Categoria: Austrália

O que fazer em Melbourne?

Postado por: Tatiana Serbena/ 389 0

Está pensando em fazer intercâmbio para a Austrália mas ainda está em dúvida para qual cidade ir? O que fazer em Melbourne?

Saiba um pouco mais sobre a fantástica Melbourne e conheça o que a cidade tem de melhor.

A cidade de Melbourne, na Austrália, foi eleita a melhor cidade do mundo para se viver segundo lista divulgada pelo The EconomistO ranking da publicação engloba 140 cidades e considera fatores como segurança, sistema de saúde, infraestrutura, meio ambiente e educação.

o que fazer em melbourne

 

Federation Square

A Federation Square, também conhecida como Fed Square, é um espaço público de grande valor cultural para a cidade de Melbourne.

A praça está cercada por uma diversidade de museus, cinemas, teatros e restaurantes, formando o centro de lazer da cidade de Melbourne. Um ótimo lugar para passear e experimentar os melhores restaurantes da cidade.

o que fazer em melbourne

 

Jardim Botânico de Melbourne  

Lindo e encantador, o Jardim Botânico de Melbourne chama a atenção por suas belezas naturais. Perfeito para relaxar e praticar exercícios, o local é de fácil acesso, aconchegante e com uma infraestrutura de tirar o chapéu.

o que fazer em melbourne

 

Queen Victoria Market 

No Queen Victoria, as chances de encontrar tudo o que você busca são grandes. O mercado tem de tudo: desde roupas a vários tipos de comida. Além disso, o lugar tem história. É um dos maiores e mais tradicionais mercados do mundo.

E pra deixar tudo ainda melhor, os preços são bem acessíveis e provavelmente você não vai precisar deixar nada de fora.

o que fazer em melbourne

 

National Gallery of Victoria

National Gallery of Victoria é uma galeria de arte e um museu em Melbourne. Fundada em 1861, é a maior e mais antiga galeria de arte da Austrália. O bloco principal da galeria está localizado na estrada St. Kilda, no bairro de Southbank, com uma filial na Federation Square, também em Melbourne.

Na época em que a galeria começou a funcionar, Victoria tinha sido uma colônia independente por somente dez anos, e no caminho da Corrida do Ouro, a colônia se tornou rapidamente a parte mais rica do país, e Melbourne, sua maior cidade.

Melbourne Cricket Ground

Melbourne Cricket Ground é um ícone esportivo da Austrália, recebendo inúmeras partidas de futebol. Os principais eventos esportivos que o estádio recebeu foram os Jogos Olímpicos de Verão de 1956, os Jogos Olímpicos de Verão de 2000 quando foi subsede do torneio de futebol e os Jogos da Commonwealth de 2006.

A história do estádio começa em 1853, quando o primeiro campo de cricket foi construído no local. O estádio passou por amplas reformas e transformações, sendo a última delas em 2006 para os Jogos da Commonwealt.

Melbourne possui incontáveis atrações além de ser linda e encantadora. Clique aqui para conhecer nossas vantagens e partir para a Austrália!

 

 

 

7 filmes sobre viagens

Postado por: Manu Cavalli/ 654 0

Quer uma motivação ou está ansioso para viajar? Aqui vamos listar 7 filmes sobre viagens para você assistir.

filmes sobre viagens

1 – Little Miss Sunshine

O famoso filme Little Miss Sunshine foi dirigido pelo casal Jonathan Dayton e Valerie Faris em 2006, nos Estados Unidos. É considerado um clássico da comédia e uma das maiores surpresas cinematográficas, por ser feito por diretores e roteirista iniciantes.

O filme foi indicado a quatro Oscars, vencendo duas das categorias em que concorreu, Melhor Roteiro Original e Melhor Ator Coadjuvante para Alan Arkin.

  • Sinopse:

Diante de uma situação familiar pouco estável, com cada membro da família com suas peculiares diferenças e problemas, surge a notícia de que Olive (Abigail Breslin) foi classificada no concurso “A Pequena Miss Sunshine”, na Califórnia. Todos precisam levar a pequena Olive, sonhadora e desengonçada, com o único meio de locomoção que pode levar toda a família: uma Kombi amarela bastante usada. Na viagem de três dias entre o Novo México e a Califórnia, eles passam por diversos momentos de alegria, tristeza e descobertas.

Nada melhor que um filme clássico para dar mais vontade de ir conhecer o mundo, ein?

2 – Manhattan

Filmes sobre viagens também têm seus clássicos. Para aqueles que gostam de um filme antigo, Manhattan é perfeito!

O filme mostra muito sobre a Big Apple, pontos turísticos como Central Park, Time Square, entre outros.

Manhattan é um filme norte-americano de 1979, do gênero comédia romântica, dirigido por Woody Allen. Teve sua estreia no Festival de Cannes do mesmo ano. Foi indicado ao Oscar de melhor roteiro original e melhor atriz coadjuvante, e ao Globo de Ouro de melhor filme dramático. Foi vencedor do BAFTA de Melhor Filme e do César Awards de Melhor Filme Estrangeiro.

  • Sinopse:

Um escritor de meia-idade divorciado (Woody Allen) se sente em uma situação constrangedora, onde sua ex-mulher o largou para ficar com outra mulher e, além disso, está para publicar um livro, em que revela assuntos muito particulares de seu relacionamento. Neste período ele está apaixonado por uma jovem de 17 anos (Mariel Hemingway), que corresponde a este amor. No entanto, ele sente-se atraído por uma pessoa mais madura, a amante do seu melhor amigo, que é casado.

3 – Into the Wild

Gosta de drama combinado com viagem? Into the Wild vai te fascinar!

Into the Wild é um filme biográfico de drama estadunidense, 2007, escrito e dirigido por Sean Penn. É uma adaptação do livro de não-ficção de mesmo nome, por Jon Krakauer. Lançada em 1996, a obra é baseada nas viagens de Christopher McCandless pela América do Norte, e sua vida no deserto do Alaska no início da década de 1990.

O filme é estrelado por Emile Hirsch como McCandless; Marcia Gay Harden e William Hurt como seus pais; além de Catherine Keener, Vince Vaughn, Kristen Stewart, e Hal Holbrook no elenco. O filme estreou durante o Festival de Roma 2007 e mais tarde abriu em Fairbanks, Alaska, em 21 de setembro de 2007 e mais tarde foi nomeado para dois Globo de Ouro, e ganhou o prêmio de Melhor Canção Original “Guaranteed” de Eddie Vedder. Ele também foi indicado a dois Oscar, incluindo Holbrook para Melhor Ator Coadjuvante.

  • Sinopse:

Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após dois anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca.

4 – Colegas

Não poderíamos deixar de colocar um filme nacional, né?

Colegas é um filme de aventura e comédia brasileiro dirigido e roteirizado por Marcelo Galvão. O longa estreou em 1º de março de 2013, e é estrelado por Ariel Goldenberg, Rita Pokk e Breno Viola. É o primeiro filme brasileiro protagonizado por atores com síndrome de Down. O filme possui inspiração no filme americano Little Miss Sunshine (2006) e em Thelma & Louise (1991).

  • Sinopse:

Colegas é uma divertida aventura que trata de forma poética coisas simples da vida, através dos olhos de três personagens com síndrome de Down. Eles são apaixonados por cinema e trabalham na videoteca do instituto onde vivem. Um dia, inspirados pelo filme “Thelma & Louise”, resolvem fugir no Karmann-Ghia do jardineiro (Lima Duarte) em busca de três sonhos: Stalone (Ariel Goldenberg) quer ver o mar, Aninha (Rita Pokk) quer casar e Márcio (Breno Viola) precisa voar. Nesta busca, se envolvem em inúmeras aventuras como se tudo não passasse de um maravilhoso sonho.

5 – O Verão da minha vida

Com um toque de romance, comédia e drama, O Verão da Minha Vida é um filme independente estadunidense, escrito e dirigido por Nat Faxon e Jim Rash. Estreou no Festival Sundance de Cinema de 2013, em que os direitos autorais para distribuição foram comprados por 9.75 milhões de dólares pela Fox Searchlight Pictures, a maior negociação de um filme feita desde 2006, com Little Miss Sunshine. Críticos disseram que a performance de Sam Rockwell foi merecedora de um Oscar.

