coisas lá que eu nunca imaginei viver,  sendo sobre conhecer o vinho que servirão em minha taça até acariciar um pinguim ou ir a um show de um cantor famoso no mundo inteiro.

Eu agradeço a Luiza da Travelmate que fez com que a pior barreira não me impedisse de fazer essa viagem. Sinto por ter estado na sua presença apenas uma única vez mas te agradeço por não ter feito a distância entre nós um obstáculo para a venda.

Cape Town é o paraíso que todos podemos ter nas mãos nem que seja apenas por 30 dias. Um dia irei retornar,  porque lá deixei um pedaço de minha alma.

Larissa R Cavallini

Lucas Paes em San Diego

Postado por: Tatiana Serbena/ 610 0

Meu intercâmbio foi uma experiência de aprendizado e auto-conhecimento, fui morar em San Diego por seis meses para realizar 4 cursos profissionais oferecidos pela Stafford House. Só pelo fato de eu ter escolhido ficar em um quarto compartilhado já era um desafio, antes da viagem já começam a surgir aqueles pensamentos “e se eu não gostar da pessoa com quem eu vou dividir o quarto?”, “e se ela for muito porca?”, acredito que todo mundo se pergunta essas coisas, mas no meu caso deu tudo muito certo, acabei virando melhor amigo da pessoa e ainda mantemos contato, então recomendo muito essa experiência, porque ela te faz sair da zona de conforto. Como eu disse no início, meu motivo principal eram os cursos, mas fiz muito mais que isso, fiz amigos que eu vou levar pra vida toda, vivi coisas incríveis e histórias que quem não estava lá provavelmente não vai acreditar, ganhei uma carta de recomendação da minha professora por um trabalho de marketing, adquiri experiências e habilidades novas, aprendi a conviver com pessoas de outras partes do mundo, respeitar todas suas culturas e melhorar ainda mais minhas habilidades no inglês.

Sou muito grato especialmente a Luiza e a Renata da Travelmate que estavam praticamente 24h a minha disposição, sempre perguntando se estava tudo certo ou se eu precisava de algo e prontamente resolveram todos os pequenos problemas que eu tive lá e me deixaram muito seguro de tudo. Desde a primeira reunião que tivemos quando eu ainda estava decidindo meu intercâmbio, mesmo sendo jovens, elas me passaram muita segurança, confiança e experiência, além de serem muito modernas hahaha, não teria escolhido outra empresa para ter me levado pros EUA, recomendo muito a Travelmate, para quem está pensando em fazer um intercâmbio, dê uma passada lá pra conversar com as gurias, que sempre tem cafezinho e as vezes chocolate. Deixo aqui meu muito obrigado por tudo! E até a próxima!

Lucas Paes.

Por que fazer intercâmbio em Milão?

Postado por: Tatiana Serbena/ 590 0

A mistura de charme, glamour e história fazem de Milão um dos destinos mais procurados (e desejados) da Itália não só para turismo, mas também como escolha do lugar para se viver, mesmo que seja apenas por alguns meses.

Fazer intercâmbio em Milão, além do peso do nome da cidade, vai te permitir conhecer e explorar muitos destinos da Itália e da Europa. Além das inúmeras estações de trem, Milão abriga 3 aeroportos principais: Malpensa (principal deles), Linate (um pouco menor, mas também bem movimentado) e o Orio al Serio (BGY) que é conhecido por receber voos low cost.

A “capital da moda” é a cidade que detém a maior população da Itália, com 1 ,7 milhão de habitantes além de ser o principal centro financeiro, comercial, de design, mídia e até mesmo do futebol na Itália. O idioma é o Italiano e a moeda utilizada por lá é o Euro.

intercâmbio em Milão

Intercâmbio em Milão

Milão tem uma diversidade enorme de atrações turísticas além da cidade como um todo, e por isso, nós listamos as 5 imperdíveis que você não pode perder durante um intercâmbio em Milão:

Catedral Duomo: Um símbolo da arquitetura gótica cuja construção teve início em meados de 1300 e levou quase 5 séculos para ser finalizada. A obra leva mais de 3.500 estátuas com uma riqueza impressionante de detalhes espalhados por sua extensão. A Catedral fica localizada na “Piazza Duomo”, lugar que abriga a nossa próxima atração.