  • Sinopse:

Duncan (Liam James) é um garoto de 14 anos que vive com a mãe e não suporta seu namorado, Trent (Steve Carell), que volta e meia o menospreza. Eles viajam para uma casa de praia durante o verão, juntamente com a filha de Trent, Laura (Devon Werden). Deslocado em meio aos amigos de Trent e até mesmo da própria mãe, Duncan passa os dias pedalando pelas redondezas. Num de seus passeios ele conhece Owen (Sam Rockwell), um cara despojado que trabalha no parque de diversões aquático local. Não demora muito para eles se aproximem, especialmente quando consegue um emprego de verão no mesmo parque.

6 – Wild

Livre (Wild) é um filme estadunidense de gênero dramático e biográfico, lançado em 2014, dirigido por Jean-Marc Vallée, escrito por Nick Hornby, e baseado no livro Livre – A Jornada de Uma Mulher Em Busca do Recomeço, de Cheryl Strayed.

O filme é estrelado por Reese Witherspoon e Laura Dern. Foi exibido no Festival de Telluride em 29 de agosto de 2014 e lançado nos cinemas norte-americanos no dia 3 de dezembro de 2014.

  • Sinopse:

Com o fim de seu casamento e morte de sua mãe, Cheryl Strayed perdeu toda a esperança. Depois de atitudes descuidadas e destrutivas, ela toma uma decisão extrema: com quase nenhuma experiência, guiada somente pela determinação, ela caminha por mais de mil milhas da Trilha de Crest Pacific sozinha. Wild captura muito bem os terrores e prazeres de uma jovem mulher que luta contra tudo que é esperado de uma jornada que enlouquece, reforça e finalmente a cura.

7 – Tirando o Atraso

Se você quer dar risada (e tem mais de 18 anos), esse filme vai ficar no seu TOP 1 filmes sobre viagens.

Com Robert De Niro e Zac Efron como principais personagens, o filme, com roteiro de John Ohillips e direção de Dan Mazer, causou bastante polêmica com suas piadas e cenas. Então já sabe, veja o filme com a mente aberta e relaxada.

  • Sinopse:

Um dia após o funeral de sua avó, Jason Kelly (Zac Efron) é encarregado de levar seu avô, Dick Kelly (Robert De Niro), até Boca Ratón, na Flórida. A viagem não o agrada nem um pouco, uma vez que em poucos dias ele irá se casar com a controladora Meredith (Julianne Hough) e, diante da proximidade do evento, tem várias pendências a resolver. Apesar disto, Dick insiste que o jovem viaje com ele. Logo o avô se revela bastante assanhado, já que não vê a hora de voltar a transar com uma jovem, algo que não faz há 15 anos.

E aí, preparado para a maratona de filmes sobre viagens? Quer planejar a sua? Clique aqui e comece a sua maratona pelo intercâmbio perfeito.

BENEFÍCIOS DE VIAJAR PARA O EXTERIOR

6 benefícios de viajar para o exterior, um deles é te deixar mais esperto!

Postado por: Manu Cavalli/ 823 0

Poucas pessoas têm a oportunidade de viajar – Existem algumas coisas irresistíveis sobre escapar da nossa rotina.

Uma recente pesquisa mostrou que viver no exterior pode não apenas fazer você se sentir bem, mas pode fazer você ficar mais esperto também.

Em 2013 um estudo encontrou que 3,2% da população do mundo vivem fora do seu país de nascença – Isso é 210 milhões de pessoas.

Um estudo de 50 anos de 3.400 intercambistas encontrou que 82% deles desenvolveu um caminho mais sofisticado de olhar o mundo após a viagem. Esse estudo foi feito pela Indiana University, no qual encontrou que pessoas que viajaram para o exterior usaram mais criatividade e inteligência para solucionar os problemas.

Aqui estão os 6 benefícios de viajar para o exterior, e porque – cientificamente – eles vão deixar você mais esperto que quando você viajou.

  1. Despertar criatividade

Quando estamos com o psicológico fora da nossa zona de conforto, novas possibilidades e resultados aparecerão. Isto é por causa do nosso cérebro que está em estado de ‘atenção relaxada’, na viagem, o cérebro possibilita você fazer ações de uma outra maneira.

  • 220 estudantes de MBA da Northwestern’s Kellogg School estavam perguntando como resolver um famoso jogo, o “duncker candle”. 60% dos estudantes que tinham vivido no exterior resolveram o problema e apenas 42% dos que não tinham viajado resolveram.

viajar

  1. Boa comunicação

Quando você não pode falar o idioma, você não tem escolha, precisa aprender a como se comunicar não verbalmente. Reconhecendo aquela comunicação seu multissensorial é forçado, você desenvolve alternativas, ainda efetivas, modos de comunicação. São habilidades transferidas para muitas outras coisas na vida.

  • Um estudo de 2014 baseado em chineses que viajaram, encontraram que a maioria dos participantes reportaram boas comunicações e relações sociais depois de viver no tempo no exterior.

TRAVELMATE BLOG

  1. Maiores chances no mercado de trabalho

Viver no exterior ajudará você a construir conexões estrangeiras e desenvolver seu entendimento sobre várias culturas – duas habilidades cruciais no mundo profissional.

  • Um estude de 10 meses feito pela INSEAD encontrou que quem foi inserido em culturas com ambientes diferentes estavam oferecendo mais trabalhando do que quem nunca viveu fora.BENEFÍCIOS DE VIAJAR PARA O EXTERIOR
  1. Habilidades do intelectual melhorado

Se você vive em um país com uma linguagem diferente por muito tempo, você aprenderá facilmente a linguagem, no qual melhora muito seu intelectual.

  • Em 2012 a Swedish MRI realizou um estudo onde encontrou que pessoas que estão aprendendo uma segunda linguagem mudam o tamanho e forma do cérebro pelo melhoramento da espessura cortical – a camada de massa dos neurônios responsável através de memórias e consciências.

  1. Aumento da produtividade

Enquanto muitas vezes achamos que trabalhar o tempo todo e até em feriados aumenta a produtividade, a pesquisa mostra que o tempo livre realmente ajuda para você voltar e ter produtividade no trabalho.

  • Países como a França, com 40 feriados no ano, tem uma econômica melhor do que países que possuem apenas 25 dias.

travelmate

  1. Aumento da autoconsciência

A autoconsciência é um dos muitos reconhecimentos traçados para o sucesso, e isto vem sem nenhuma surpresa para quem viveu no exterior, e encontrou e melhorou sua autoconsciência.

  • Um recente teste de psicológica distante concebeu sugestões que viajar ou planejar sua viagem e imaginando você mesmo em outra família e distante da sua localização, melhora sua autoconsciência.

Embora nossa casa ainda seja a mesma quando nós retornamos, através da viagem algumas coisas em nossas mentes têm sido mudadas, e que tem um poder de transformar qualquer coisa em nossas vidas.

Se abra para novos ambientes, tenha uma vida no exterior e encontre seu verdadeiro potencial intelectual.

Entre em contato com a Travelmate clicando aqui e realize seu sonho!

 

mates pelo mundo

MATES PELO MUNDO #2 Arieta em Auckland.

Postado por: Manu Cavalli/ 571 0

No segundo post da série Mates pelo Mundo, a nossa amiga Arieta foi para a Nova Zelândia, conhecer a maravilhosa Auckland.

Viajou com a Travelmate e quer fazer seu relato? Preencha o formulário no fim do post.

Agora vamos saber tudo sobre a viagem da Arieta.

Informações

  • Nome: Arieta da Fonseca Arruda
  • Idade: 32 anos
  • Profissão: Jornalista e hoje coordenadora de Marketing do Grupo Expoente (setor: Educação).
  • Programa que escolheu fazer: Study & Work travel
  • Cidade que viajou: Auckland – Nova Zelândia
  • Data da ida e volta: agosto de 2016 a fevereiro de 2017

 

  • Por que decidiu fazer intercâmbio? 

Decidi fazer um intercâmbio, pois desde adolescente tinha esse projeto como um sonho, mas ainda era distante para mim pela questão financeira. Acreditava ser muito caro, difícil e distante de mim. Foi quando me decidi construir esse projeto com meu investimento, me planejando e deu certo, depois de dois anos de construção.  Queria ter essa experiência no exterior, pois percebia a necessidade de saber inglês e juntar o fato de que viajar ser uma das grandes minhas paixões.

 

  • Como foi a reação da sua família ao saber que queria viajar? Te apoiaram?

Eles me apoiaram muito, pois perceberam que era meu sonho sendo realizado.

 

  • Por que escolheu a Travelmate?

Por indicação de uma amiga, pois a confiabilidade neste segmento é super importante, pois trata-se de um serviço de risco e que mexe com os sonhos das pessoas.