 

 

Galeria Vittorio Emmanuele II: A galeria é bastante luxuosa e une a Piazza Duomo à Piazza Scala. O lugar faz jus às antigas galerias da Europa e em seu interior existe, além de muito luxo, diversas lojas e restaurantes para desfrutar de um excelente momento e uma digna comida italiana.

Teatro Alla Scala: Falando em Piazza Scalla, não há como não lembrar de um dos 10 melhores teatros de ópera do mundo, segundo lista da National Geographic. O Teatro alla Scala é ainda lembrado pela lista como “provavelmente o teatro de ópera mais famoso do mundo”.

A última ceia: Não é bem um ponto geográfico da cidade de Milão, mas não deixa de ser um ponto turístico, e dos bons. A pintura emblemática foi feita por Leonardo da Vinci entre 1495 e 1498 a pedido do Duque de Milão, Ludovico Sforza. A obra é uma representação da última ceia de Jesus junto aos 12 apóstolos. Esta cena representa o anúncio de que Jesus será traído por um de seus discípulos. A obra prima de Da Vinci está na Igreja Santa Maria delle Grazie, e a reserva para vê-la deve ser feita com meses de antecedência.

Quadrilátero da Moda: Um conjunto de 4 ruas que conformam a zona mais elegante de Milão: Via Monte Napoleone, Via Alessandro Manzoni, Via della Spiga e Via Corso Venezia. Nesta parte da cidade se fazem presentes as lojas dos grandes nomes da moda, como Versace, Valentino, Louis Vuitton, Armani, Dolce & Gabbana, Christian Dior, Ralph Lauren e muitos outros.

Você ainda não pode deixar de visitar o descolado bairro Brera e a região de Navigli. Se você gosta de uma vida noturna agitada, é lá que vai encontrar.

 

Além das atrações, Milão também é uma boa opção não só para quem quer aprender italiano e se relacionar com pessoas de diversas partes do mundo, como também abriga uma das melhores escolas de negócios do mundo, a Università Commerciale Luigi Bocconi.

Com relação ao custo de vida, se é caro ou barato viver em Milão, a resposta é: depende. Você consegue gastar razoavelmente pouco em zonas mais afastadas do centro ou dos polos turísticos da cidade, assim como estará suscetível a gastar um alto valor para se manter se escolher viver no coração da zona turística de Milão.

 

Com tantas coisas boas te esperando por lá, clique aqui e inicie agora a viagem que vai marcar a sua vida!

Depoimento Amanda Coletti | Voluntariado África do Sul

Postado por: Juliana Teixeira/ 2126 2

A Amanda fez um intercâmbio para trabalhar como voluntária na África do Sul e contou um pouquinho da experiência:

 

“Fazer parte do projeto Big 5 foi com certeza a melhor escolha que eu poderia ter feito. Ser voluntário foi sair da zona de conforto, acordar cedo todos os dias com um objetivo a ser cumprido e ir dormir eternamente grata por todo o aprendizado, experiências e momentos de vida que só poderiam ser vividos lá! Foi acordar todos os dias no meio da noite escutando os leões rugindo e no 15• dia ainda ter um sorriso no rosto achando isso a coisa mais sensacional no mundo. Foi uma mistura de sotaques, aprendizados e  experiências. Volto pra casa com mais de 40 amigos espalhados pelo mundo (já estamos planejando a próxima viagem juntos!), sensação de dever cumprido e vontade de contribuir muito mais, afinal quem mais aprendeu com tudo isso fui eu mesma.. um pedacinho de mim ficou na África do Sul!”