 

  • Como chegou a decisão da cidade escolhida?

Pesquisando as cidades que falavam inglês e que permitiam estudar e trabalhar 20h semanais, e que fosse um destino menos comum que Europa e Estados Unidos, por exemplo. Cheguei na pesquisa em Auckland e me apaixonei pelo país da Nova Zelândia, pela cultura, natureza e pessoas acolhedoras. Não errei. Sou apaixonada por aquele país e tenho muito carinho e saudades de lá.

 

  • Por que você escolheu o programa que você fez no intercâmbio?

Para poder estudar inglês, que era o meu maior foco e também ter a oportunidade de trabalhar para custear o restante da viagem. E o período foi a decisão pelo custo que era possível ser custeado.

 

  • Como foi sua adaptação no país? Tem alguma curiosidade que gostaria de contar?

Foi incrível. Tenho facilidade de me adaptar e amei as pessoas por lá, o país e a natureza do local. Mas a comida foi um choque por ter muita influência da Ásia, o que não estava acostumada e não me agradou o paladar. Mesmo assim amei a experiência, pois trabalhava em um restaurante lá e aprendi muito sobre gastronomia, que também sou apaixonada.

 

  • Conheceu novos amigos?

Fiz muitos e valiosos amigos do mundo todo, conhecendo culturas, histórias de vida e perfis de todos os jeitos. As pessoas que cruzaram meu caminho foram incríveis e me fizeram ainda mais feliz nesta experiência. Muita gente me ajudou, me acolheu, me ofereceu amizade e ensinamentos que jamais ganharia se estivesse parada em minha zona de conforto. Ganhar o mundo me deu ainda mais confiança de que precisamos olhar fora de nós mesmos e sermos humildades diante da grandeza que os nossos olhos podem conhecer e ao mesmo tempo perceber o quão forte e valorosos somos quando acreditamos em nosso potencial.

 

  • Sua experiência foi como você imaginava?

Foi muito mais intensa, para o lado bom e o lado difícil, foi um grande desafio trabalhar uma área totalmente diferente da que eu tinha experiência. Sou jornalista formada há 10 anos, trabalho com Marketing e sou especialista em Gestão da Criatividade e Inovação. Amo minha área, mas queria um desafio novo e avançar no idioma: inglês. E isso foi uma área de muito aprendizado. Muito pesado, difícil, desafiador, mas hoje vejo o quanto estou mais forte para enfrentar os desafios da vida, pois trabalhei muito minha resiliência, meu foco, meu profissionalismo. Me dediquei muito mesmo fazendo algo que não me fazia realizada no dia a dia. Limpava o chão, lavava louça, fazia comidas e tirava o lixo. Fiz isso com muito respeito, humildade e dedicação. Hoje admiro ainda mais quem faz isso diariamente para se sustentar. Fiquei feliz com o resultado em minha vida e com as amizades que fiz no trabalho. Aprendi o verdadeiro significado do trabalho em equipe. Foram pessoas valiosas que encontrei.

No aprendizado de inglês evolui muito e fiquei extremamente feliz com isso, pois tinha dificuldade. Também lá aproveitei para estudar business e inovação na educação. E, claro, viajar por aquele país que é espetacular, visitei lugares que jamais pensei que existissem. A Nova Zelândia tem uma força, uma natureza incríveis, cenários cinematográficos e intocados. Um país extremamente seguro e com pessoas maravilhosas.

 

  • Pretende fazer intercâmbio de novo? Para onde e por que?

Ainda não tenho nenhum plano. Mas viajar para o exterior, com certeza. Próximo destino deve ser Ásia e, depois, Havaí.

 

  • Qual a mensagem que você daria para quem sonha em fazer intercâmbio?

Invistam e se planejem neste projeto que vale a pena cada centavo, pois é na experiência de vida que temos o nosso maior patrimônio.  Conhecimento, experiência, amigos e background ninguém tira da gente. Isso nos faz melhores como seres humanos e é uma grande contribuição para a carreira profissional.

Confira fotos da travel:

Quer fazer parte do Mates pelo Mundo? Preencha o cadastro e venha conversar conosco!

Seja criativo, faça intercâmbio!

Postado por: Manu Cavalli/ 804 0

Todos que começam a pensar na sua viagem de intercâmbio tem como objetivo aprender uma nova língua, ganhar experiência de vida, conhecer novas culturas, mas além de tudo isso, o intercâmbio pode te proporcionar diversos benefícios que talvez não seja muito percebido pelos estudantes.

Um intercâmbio traz para você a independência, mesmo que seja na marra, você ter que cumprir suas tarefas e objetivos em outra língua, em um lugar que você acabou de chegar. Sair da zona de conforto faz você desenvolver caráter, ter responsabilidades e pensar em coisas diferentes.

O intercâmbio é sinônimo de evolução. Falar que intercâmbio serve apenas para aprender uma nova língua é quase uma ofensa, toda a viagem faz com que o estudante abra horizontes.

intercâmbio

Um estudo feito no Journal of Personality and Social Psychology, mostrou que pessoas que estudam ou trabalham no exterior são mais criativas do que aqueles que não passaram pela experiência.

Estar em contato com a nova cultura estimula o processo criativo dos viajantes, pois faz a pessoa ver o mundo por uma lente mais amplificada. Isso porque quando se tem a oportunidade de viver em outro contexto social, por algum tempo, as pessoas são expostas a várias situações desafiadoras, com o contato com realidades de vida e comportamento muitas vezes singular e a necessidade de adaptação a uma nova maneira de pensar e agir é significativa. Tudo isso é um estimulo para a capacidade de buscar novas perspectivas para encarar estes problemas.

Para conseguir seu objetivo, é necessário correr atrás e arriscar. Fazer intercâmbio não é só estudar uma nova língua e sim ganhar conhecimentos e experiências únicas.

Quer saber mais sobre intercâmbio? Clique aqui e entre em contato com a Travelmate. Venha realizar seu sonho!

 

raiz nutella

Intercâmbio Raiz x Intercâmbio Nutella

Postado por: Manu Cavalli/ 1400 0

Quer saber em qual intercâmbio você se encaixa? Veja agora como é um intercâmbio raiz x intercâmbio nutella.

  • PLANEJAMENTO

Raiz: Planeja o intercâmbio por 2 anos, entra em mais de 10 sites de agência, sabe todas as informações do país que vai, e nunca troca o país de escolha.

Nutella: Decide um mês antes da viagem que vai fazer intercâmbio, vai na agência mais cara, muda de opção 10 vezes antes de escolher a cidade certa e ainda reclama.

intercâmbio raiz x intercâmbio nutella

  • HOSPEDAGEM

Raiz: Escolhe casa de família compartilhada com 2 pessoas, não liga em dividir o banheiro, treina sua língua estrangeira com outras pessoas, faz amizade de anos com os novos amigos, dorme até com cachorro se precisar.

Nutella: Necessita de um hostel de 5 estrelas, banheiro tem que ser individual, só viaja com brasileiros, tem alergia a animais, não faz amizades novas, só fala inglês na escola.

accomodation

  • COMIDA

Raiz: O intercambista raiz só vai em fast food, come hambúrguer de 1 real, só toma coca cola, e raramente vai em restaurante turístico.

Nutella: Come todos os dias em buffet, janta em lugares caros da cidade, vai comer no lugar só por que é ponto turístico, só toma starbucks.

  • TRANSPORTE

Raiz: Só anda de metrô pela cidade, vai para a escola a pé, pega carona com o amigo que conheceu ontem, aluga bicicleta.

Nutella: Só anda de Uber, e tem que ser do black, não usa bicicleta e nem vai a pé para a escola para não chegar suado, tem medo de andar de ônibus, não anda com estranhos.

  • DINHEIRO

Raiz: O intercambista raiz começa a pagar 12 meses antes do intercâmbio, sempre descola um descontinho, vai com o dinheiro que achar em casa, pede moeda para a vó, tia, primo.

Nutella: Paga o intercâmbio a vista, tem dinheiro guardado desde 2012, a mãe deposita todo mês $500 na conta.

  • BAGAGEM

Raiz: O raiz sai de casa com a mochila de costas, três camisetas, um moletom, uma calça jeans, duas meias, RG e passaporte, uma garrafa de água, escova de dente sem a pasta e ainda esquece o carregador do celular.