 

 

  

  

Nova Zelândia: Cada vez mais um destino atrativo

Postado por: Tatiana Serbena/ 1095 0

Recentemente, a Nova Zelândia ultrapassou a vizinha Austrália e foi para a 4ª posição no ranking de países mais procurados por intercambistas, perdendo apenas para EUA (1º lugar), Canadá (2º lugar) e Reino Unido (3º lugar), segundo lista divulgada pela Pesquisa Selo Belta 2017. As razões pelo crescimento da procura não são difíceis de apontar: O país oferece excelência acadêmica no ensino do inglês, proporciona conciliar trabalho com estudo, todas as universidades estão classificadas entre as 450 melhores do mundo (segundo QS World University Rankings 2018) e possui uma coleção de cidades incríveis que não podem estar de fora da sua lista de prioridades.

 

Nova Zelândia

Por ser a cidade mais visitada da Nova Zelândia, há grandes chances de você já ter ouvido falar muito bem de Auckland, mas o país tem outras cidades bem conhecidas e tão interessantes quanto, são elas: Wellington, que é a capital, Christchurch e Queenstown. Cada uma com sua singularidade, magia e beleza própria, porém, com algumas características em comum: todas elas refletem a posição do país no topo do ranking das melhores qualidades de vida do mundo, excelente infraestrutura e uma natureza exuberante. Falando em natureza, o país coleciona apaixonados por suas paisagens espetaculares, e não é à toa que encaixou perfeitamente no cenário da trilogia que virou sucesso nos cinemas, o filme “O senhor dos anéis”. Um terço do território está coberto por parques e reservas naturais. Uma sinergia perfeita entre mar e montanhas, bosques com zonas verdes abertas, colinas e ovelhas, praias de areia rodeadas de vinhedos que sobem as ladeiras.

Uma vantagem deste encantador país é com relação ao custo de vida: Viver na Nova Zelândia costuma sair bem mais barato que países muito procurados para fazer intercâmbio, como Inglaterra, Austrália e Estados Unidos. Se compararmos por exemplo Auckland com Londres, você gastará pelo menos 35% a mais se escolher se mudar para a terra britânica. Além do custo de vida mais baixo em comparação com outros destinos procurados, ainda há um outro fator que favorece a escolha pela Nova Zelândia: o câmbio favorável. O dólar Neozeolandês (NZD) tem uma das cotações mais baixas entre os países da língua inglesa. Somado à isso, quem escolhe a convive ainda com a excelente reputação do país em recepcionar estudantes estrangeiros e não passa por tantas dificuldades para obtenção do visto. Uma curiosidade, principalmente para quem gosta de esportes radicais, é que vários deles nasceram na Nova Zelândia, como o bungee jumping, rapel, a escalada, paraquedismo, rafting e por lá, são bastante praticados.

 

 

A cultura do país é riquíssima e muito particular. Além da educação de seu povo e seus bonitos costumes, valorização e convívio com a natureza, a Nova Zelândia divide com Dinamarca e Finlândia o posto de país menos corrupto do mundo, de acordo com o Índice de Transparência Internacional.

Razões não faltam para você optar por passar um tempo neste encantador país. Seja pela cultura, qualidade de vida, paisagens fantásticas, trabalhar e estudar ao mesmo tempo com um custo de vida mais acessível, a Nova Zelândia será uma escolha acertada.

Clique aqui e conheça nossos pacotes para a Nova Zelândia!

mates pelo mundo

MATES PELO MUNDO #3 Felipe em Toronto

Postado por: Tatiana Serbena/ 625 0

No terceiro post da série Mates pelo Mundo, o nosso parceiro Fellipe Munhoz foi se aventurar por Toronto com o objetivo principal de aprimorar o inglês.

Abaixo, Fellipe dividirá conosco as experiências e momentos em um dos países mais procurados por jovens do mundo inteiro para realizar o sonho de fazer intercâmbio: O Canadá.

Se você também já viajou pela Travelmate, nos envie o seu relato preenchendo o formulário no final do post!