Nutella: O nutella sai com duas mochilas de rodinha e uma mochila de costas, tem um look para cada dia de intercâmbio, pantufa e chinelo, escova e pasta de dente, escova de cabelo, gel, fones de ouvido, carregador, notebook, todos os documentos possíveis.

intercambio

  • COMPRAS

Raiz: Só compra o necessário, pega alguma coisa barata apenas para ficar de lembrança da viagem, único presente que traz para o Brasil é uma lembrancinha para a mãe.

Nutella: Metade do valor da viagem foi em compras, vem com celular novo, cada familiar recebe um presente, o cachorro ganha uma roupinha do USA.

Mas o que os dois tem em comum? Os dois tem o sonho de realizar o melhor e mais incrível intercâmbio de suas vidas, fazendo do seu jeito e tendo essa experiência para a vida toda.

Clique aqui e procure o intercâmbio perfeito para você!

intercâmbio raiz x intercâmbio nutella

 

Quanto custa um intercâmbio de 4 semanas?

Postado por: Manu Cavalli/ 2594 0

Está pensando em fazer intercâmbio mas está com dúvidas com preço? Continue lendo e tenha tudo o que você precisa saber em mente.

Você estuda, trabalha ou não pode ficar muito tempo fora do Brasil? O intercâmbio de 4 semanas pode ser a opção para realizar este sonho, e não se preocupe, em 4 semanas você vai aproveitar muito e fazer valer a pena todo esse investimento. Vamos aos tópicos para você saber quanto custa um intercâmbio de 4 semanas:

País

O país que você vai estudar vai influenciar muito no total que você vai gastar, por isso se querer economizar, pesquise sobre o custo de vida dos países. Se você optar por estudar na América do Norte, o Canadá tem um custo de vida mais barato que o Estados Unidos. Na Europa quem se destaca com preço baixo é o país de Malta, que cresceu muito a ida de intercâmbistas nos últimos anos. Tem também a Nova Zelândia, que não possui um câmbio tão alto. A África do Sul, além de ter inúmeros lugares para se visitar, também tem um custo de vida baixo.

Todos os países possuem excelentes escolas e estruturas, então o fator preço é determinado pela localidade.

quanto custa um intercâmbio de 4 semanas

 

Escola

Todas as escolas possuem ótimas estruturas, professores e um bom reconhecimento. É claro que tem sempre as melhores, e isso pode influenciar no preço do intercâmbio, como também as horas de estudo que você vai fazer o seu inglês. Você pode fazer de 15 até 30 horas/aula por semana.

Quer conhecer as escolas parceiras da Travelmate? Clique aqui.

lal

 

Hospedagem

Um ponto importante para determinar quanto custa seu intercâmbio é onde você vai ficar hospedado. Tem diversos lugares que o pacote que você comprar pode te oferecer, como esses:

  • Residência estudantil: As residências estudantis funcionam como uma espécie de pensionato para estrangeiros. Os formatos variam bastante, mas a maioria oferece quarto individual. Banheiro e cozinha são coletivos. Pode ficar dentro da escola/universidade ou em prédios (geralmente) próximos ao local de estudo.

A interação com estudantes de várias partes do mundo. Na residência estudantil, você terá contato com pessoas como você, que estão ali para estudar e se divertir.

  • Casa de família: O estudante se hospeda na casa de uma família, que se inscreve previamente no programa e que, portanto, está “oficialmente” apta a receber um estrangeiro. Todas as famílias passam por avaliações, do governo e/ou da escola, antes de receberem um hóspede. A casa de família é mais barata que a residência estudantil.

Se estiver disponível, você pode escolher compartilhar a casa com outro intercâmbista, assim, o valor será menor do que um pacote individual.

Na casa de família, você também pode escolher as refeições que vai querer no dia, normalmente café da manhã e jantar são os escolhidos, assim você tem mais tempo para estudar e conhecer a cidade.

  • Apartamento: Caso você queira mais privacidade e liberdade, pode optar por alugar um apartamento.

Normalmente os estudantes que optam por apartamentos, eles dividem as contas entre eles.

  • Hostel: O albergue (também chamado de hostel) funciona como um hotel, mas os quartos e banheiros são compartilhados. Em alguns casos, existe a opção de hospedar-se em suíte individual.

 A bom do albergue são os jovens e o clima informal. Diferentemente de um hotel, os hóspedes, que vêm de diferentes países, costumam interagir. A administração do local incentiva isso, organizando atividades ou saídas entre os hóspedes, que podem também usar a cozinha do espaço. O preço é bem mais camarada em relação aos hotéis. Em cursos intensivos, de curta duração, pode ser uma boa opção de hospedagem.

 

O que vai fazer na cidade

Se você pretende aproveitar todos os momentos da sua viagem, leve um dinheirinho extra. Como de costume, os intercâmbistas aproveitam sua viagem para viajar e conhecer a cidade.

Fazer as compras também é muito comum, e claro, levar lembrancinhas para o Brasil.

Então, o que você for fazer na cidade também vai influenciar no preço do seu intercâmbio.

 

Pacotes

Depois de saber um pouco sobre um intercâmbio, que tal olhar alguns pacotes de 4 semanas para diferentes países?

  • USA: San Francisco com Hospedagem Incluída – USD 2.330,00 Clique aqui para saber mais.
    • Boston com Hospedagem Incluída – USD 1.912,00 Clique aqui para saber mais.
  • Canadá: Vancouver com Hospedagem Incluída – CAD 2.369,00 Clique aqui para saber mais.
    • Montreal com Hospedagem Incluída – CAD 1.935,00 Clique aqui para saber mais.
  • Malta: Sliema com Hospedagem Incluída – EUR 1.475,00 Clique aqui para saber mais.
  • Nova Zelândia: Auckland com Hospedagem Incluída – NZD 2.140,00 Clique aqui para saber mais.
  • Inglaterra: Londres com Hospedagem Incluída – GBP 2.072,00 Clique aqui para saber mais.
  • Espanha: Barcelona ou Madrid com Hospedagem Incluída – EUR 1.777,00 Clique aqui para saber mais.
  • África do Sul: Cape Town com Hospedagem Incluída – EUR 1.478,00 Clique aqui para saber mais.
Sevilha - Espanha
Sevilha – Espanha

 

Quer saber tudo sobre intercâmbio? Entre em contato com a Travelmate clicando aqui.

trump

O que fazer para entrar no país do Donald Trump?

Postado por: Manu Cavalli/ 961 0

Após Donald Trump assumir a presidência dos Estados Unidos, muitas pessoas estavam se perguntando, “ Como vou fazer meu intercâmbio para os Estados Unidos? ” Agora a Travelmate vai acalmar você e te dar a solução para esse problema.

O que fazer para entrar no país do Donald Trump?

Sabemos que o Estados Unidos é o sonho de qualquer intercâmbista, mas já pensou que existe mais de 40 países para você conhecer, estudar e fazer a viagem mais importante da sua vida?

Bom, vamos ver quais os melhores países para curar essa dor de talvez não poder ir mais ao lugar onde fica a Disney, Estátua da Liberdade, Hawaii, Hollywood entre outras coisas.

O que fazer para entrar no país do Donald Trump

 

Um país calmo, bonito e com muita coisa para se ver, o Canadá é um dos países que mais recebe intercâmbistas. O país possui uma das melhores educações do mundo e a segurança do lugar é incrível.  Caso esteja pensando em morar lá, saiba que o Canadá foi considerado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) como 3º melhor país em qualidade de vida em 2016.

O melhor de tudo é que o governo do Canadá já demostrou que quer muito receber intercâmbistas, facilitando a emissão de vistos. Caso você queira estudar ou viajar par ao Canadá, você consegue facilmente um visto de 6 meses, o Temporary Resident Visa. Para mais tempo você precisa fazer o Study permit e para trabalhar é necessário o Work Permit.

Uma curiosidade, é que logo após Donald Trump assumir a presidência dos Estados Unidos, o site de imigração do Canadá recebeu tantos acessos que o site caiu e ficou um tempo fora do ar.

Ottawa

 

Atravessando o mundo, a Austrália é mais um país que vai fazer você esquecer rapidinho o USA. A Austrália é um país desenvolvido e o turismo é um ponto forte deles. Para fazer a emissão de vistos você precisa entra no site ImmiAccount, onde você faz o processo online.

Se você for estudar por 12 semanas ou menos, o visto para Austrália de turista é suficiente. Se quiser estudar e trabalhar na Austrália, recomendamos que você pegue um pacote de estudo com mais de 14 meses, sendo assim você poderá legalmente trabalhar.

Austrália é um país encantador por sua natureza e tecnologia, e suas faculdades não deixam a desejar, tendo várias entre as melhores do mundo. E o melhor, você encontra passeios incríveis e vai poder ver os famosos cangurus!