Informações

  • Nome: Fellipe Eduardo Munhoz
  • Idade: 26 anos
  • Programa que escolheu fazer: ILAC – General English – 1 mês
  • Cidade que viajou: Toronto – Canadá
  • Data da ida e volta: 26/01/2017 –  01/03/2017

 

Por que decidiu fazer intercâmbio?

Tinha acabado de sair do emprego e usei o tempo livre para conhecer uma nova cultura, e também para poder aprimorar o meu inglês visando um diferencial no mercado de trabalho.

Como foi a reação da sua família ao saber que queria viajar? Te apoiaram?

Quando expressei o desejo de ir viajar, também por ter um casal de amigos que estavam fazendo a mesma viagem, minha mãe apoiou bastante e incentivou a minha ida, até como uma oportunidade de crescimento e vivência.

Por que escolheu a Travelmate?

Um casal de amigos já tinha feito a compra de um pacote de intercâmbio, quando expressei meu desejo em ir e fazer o curso junto, eles me acompanharam e ao conhecer a Travelmate, vi que era uma empresa muito profissional e de qualidade.

Como chegou à decisão da cidade escolhida?

Devido ao casal de amigos que estava indo e também pela proximidade com os Estados Unidos e a possibilidade de visitar cidades como Nova Iorque, outros fatores que pesaram foi o renome da escola em que fiz o curso e a possibilidade de futuramente tentar uma imigração para o Canadá.

Por que você escolheu o programa que você fez no intercâmbio?

Devido a escola que possui reconhecimento e o tempo de um mês foi devido as condições que eu tinha para manter os custos fora.

Como foi sua adaptação no país? Tem alguma curiosidade que gostaria de contar?

A adaptação foi rápida, os canadenses são acolhedores e na escola temos contatos com inúmeras culturas de todas as partes do mundo.

Uma curiosidade foi que o povo canadense é um povo muito respeitoso, como estava acostumado com o trânsito de Curitiba onde os motoristas raramente respeitam a faixa de pedestres, levei um tempo para me acostumar com Toronto, onde ao atravessar uma rua na faixa, os carros param e não era necessário nem olhar pros lados.

Fez novos amigos?

Sim, fiz vários amigos de várias partes do Brasil e do mundo, alguns da américa latina, turcos, franceses, coreanos e japoneses, entre outros.

Sua experiência foi como você imaginava?

Sim, foi muito boa e gostei muito de ter realizado o intercâmbio.

Pretende fazer intercâmbio de novo? Para onde e por que?

Como tenho o sonho de aprender Alemão, gostaria de fazer futuramente, um intercâmbio para a Alemanha para fins de estudo e aprimoramento do idioma.

O que mudou depois que você voltou do intercâmbio? Mercado de trabalho, pensamentos, ideias, etc.

Ao conhecer várias culturas, aprendemos a conviver melhor com todas as pessoas, aprendemos mais sobre o mundo e suas características, o intercâmbio serviu para fazer eu firmar algumas coisas que já acreditava e pensar de maneira diferente em muitas outras.

Cerca de meio mês após voltar, consegui recolocação no mercado de trabalho e acredito que o intercâmbio também foi um diferencial.

Qual a mensagem que você daria para quem sonha em fazer intercâmbio?

Quem tem condições e está em dúvida, deve fazer, as experiências e o crescimento pessoal são incríveis e são lembranças que estarão presentes por toda a vida, assim como amizades que são feitas na viagem.

 

Confira algumas fotos da experiência de Fellipe:

 

MATES PELO MUNDO

 

Quer fazer parte do Mates pelo Mundo? Preencha o cadastro e venha conversar conosco!