Sydney
Sydney

 

  • Europa

Vai dizer que você nunca pensou em ir para a Europa e viver aquele clima chique? Então vamos ver alguns países que são os mais visitados pelos nossos intercâmbistas.

Começamos com a Inglaterra, terra da Rainha, o país tem histórias incríveis e uma cultura gigante. Para turismo ou estudos por menos de 6 meses não precisam de visto para a Inglaterra. Se você for estudar por mais de 6 meses será necessário obter visto de estudante.

 

Londres
Londres

 

A Irlanda possui 6 milhões de habitantes e a língua oficial é o inglês, mas caso você vá para lá, não ache estranho se alguém estiver falando irlandês. Confirmando a matrícula e a acomodação, o oficial da imigração lhe dará um visto provisório que pode variar entre 30 e 90 dias. Porém, estudantes que permanecerão na Irlanda por período maior que os três meses precisam se registrar na Garda National Immigration Bureau (GNIB), que é o escritório geral da imigração no país, para receber o visto para o período subsequente.

No país da Torre mais famosa do mundo, os brasileiros que vão apenas turistas não precisam de vistos para um período de até 90 dias. Se pretende ficar mais de 3 meses, você deverá solicitar um visto de longa permanência (long séjour).

Dublin
Dublin

 

Já pensou em estudar em uma Ilha? Malta vai te proporcionar isso e muito mais. Nos últimos anos vem crescendo muito a taxa de intercambio para Malta, e não por menos, o país comparado com os outros na Europa, ele é barato e muito chamativo.

Se você pretende estudar ou apenas viajar, até 90 dias de estadia não é necessário o visto para Malta. Porém, se quiser prorrogar esse período de estudos, a própria escola que você se matriculou te ajuda na obtenção do visto e na extensão do prazo de estudos. Caso queira trabalhar, saiba que vai ser mais difícil, pois você vai precisar do seu empregador, que vai te ajudar no processo afirmando que você irá trabalhar para ele.

malta
Malta

 

Ao lado da Austrália, a Nova Zelândia é um país afastado, mas que possui vistas incríveis e que se você for, não esquecerá tão fácil assim. País do Rugby, que por sinal já foram campeões mundiais várias vezes, a Nova Zelândia é mais um dos países que levam a educação a sério, sendo uma das melhores do mundo.

Para cursos de até 3 meses não é necessário solicitar o visto antes de embarcar. Após isso, é necessário o visto no país. O visto de trabalho só é dado para quem conseguiu um emprego na Nova Zelândia, sendo assim, você só vai para trabalhar na Nova Zelândia saindo aqui do Brasil já com o empregador definido.

Auckland
Auckland

 

Mas eai, se eu ainda querer ir para os Estados Unidos?

Temos uma boa notícia para você, o atual presidente pode ter dificultado as coisas, mas é claro que você vai poder ir estudar, viajar e conhecer os Estados Unidos. Veja agora como ficou para tirar o seu visto para os USA:

  • O processo de solicitação de renovação de visto na mesma categoria que, a partir de agora, terá entrevista. Antes, os solicitantes que pediam a renovação eram dispensados da entrevista se o pedido fosse feito até 48 meses após o vencimento.
  • Além disso, as regras para isenção de entrevistas sofreram mudanças. Agora, somente quem tem menos de 14 anos ou mais de 79 está dispensado. Antes, os adolescentes de 14 e 15 anos e idosos acima de 66 anos que pediam o visto pela primeira vez não precisavam realizar a entrevista no consulado.
  • A renovação de visto na mesma categoria para solicitantes que tiveram o documento expirado há menos de 12 meses não necessita de entrevista.
  • O visto de estudante tem duração de 4 anos e a escola de inglês ou universidade vai fornecer a documentação para comprovar que você vai criar um vínculo estudantil. Um destes documentos é o Formulário I-20, ele é enviado até 4 semanas após a sua matrícula.
Los Angeles
Los Angeles

 

Existem alguns tipos de vistos de estudante nos Estados Unidos. Vamos aos mais importantes:

  •  Visto F-1 – Para quem deseja estudar em uma faculdade ou universidade americana ou estudar inglês em alguma escola ou faculdade credenciada.
  • Visto J-1 – Se for participar de algum programa de intercâmbio educacional ou cultural.
  • Visto M-1 – Se for realizar a sua matrícula em um programa profissionalizante ou não acadêmico.

Bom, vimos que ainda é possível viajar para os Estados Unidos, mas não se prenda somente lá, o mundo tem lugares incríveis para você conhecer e fazer o melhor intercâmbio de todos.

Clique aqui e confira os melhores pacotes para você estudar fora do Brasil.

trump

 

 

 

Como escolher o seu intercâmbio?

Postado por: Manu Cavalli/ 2156 0

Uma hora chega o momento de decidir: Vou fazer um intercâmbio! Mas por onde começar? Para onde eu vou? O que posso gastar? Veja os principais passos para você escolher o seu intercâmbio.

  • Que idioma você quer aprender?

Antes de mais nada, o principal é saber qual idioma você quer aperfeiçoar e assim decidir o país de seu destino. Existem países que possuem várias línguas, por ser povoado por diversas culturas, como o Canadá, normalmente as pessoas vão até lá para falar inglês, mas caso você queira estudar francês, você terá muita facilidade em encontrar pessoas que falam a língua, principalmente em Montreal e Quebec.

como escolher o seu intercambio

  • Que país quer conhecer?

Talvez a parte mais difícil e a mais legal, escolher o país é uma decisão que vai mudar a sua vida! Sim, é meio radical, mas escolher o país, principalmente para seu primeiro intercâmbio, é escolher o destino onde você vai realizar seu sonho e conhecer lugares que você sempre quis.

Quem nunca sonhou em conhecer o Grand Canyon ou a Torre Eifel. Então, para sua viagem ser perfeita, escolha o lugar do seus sonhos e embarque no avião.

Dica: Se você não possui condições financeiras em escolher o local que você desejaria, alguns lugares são incríveis e ainda você vai sair economizando, como Malta, Canadá, Irlanda e Argentina.

  • Em que cidade quer morar?

Sim, quando você acha que a parte difícil de escolher o país acabou, vem a parte de escolher a cidade, óbvio. Normalmente as cidades mais famosas tem todos os tipos de cursos de intercâmbio, então a escolha também vai ser feita um pouquinho com o coração.

Recomendamos que você escolha uma cidade com vários lugares legais e com muitas atrações (Quase todas são assim, então complica mais um pouco), como Nova York que tem a famosa Estátua da Liberdade ou a Times Square, ou Toronto, que possui uma das maiores torres do mundo e também possui parques de diversão incríveis como o Canadá’s Wonderland.

malta

  • Qual tipo de curso de idioma no exterior quer fazer?

O próximo passo é escolher qual o tipo de programa que você quer fazer. Existem programas para estudar, trabalhar ou fazer ambos. Clique neles para saber mais informações.

Estudar:

Trabalhar:

Ambos:

high school

 

  • Quanto tempo estudar no exterior?

O tempo que você vai ficar no exterior é influenciado por várias coisas, como o tipo de curso escolhido e a sua condição financeira.

Outro fator importante é o seu tempo disponível, normalmente as pessoas que trabalham fazem um intercâmbio de 4 semanas, já as pessoas que apenas estudam têm a disponibilidade das férias do fim de ano, podendo chegar até 3 meses.

Dependendo do curso, você pode fazer um intercâmbio com até 2 anos de duração.

  • Onde ficar durante o intercâmbio?

Também dependendo do seu destino e o tempo, saber escolher onde ficar no intercâmbio é muito importante.

Se for ficar entre 4 e 12 semanas recomendamos ficar em uma casa de família, além de você treinar seu inglês com as pessoas da casa, você também pode optar por fazer as refeições na própria casa, assim dedicando seu tempo inteiro ao estudo e em conhecer os lugares da sua cidade, e o melhor, é o mais econômico.

Outra opção de moradia é a residência estudantil, que na maioria oferece quarto individual. Banheiro e cozinha são coletivos. Pode ficar dentro da escola/universidade ou em prédios (geralmente) próximos ao local de estudo.

Se for ficar mais de 6 meses, você provavelmente (depende das regras do país) poderá trabalhar, sendo assim fica mais fácil para alugar uma casa.

intercambio

  • Entrar em contato com a melhor agência de todas

Você pode resolver todos esses passos sozinhos, mas caso queira alguma ajuda pode saber que a Travelmate vai te auxiliar do começo ao fim. Para entrar em contato clique aqui e converse com nossos representantes.