[wd_hustle id=”mates-pelo-mundo”]

Depoimento da Andressa e Laressa Basseti | Intercâmbio em Vancouver

Postado por: Tatiana Serbena/ 557 0

A Andressa Basseti e Laressa Basseti fizeram seu intercâmbio em Vancouver e contam um pouco de como foi a viagem:

“Nós passamos um mês em Vancouver no Canadá e foi uma experiência incrível! Acredito que por ser um país multicultural as pessoas estão acostumadas a receber gente de fora. Todo esse ambiente facilita muito na hora que de praticar o inglês, pois todos são bem receptivos e prestativos. A cidade é linda, é bem diferente do que estamos acostumadas e acho que é isso que deixa tudo mais apaixonante: ver o sistema de transporte funcionando, ver as pessoas respeitando as leis, cuidando da própria cidade, praticando cidadania de verdade. Tivemos a chance de visitar duas cidades próximas (Victoria e Whistler- tivemos a chance de ver neve pela primeira vez) e ambas não decepcionaram! Existem várias opções de passeio, não ficamos um dia sem conhecer alguma lugar novo, um lugar mais espetacular que o outro. Todos as pessoas que possuem chance de fazer um intercâmbio, independente se for durante 1 mês, 6 meses ou 1 ano, devem fazer, é uma experiência riquíssima, inspiradora e que nunca será esquecida.”

Canadá ou Estados Unidos: Qual é a melhor opção pra você?

Postado por: Tatiana Serbena/ 2324 0

Fazer intercâmbio com certeza estará entre as melhores experiências da sua vida, e podemos dizer que ele já começa na hora de escolher o país de destino. Esse pontapé inicial costuma gerar muitas dúvidas quando colocamos lado a lado a escolha: Canadá ou Estados Unidos.

A procura por estes dois países é grande entre os brasileiros, no entanto, o Canadá chega em primeiro lugar com uma boa diferença: É a preferência de 38,1% dos jovens, contra 11% que preferem os Estados Unidos.

No entanto, quando falamos das qualidades e características dos dois países a diferença encurta consideravelmente. Isso acontece porque os dois são excelentes destinos, mas possuem particularidades que podem ser decisivas para que você escolha um ou outro.

 

Canadá

Muita gente confunde e pensa em Toronto ou Vancouver, mas a verdadeira capital do Canadá é Ottawa. O país conta com uma população de 35 milhões de habitantes e tem como moeda oficial o dólar canadense. Com relação ao idioma, tanto o inglês quanto o francês são tratados como língua oficial.

Canadá ou Estados Unidos

Mais da metade da população do Canadá é composta por imigrantes, o que pode fazer você se sentir mais a vontade que em outro lugar lotado de nativos. O país é um exemplo quando nos referimos à qualidade de vida e educação. Sua capital, Ottawa, já foi eleita a segunda melhor cidade das Américas, segundo consultoria Mercer, atrás da também canadense Vancouver. Uma curiosidade é que Ottawa é conhecida como a “capital nacional da alta tecnologia” pelo fato de que várias empresas importantes do setor estão instaladas lá, como Adobe, General Dynamics e Corel. O custo de vida em Ottawa é também atrativo: paga-se mais barato para viver lá do que em Toronto ou Vancouver, a mais cara de todas.

O frio é outro personagem emblemático quando pensamos em Canadá. Quando ele aparece, é pra valer. Como uma imagem vale mais do que mil palavras, abaixo vemos o Canal Rideau congelado, com seus 7,8 km de extensão que o transforma no maior ringue de patinação do mundo.

Seja inverno ou verão, as paisagens do país são realmente de tirar o fôlego. O Canadá também é lugar de grandes lagos, gigantescas montanhas e cascatas colossais onde tudo impressiona.

 

Estados Unidos

A população dos Estados Unidos já demonstra um país maior em diversos âmbitos. São 323,1 milhões de habitantes, quase 10 vezes maior que a população do Canadá. Quando falamos em capital, a confusão de novo pode existir: Muitos pensariam em Nova York antes de lembrar de Washington, a verdadeira capital dos EUA.

 

A moeda oficial é o famoso dólar americano e o idioma é o inglês. O país está acostumado a ser o primeiro em muitos aspectos, como por exemplo, ser o país mais rico do mundo. A diversidade de paisagens, culturas, estilos, gastronomia e oportunidades neste país revela uma oportunidade enriquecedora de crescimento pessoal e profissional.