Quer conhecer alguns pacotes de intercâmbio? Clique aqui

Depois de tudo resolvido, basta pegar sua bagagem e partiu viajar!

livros

8 motivos para fazer universidade no exterior

Postado por: Manu Cavalli/ 1118 0

Estudar em universidades estrangeiras sempre vai ser benéfico para a sua vida pessoal quanto para a sua vida profissional. Existem diversas razões para você ir estudar fora, mas esses são os 8 motivos para fazer universidade no exterior que vão fazer você subir no avião agora e ir viajar.

  • Ensino de qualidade

Quando você sai do seu país para estudar, uma das principais, se não a mais importante, é uma universidade de qualidade. De acordo com o principal ranking de universidades, Times Higher Education (THE), das 100 melhores universidades do mundo, 44 ficam nos Estados Unidos e 31 ficam na Europa. (confira a lista completa das universidades clicando aqui)

Nenhuma universidade brasileira entrou para o top 100 do mais recente ranking mundial de instituições de ensino superior publicado em julho de 2016 pelo Center for World University Rankings (CWUR).

No topo, estão as renomadas Harvard (1º), Stanford (2º), seguidas pelo MIT, Cambridge e Oxford. Estados Unidos é o país com mais instituições de ensino no ranking, são 224, entre as mil listadas pelo CWUR. China tem 90, Japão tem 74 e Reino Unido, 65.

Então se você quer ter um estudo de alta qualidade é melhor ir pegando seu passaporte.

8 motivos para fazer universidade no exterior

  • Aperfeiçoamento da língua

Você nasceu, cresceu e viveu com a língua que seus grupos sociais falavam, e quando você for estudar em universidades no exterior não será diferente. Você até pode saber falar outro idioma, mas com a vivência e as experiências de morar e estudar em outro país é que você retornará ao Brasil com mais um idioma realmente fluente na bagagem.

Com a globalização, é muito importante dedicar-se a aprender novas línguas. O inglês não é mais um diferencial, é imprescindível ao candidatar-se a uma vaga de emprego e fator preponderante para seleção dos candidatos; o que transforma o espanhol na terceira língua, como verdadeiro elemento agregador de valor aos currículos. Além disso, você pode morar em outro país, viajar sem problemas com a língua e realizar cursos mais especializados e reconhecidos mundialmente.

Se você optar por morar fora, para trabalhar ou em busca de uma vida melhor, terá que se comunicar fluentemente no idioma local para suprir suas necessidades básicas. Caso vá para estudar, o idioma será necessário e muito exigido, já que precisará adaptar-se e compreender as informações que pretende absorver e externar para obter conhecimento. Quando for viajar para curtir suas férias fora do país, a comunicação com guias turísticos, taxistas, garçons será muito importante para aproveitar os momentos de diversão, lendo cardápios, placas, guias, mapas, comprar comida e ingressos.

Se você está pensando em viajar, fique sabendo que terá vários desafios pela frente.

aperfeiçoar a lingua

 

  • Diversas áreas para se especializar

No Brasil, as universidades oferecem uma quantidade limitada de cursos, mas nas melhores universidades do mundo, além de possuir um estudo de alta qualidade, você pode ter a certeza que encontrará diversas áreas únicas para se especializar, como Estudos de Museus, por exemplo! E mesmo nos cursos tradicionais, um diploma obtido no exterior é uma vantagem que colocará você muito à frente de qualquer concorrente no mercado de trabalho.

Se você quer ser diferenciado, prepare as malas e vamos viajar!

diversas areas para se especializar

 

  • Novas Pessoas

Para estudar fora você precisará fazer alguns esforços, sendo eles deixar por um tempo a sua família, amigos, cachorros, etc. Por outro lado, pode ter a certeza que você vai encontrar pessoas novas e que elas vão agregar muito em sua vida, com histórias, modos de viver, culturas diferentes e claro, você também irá transmitir a sua cultura para eles.

Morando em um novo país as “definições de amizade serão atualizadas”! (Leia com a voz da mocinha do Avast).  Você vai aprender a chamar um amigo para ir ao supermercado com você, por exemplo, e acredite: esses “passeios” são divertidíssimos. Os amigos em um país diferente são mais que amigos, se tornam referências, guias de viagens, críticos de restaurante, e as vezes os próprios cozinheiros! (É só falar que vai fazer uma caipirinha do Brasil)

Em geral, as amizades são fortes, próximas e simples, e você sentirá um carinho por essas pessoas por muito tempo, mesmo depois de voltar para o Brasil.

Então prepare-se para conhecer novos amigos de diferentes estilos!

novas amizades

 

  • Novas Culturas

Novas pessoas te levam a novas culturas e isso é uma das razões mais legais de viajar para o exterior. Além de seus novos amigos, você encontrará diversas pessoas nas ruas, shoppings, parques, e todas elas com diferentes modos de viver.

Com certeza você terá outra visão do mundo e da sua própria cultura.

Quando você estiver em uma praia da Europa e centenas de mulheres estiverem fazendo topless e ninguém estiver nem aí, ou quando estiver subindo uma escada rolante e pessoas te “ultrapassarem” pela esquerda, você vai ver que os costumes são completamente diferentes de um país para outro, mas que é possível se adaptar e admirar cada um deles.

Abra a sua mente, pegue sua passagem e entre no avião.

novas culturas

 

  • Adquirir conhecimento

Depois de estudar em uma universidade boa, aperfeiçoar a língua do país, conhecer novos amigos e outras culturas, consequentemente você estará adquirindo conhecimento. Essa viagem mudará o seu estilo de vida, o seu senso crítico e alimentará ainda mais a sua vontade de viajar novamente e fazer tudo isso de novo.

conhecimento

 

  • Mercado de trabalho

Talvez um dos principais pensamentos que você tem quando vai sair do Brasil para estudar é em relação ao seu curriculum. E sim, seu curriculum será turbinado, não apenas pelo seu estudo na universidade do exterior, mas também por você demonstrar independência, conhecimento, opiniões diferenciadas, experiências fora da zona de conforto, e tudo isso te ajudará a dar um grande passo na direção do emprego que você sempre sonhou, ou ainda poderá te dar todas as ferramentas, contatos e ideias para conseguir lançar sua startup e ganhar o mundo.

Viaje, estude e conquiste coisas incríveis em sua vida.

mercado de trabalho

 

  • Novas ideias

E por fim, temos a certeza que você vai voltar ao Brasil totalmente renovado e cheio de ideias. A experiência te trará novos olhares e com isso vem a vontade de colocar as ideias no papel, podendo ser soluções pequenas para a sua própria vida como soluções que podem mudar a vida de muitas outras pessoas.

novas ideias

Acho que essas 8 razões já são suficientes para mostrar que estudar em uma universidade no exterior pode ser uma das melhores escolhas da sua vida, hein?

Quer saber passo a passo como estudar fora do Brasil? Acesse aqui e torne seu sonho em realidade.

 

 

 

usa1

Os 6 melhores lugares para estudar fora do Brasil

Postado por: Manu Cavalli/ 580 0

Sabemos que fazer a escolha do país que você irá estudar é difícil, mas ao mesmo tempo é muito divertido, afinal você está escolhendo o país que você viverá por um tempo.

Existem diversas opções de lugares incríveis e hoje estaremos mostrando os 6 melhores lugares para estudar fora do Brasil e quem sabe já decidir o futuro de sua viagem.

  • Canadá

O Canadá é conhecido pelas baixas temperaturas, pelo hockey e pela Maple Leaf que está presente em sua bandeira, mas há muitos outros motivos para escolher o Canadá para estudar.

Assim como a maioria dos países, o Canadá possui muitas belezas naturais como exemplo: A cordilheira Rocky Mountains, muito visitante pelos turistas. Além disso, o Canadá possui as melhores escolas do mundo e é um dos países que mais recebem intercambistas.

Os 6 melhores lugares para estudar fora do Brasil

O país ficou na 7° posição em uma pesquisa feita pela ONG Vision of Humanity, que listou os países mais seguros do mundo, nesta lista o Brasil aparece na 91° posição.

O Canadá é um país com muita diversidade, é considerado um país de imigrantes, possui muita variedade cultural de todos os lugares do mundo. Essa diversidade tornou o Canadá um país tolerante e que sempre está de braços abertos para os estrangeiros.

Conheça os melhores pacotes para você ir para o Canadá, seja para estudar, trabalhar ou apenas viajar!

 

  • Estados Unidos

Os Estados Unidos são a potência mundial em quase tudo, como a economia, a cultura, a educação entre outras coisas. O país abriga 50 Estados e um Distrito Federal. O berço do mundo, os Estados Unidos é o principal país quando se fala em lançamento, coisas inovadoras, parques de diversões, festivais.

Quando se pensa em Estados Unidos se pensa em…comida! Como os Estados Unidos é povoado por diversas culturas, a quantidade e variedade de comidas lá é surreal, e como de costume, eles são bem exagerados nas refeições, como comer bacon já de manhã. (Não que seja uma má ideia)

Confira o vídeo que foi festa em um dos festivais lá nos Estados Unidos, o Bacon Festival:

Os Estados Unidos possuem uma das melhores educações mundiais e estima-se que 99% da população americana seja alfabetizada.

Com a educação lá em cima e a quantidade de cidades atrativas no país, os Estados Unidos se tornou o país com mais intercambista do mundo, e sabemos que os estudantes não se arrependem de viajar e estudar na potência mundial.

Conheça os melhores pacotes para você ir para o Estados Unidos, seja para estudar, trabalhar ou apenas viajar!

 

  • Austrália

A Austrália é conhecida por seus esportes radicais, nadar com tubarões, pelas praias paradisíacas para o surf, os bichos que nela habitam e muito mais. Muitos não sabem, mas a capital é Canberra, cidade que possui muitos bares, baladas, pontos turísticos e museus, mas o país também tem outras cidades excepcionais como: Brisbane, Sydney, Melbourne, Perth, Gold Coast, etc.

Você sabia? Sydney e Melbourne brigaram tanto para serem escolhidas a capital da Austrália que o governo resolveu escolher Camberra.

O clima na Austrália é muito parecido com o Brasil, além de ter diversas belezas naturais, belas praias e ser um país desenvolvido.

A educação na Austrália é de essencial responsabilidade dos seus estados e territórios. Cada governo fornece o financiamento e regula as escolas públicas e privadas com sua área de administração.

Se você for estudar por no mínimo 3 meses na Austrália, você já tem o direito de trabalhar 20 horas semanais. Já dá uma ajudinha para pagar a viajem, não é mesmo?

Conheça os melhores pacotes para você ir para o Austrália, seja para estudar, trabalhar ou apenas viajar!

 

  • Nova Zelândia

A Nova Zelândia fica a 1500 km da Austrália e é composta em sua quase totalidade por duas ilhas principais: a Ilha do Norte e a Ilha do Sul. Wellington é a capital da Nova Zelândia, com aproximadamente trezentos e quarenta mil habitantes. A cidade é importante centro financeiro e comercial na Nova Zelândia.

A infraestrutura turística do país é excelente e atrai milhares de visitantes e mochileiros todos os anos. Todo o país é muito bem servido por pousadas, albergues, centros de informações turísticas e muitas, mas muitas alternativas de lazer.

O país tem a cultura de estar sempre praticando esportes, principalmente os radicais. O esporte mais famoso do país é o rúgbi e a seleção nacional é chamada de All Blacks. Os All Blacks são o time de rúgbi de maior sucesso internacional, e também os atuais detentores da Copa do Mundo. Antes de cada partida, os jogadores dançam a haka, dança tribal dos maoris, que repetiam o ritual antes de cada. Confira no vídeo abaixo:

O ensino é realizado majoritariamente em inglês, e graças a isso, a Nova Zelândia tornou-se um país alternativo para aprender e aperfeiçoar este idioma em uma cultura com tradições diferentes dos países anglo-saxões europeus.

Conheça os melhores pacotes para você ir para a Nova Zelândia, seja para estudar, trabalhar ou apenas viajar!

  • Irlanda

A Irlanda é um país encantador, na sua cultura, belezas naturais, na sua história. A Irlanda possui 6 milhões de habitantes e a língua oficial é o inglês, mas caso você para lá, não ache estranho se alguém estiver falando irlandês.

Dublin, capital da Irlanda, é a cidade mais visitado e frequentada pelos intercambistas. A cidade possui wi-fi gratuito, os ônibus também têm acesso liberado.

Como a Nova Zelândia, os irlandeses também são fascinados no rúgbi e o país está em quinto entre os melhores do mundo.

A Irlanda possui alguns costumes diferentes, como tomar chá e cerveja a qualquer momento do dia. Outra curiosidade é que o país adora usar moletons, as vezes até maiores que o normal para o seu corpo, então não estranhe se eles não estiverem na “moda”.

Com mais de 40 escolas de ensino superior pelo país, a Irlanda tem sete delas entre as melhores do mundo, e duas entre as 150 primeiras colocadas no ranking da QS World University Rankings® de 2014/2015, que avalia mais de 3.000 instituições e classifica as 800 melhores do mundo.

Conheça os melhores pacotes para você ir para a Irlanda, seja para estudar, trabalhar ou apenas viajar!

 

  • Inglaterra

A Inglaterra, país uma população de 54 milhões de pessoas, é o território da Rainha Elizabeth, que se tornou rainha em 6 de fevereiro de 1952 e está até os dias de hoje.

A Inglaterra é considerada o país berço do futebol. Além do futebol, os ingleses criaram o cricket, badminton, tênis, hockey de campo, rugby e tênis de mesa.

Londres, capital da Inglaterra, é uma importante cidade global e é um dos maiores, mais importantes e influentes centros financeiros do mundo. Londres possui forte influência na política, finanças, educação, entretenimento, mídia, moda, artes e cultura em geral, o que contribui para a sua posição global.

Para os fãs de Harry Potter, a Warner Bros abre as portas do estúdio que serviu de locação para as filmagens da série., e o mais legal, você pode fotografar todo o passeio, incluindo o quarto de Harry embaixo da escada dos Dursley, o escritório de Dumbledore, o Salão Comunal e até a sala da odiosa Dolores Umbridge.

O ano letivo tem três períodos, no entanto cada período é divido em dois half-term. O ano inicia-se na primeira semana de setembro e termina no final de julho. O horário escolar é semelhante na primária e secundária. As aulas começam entre as 8.30 e 9 horas e acabam por entre as 15 e as 15.30.

Conheça os melhores pacotes para você ir para a Inglaterra, seja para estudar, trabalhar ou apenas viajar!

Tenho certeza que a vontade de estudar fora do Brasil aumentou depois de ler esse texto. Que tal conferir alguns pacotes para esses países? Ou melhor, para diversos países? Clique aqui e comece a realizar seu sonho!

 

Cinco motivos para você escolher a Austrália para o seu intercâmbio

Postado por: Manu Cavalli/ 313 0

A Austrália é um país lindo, e certamente um destino amado por muitos. Nós selecionamos cinco motivos para você escolher a Austrália como o país do seu intercâmbio! Confira!

 

1 – A Austrália é um país multicultural 

Viver na Austrália é, na verdade, estar em contato com o mundo todo. Se você estiver disposto a fazer amigos de diferentes nacionalidades, pode ter certeza que lá é o lugar certo. Japoneses, chineses, indianos, europeus, chilenos, americanos, enfim… A multiculturalidade na Austrália é incrível! E cá entre nós, tem coisa melhor do que conhecer pessoas de diversos países e ter um contato em cada canto do mundo?

multicultural

 

2 – A Austrália é um país para todos os gostos 

Apesar de a Austrália ser frequentemente associada as suas belas praias, o país possui uma diversidade fantástica de atrações. Bom, para quem gosta de praia, não é preciso falar muito. Mas morando no país, você pode conhecer uma variedade enorme de lugares, como o famoso deserto do Outback, montanhas, lugares com animais exóticos, pode esquiar na neve e pode até mesmo escolher entre uma cidade mais quente ou mais fria.

ausneve

 

3 – As cidades australianas sempre estão entre as melhores do mundo 

As cidades da Austrália sempre estão nas listas das melhores do mundo em alguma coisa.

Por exemplo, Sydney é considerada uma das cidades mais seguras do mundo, Melbourne já ganhou diversas vezes o posto de melhor cidade para se viver do mundo, e até mesmo o país sempre está no Top 10 dos países mais felizes do mundo. Com certeza há algo de muito bom nesse país, não é?