O país é cheio de cidades que facilmente te deixariam de cabelo em pé diante da necessidade de se decidir por uma só. Nova York, Los Angeles, Miami, Chicago, Washington, San Francisco, Filadélfia e Boston poderiam ser facilmente o destino para uma experiência inesquecível. Nova York e Los Angeles quase empatam com relação ao custo de vida mais elevado nos EUA, mas como já é de se imaginar, NYC chega na frente.

Os dois países possuem as suas particularidades mas coincidem em diversos aspectos de modo geral. A educação, por exemplo, é exemplar, bastante reconhecida mundialmente e por isso, muito procurada por intercambistas do mundo inteiro. Nos dois países, há ótimas escolas que recebem todo ano milhares de interessados em aprimoramento e ricas experiências.

Para conhecer as escolas parceiras com a Travelmate espalhadas pelo mundo todo, clique aqui.

O que fazer em Melbourne?

Postado por: Tatiana Serbena/ 563 0

Está pensando em fazer intercâmbio para a Austrália mas ainda está em dúvida para qual cidade ir? O que fazer em Melbourne?

Saiba um pouco mais sobre a fantástica Melbourne e conheça o que a cidade tem de melhor.

A cidade de Melbourne, na Austrália, foi eleita a melhor cidade do mundo para se viver segundo lista divulgada pelo The EconomistO ranking da publicação engloba 140 cidades e considera fatores como segurança, sistema de saúde, infraestrutura, meio ambiente e educação.

o que fazer em melbourne

 

Federation Square

A Federation Square, também conhecida como Fed Square, é um espaço público de grande valor cultural para a cidade de Melbourne.

A praça está cercada por uma diversidade de museus, cinemas, teatros e restaurantes, formando o centro de lazer da cidade de Melbourne. Um ótimo lugar para passear e experimentar os melhores restaurantes da cidade.

o que fazer em melbourne

 

Jardim Botânico de Melbourne  

Lindo e encantador, o Jardim Botânico de Melbourne chama a atenção por suas belezas naturais. Perfeito para relaxar e praticar exercícios, o local é de fácil acesso, aconchegante e com uma infraestrutura de tirar o chapéu.

o que fazer em melbourne

 

Queen Victoria Market 

No Queen Victoria, as chances de encontrar tudo o que você busca são grandes. O mercado tem de tudo: desde roupas a vários tipos de comida. Além disso, o lugar tem história. É um dos maiores e mais tradicionais mercados do mundo.

E pra deixar tudo ainda melhor, os preços são bem acessíveis e provavelmente você não vai precisar deixar nada de fora.

o que fazer em melbourne

 

National Gallery of Victoria

National Gallery of Victoria é uma galeria de arte e um museu em Melbourne. Fundada em 1861, é a maior e mais antiga galeria de arte da Austrália. O bloco principal da galeria está localizado na estrada St. Kilda, no bairro de Southbank, com uma filial na Federation Square, também em Melbourne.

Na época em que a galeria começou a funcionar, Victoria tinha sido uma colônia independente por somente dez anos, e no caminho da Corrida do Ouro, a colônia se tornou rapidamente a parte mais rica do país, e Melbourne, sua maior cidade.

Melbourne Cricket Ground

Melbourne Cricket Ground é um ícone esportivo da Austrália, recebendo inúmeras partidas de futebol. Os principais eventos esportivos que o estádio recebeu foram os Jogos Olímpicos de Verão de 1956, os Jogos Olímpicos de Verão de 2000 quando foi subsede do torneio de futebol e os Jogos da Commonwealth de 2006.

A história do estádio começa em 1853, quando o primeiro campo de cricket foi construído no local. O estádio passou por amplas reformas e transformações, sendo a última delas em 2006 para os Jogos da Commonwealt.

Melbourne possui incontáveis atrações além de ser linda e encantadora. Clique aqui para conhecer nossas vantagens e partir para a Austrália!