 

4 – Os australianos são um povo muito simpático

Alguns países do mundo, apesar de serem o sonho de muitos, são também conhecidos por sua “falta de simpatia com estrangeiros”. A Austrália certamente não é um deles. Os australianos, de maneira geral, são pessoas extremamente educadas e simpáticas, dispostos a ajudar e sempre de bom humor.

felizaus

 

5 – Os australianos adoram esportes

Se você adora praticar esportes, na Austrália você irá encontrar uma grande variedade de modalidades para escolher e até mesmo aprender novos esportes. Os australianos amam surfar, nadar, pedalar, correr, jogar cricket, golf, rugby e o famoso futebol australiano – o footy -, parecido com o rugby, mas com suas próprias regras. Os australianos se preocupam muito com a saúde e a beleza, portanto são um povo bastante ativo.

footy

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Lugares imperdíveis para visitar na Austrália

Postado por: Manu Cavalli/ 254 0

A Austrália é um país cheio de diversidade. Confiram aqui alguns dos lugares mais incríveis para visitar láááá do outro lado do mundo.

 

Great Ocean Road 12 Apóstolos

Não à toa, a Great Ocean Road, no estado de Victoria, é considerada uma das estradas mais fascinantes do mundo! Chega a ser perigoso se distrair durante a viagem de carro com sua beleza! O ponto alto da viagem são os 12 Apóstolos, colunas de arenito esculpidas pelo vento e pelas ondas.

Great Ocean Road

 

12 Apóstolos

 

Ilhas Whitsundays Grande Barreira de Corais

As Ilhas Whitsundays são um arquipélago de ilhas de areias brancas, banhadas por água de um tom impressionante de azul! É um cenário fascinante! Além disso, estão cercadas pela Grande Barreira de Corais, o maior recife de corais do mundo, em que é possível praticar um dos mergulhos mais belos e inesquecíveis do planeta! J

Ilhas Whitsundays

 

Grande Barreira de Corais

 

Ópera House, Sydney

Sydney é o principal destino da Austrália, muitos até acham que a cidade é a capital do país (é Camberra), e um dos pontos altos da cidade, sem dúvidas é a incrível Ópera House. É símbolo de referência por seu design e arquitetura desde seu ano de inauguração, em 1973.

 

Uluru, Ayers Rock

Este é um dos cartões postais australianos, sem dúvidas. A pedra sagrada dos aborígenes está localizada na região central do país – outback – e tem uma beleza incomum e fantástica! O pôr-do-sol torna o visual ainda mais fascinante com a cor de fogo que deixa sobre a rocha. Imperdível!

 

Baía de Wineglass, Tasmânia

A Tasmânia é um destino diferente na Austrália, mas que vale a visita como um todo. São muitos os passeios possíveis e incríveis para se fazer no estado, mas a Baía de Wineglass é um dos destaques, pois possui uma paisagem lindíssima e é considerada uma das praias mais lindas do mundo!

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio, viagens e programas, entre em contato com a gente!

6 programas de intercâmbio para trabalhar no exterior

Postado por: Manu Cavalli/ 1172 0

Nessa terça-feira, a EXAME.COM publicou uma notícia sobre programas de intercâmbio para trabalhar no exterior. Camila Pati, a autora, listou seis tipos de programas para trabalhar no exterior e o que cada um deles tem a oferecer.  Se você tem vontade de fazer intercâmbio e quer investir em sua carreira, essa é a oportunidade! Sem contar o salário, né?

Programas de intercâmbio que incluem trabalho têm feito sucesso entre os brasileiros. Em muitos casos é possível, além de recuperar o dinheiro investido, ainda garantir recursos para viajar e se manter durante a estada no país.

Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, França, Alemanha e Holanda são alguns dos países para os quais há opções de trabalho que pode ser remunerado ou não.

Confira alguns dos programas que o diretor de intercâmbio da Travelmate, Eduardo Heidemann, cita entre os mais procurados na agência.

 

TRABALHO NOS EUA

size_810_16_9_estacao-de-esqui-nos-eua

O Work & Travel nos Estados Unidos é programa de trabalho mais procurado da Travelmate, segundo Eduardo Heidemann, diretor de intercâmbio. Ele é realizado durante as férias de verão aqui no Brasil e é voltado para universitários entre 18 e 28 anos com conhecimento intermediário, no mínimo, de inglês.

Os jovens passam entre três e quatro meses trabalhando em estações de esqui, hotéis, resorts e restaurantes. A média salarial fica normalmente entre 7,25 e 12 dólares por hora, variando conforme empregador e função.

Heidemann aponta o custo, que não é alto, como o principal atrativo do programa. “Além disso, trabalhando, o jovem consegue recuperar o dinheiro investido e se manter enquanto está lá, além de não prejudicar as aulas no Brasil”, diz.

 

TRABALHO E ESTUDO

size_810_16_9_auckland

Muitos brasileiros estão preferindo países que permitem que estudantes estrangeiros trabalhem. É o caso de Canadá, Irlanda, Austrália e Nova Zelândia (foto), em que é possível frequentar uma escola de idiomas, por exemplo, e também trabalhar nas horas vagas.

A busca de emprego fica por conta do estudante, mas há algumas escolas que dão auxílio aos seus alunos interessados em trabalhar. Na Travelmate, programas desse tipo são chamados Work & Study.

 

ESTÁGIO NOS EUA E AUSTRÁLIA

size_810_16_9_sydney

Interessados em adquirir experiência profissional e que tenham nível avançado de inglês podem optar por fazer estágio. Programas dessa modalidade são para universitários, estudantes de pós-graduação e recém-formados há, no máximo, um ano.

Há vagas em diversas áreas nos Estados Unidos e também na Austrália (foto), segundo o diretor de intercâmbio da Travelmate. “Tem estágio em engenharia, administração, tecnologia, recursos humanos. Mas há maior número de oportunidades nos dois países para trabalhar com hospitalidade e gastronomia”, diz Eduardo Heidemann.

O processo seletivo é feito no Brasil, o jovem já sai daqui sabendo para quem vai trabalhar e há opções remuneradas e não remuneradas que duram de três a 18 meses nos Estados Unidos.

Na Austrália há também estágios pagos e não pagos e a duração pode variar entre um mês e seis meses. Há limite de idade de 35 anos para estágio nos Estados Unidos e 30 anos para estágio na Austrália.

 

AU PAIR E DEMI PAIR

size_810_16_9_au-pair

Os dois são programas de trabalho remunerado, em que o estrangeiro mora com uma família e ajuda no cuidado com as crianças da casa. Nível, ao menos, intermediário de inglês ou do idioma do país de destino é um requisito, assim como experiência prévia no trabalho com crianças.

O trabalho como au pair é integral e há oportunidades nos Estados Unidos, Alemanha, França e Holanda, segundo o diretor de intercâmbio da Travelmate. O estrangeiro recebe, além da remuneração, estadia e alimentação. Nos Estados Unidos, a passagem de ida e volta também é paga pela família contratante. O programa dura, geralmente, um ano, mas pode chegar a dois anos, período máximo permitido. É para quem tem entre 18 e 26 anos, é solteiro e não tem filhos.

Já o programa de demi pair é realizado na Austrália é de meio período de trabalho cuidado de crianças e meio período de estudo obrigatório em escola de inglês. Podem se candidatar solteiros sem filhos que tenham entre 18 e 35 anos.

De acordo com Eduardo Heidemann, mulheres geralmente têm a preferência das famílias, mas homens que sejam qualificados também podem ser aceitos. ” Já tivemos casos de sucesso com candidatos homens também”, diz.

 

TRABALHO NA FRANÇA

size_810_16_9_cafe-paris

Jovens universitários entre 18 e 26 anos podem participar de programa de trabalho na França voltado para a área de hospitalidade e gastronomia. Dura entre dois e três meses e é feito durante as férias de verão aqui e de inverno lá.

É preciso ter nível de francês no mínimo intermediário para trabalhar em bares, restaurantes, hotéis e estações de esqui francesas.

 

CURSOS PROFISSIONALIZANTES E TRABALHO NO CANADÁ

size_810_16_9_canada

“Temos visto aumentar o número de interessados em emigrar do Brasil”, diz o diretor de intercâmbio da Travelmate, Eduardo Heidemann.

O país que mais atrai atualmente, de acordo com ele, é o Canadá. O caminho escolhido, geralmente, passa pela matrícula em curso profissionalizante de longa duração nos chamados Colleges, que permitem trabalho durante meio período. “Depois deste curso, o estrangeiro pode ficar até dois anos trabalhando no país e então pode dar entrada no pedido de visto permanente”, diz Heidemann.

Ele explica que muita gente tem levado a família junto. E que a vantagem é que o acompanhante pode trabalhar período integral e os filhos podem ser matriculados no ensino público canadense durante o programa.

 

Se você quiser ver a matéria na íntegra, é só clicar aqui.