23

nov
2016

Isabelle Lehmkuhl – High School

Postado por: Manu Cavalli/ 214 0

Tem intercambista nova na área! A Isabelle Lehmkuhl tem um blog onde ela fala sobre vários assuntos, inclusive seu intercâmbio. Como nós adoramos ouvir o que os viajantes tem a contar, vamos compartilhar aqui os textos da Isa.

Ela vai passar seis meses em Saint Stephen, no Canadá, uma cidadezinha pequena e aconchegante, daquelas de filme! Ela chegou há pouco tempo mas já tem muita coisa pra mostrar! Olhá só:

 

Viagem e primeiras impressões

 

isa_1

“Finalmente.

A todos que tem esperado uma postagem falando sobre como está sendo aqui no Canadá, minhas sinceras desculpas. Hoje faz exatamente duas semanas que eu cheguei e só agora que consegui um tempinho pra escrever. Eu andei ocupada e, quando não estava fazendo alguma coisa, estava cansada demais para escrever… Mas tenho muitas coisas para contar para vocês, desde o dia primeiro de setembro, quando sai de Curitiba, até hoje, muito aconteceu!
Pois então vamos lá!

CURITIBA – SAINT STEPHEN
Dia primeiro de setembro eu e mais algumas pessoas partirmos para o Canadá (a maioria de nós para New Brunswick). Essa longa viagem começou “cedo”. 8h50am eu tinha que estar no aeroporto para fazer check-in e despachar a minha mala para, as 11h50am, pegar meu voo para Guarulhos. Me despedi da minha família sem choro, só com o sentimento de que eu estava fazendo o melhor pra mim e para o meu futuro (se bem que eu quase chorei quando fui me despedir do meu irmão. Quase!).
Eu e mais cinco pessoas saímos de Curitiba e fomos para Guarulhos. Lá, uma pessoa representando nossa agência estava nos esperando e nos ajudou com tudo o que precisávamos. Almoçamos e algumas outras pessoas que iriam para o Canadá conosco foram chegando. No total fomos em um grupo de 11 pessoas. Após muito tempo no aeroporto finalmente fomos para o embarque do nosso voo de Guarulhos para Toronto, que saiu 20h05pm. Passamos pela polícia federal e fomos para o nosso portão, “um pouco” ansiosos e nervosos para ir. Alguns de nós ficaram sentados juntos durante o voo de 10 horas e 30 minutos, alguns não. Eu fiquei sentada do lado de um americano e, assim que eu entrei e fui me sentar, ele já me perguntou algo. Em inglês. Gaguejei mas respondi. Eu não estava preparada para falar inglês ainda! O meu psicológico só estava preparado para falar inglês quando chegássemos em Toronto e olha lá! Mas ele não parava de falar, perguntar coisas… e, em algum momento, meu nervosismo de falar inglês e errar alguma coisa passou. Tenho muito para agradecer aquele senhor que ocupou todo o apoio de braço pois, quando eu cheguei em Toronto e tive que falar em inglês na imigração e com as pessoas do aeroporto, eu não poderia estar mais tranquila.
Durante a viagem eu consegui dormir umas 3 horas. Dormia 10 minutos e acordava com dor em algum lugar. Trocava de posição, dormia por mais 10 minutos e acordava com dor em algum lugar e por aí foram as 10 quase 11 longas horas. Antes de entrar no avião conversei com meus colegas intercambistas e eles disseram que a comida do avião era muito ruim. Poxa. Eu esperava comer algo gostoso para compensar todo o tempo que passaria esmagada em uma pequena cadeira (que, no final, não era tão pequena assim, minhas pernas ficaram só um pouco espremidas)!
Acabou que, de jantar comi carne com arroz e alguns legumes, salada, pão e um pudim de chocolate de sobremesa. De café da manhã comi panquecas, pão e algumas frutas. E tudo estava muito gostoso!
Após chegarmos em Toronto (por volta de 05h40am do horário de lá), passarmos por um milhão de lugares aonde verificaram nossos documentos e essas coisas, cada um foi para o seu lado e eu fiquei novamente com um pequeno grupo de pessoas que também iriam para meu próximo destino, Fredericton. O avião que ia para lá saia de Toronto 8h15am. Chegamos em Fredericton por volta de 11h20. Várias famílias estavam lá, com balões e plaquinhas, esperando ansiosamente os novos integrantes de suas famílias. Mas adivinha? A minha não estava. Eu procurei e procurei e não via nenhum deles. Fui procurar uma tomada para carregar meu celular, que estava sem bateria, para ver se eles tinham mandado alguma mensagem, porém, nenhuma mensagem. O host dad de uma das garotas que veio comigo de Curitiba me chamou e conversamos um pouco, ele perguntou aonde estava a minha família e eu disse que não sabia. E aí, tcharam, eles chegaram! Foi tão engraçado, eu já estava um pouco nervosa e, assim que os vi, apontei para eles e dei um grito! O meu host brother estava segurando uma plaquinha que dizia “Welcome Isabelle”. Eu não poderia ter amado mais! Saímos do aeroporto e fomos almoçar em um restaurante japonês. Após isso passamos em algumas lojas e partimos para mais uma viagem, que durou cerca de 1h30, para a cidade que agora é a minha casa, Saint Stephen.

FAMÍLIA, CASA, CIDADE.
No dia que eu cheguei em Saint Stephen, uma sexta, uma festa de despedida ia acontecer na minha casa. Uma estudante da universidade morou na casa da minha host family por volta de 2 anos e iria embora no domingo. Fizemos uma fogueira, compramos muitos doces e salgadinhos, veio bastante gente. Conversei com varias pessoas e, surpreendentemente, consegui aproveitar a festa até por volta da meia noite.
Eu fiquei surpresa quando cheguei na casa, era enorme, mas também me senti em casa. Crianças correndo, brinquedos espalhados, risadas. Mesmo sendo tao longe, e bem parecida com a minha casa e família do Brasil. Eu tenho uma cama de casal e um closet, meu quarto também é o único no primeiro andar. Acordo com uma linda vista e quase todos os dias desde que cheguei aqui foram ensolarados. A cidade e pequena e aconchegante, toda vez que saímos de casa encontramos algum conhecido. Uma coisa que achei diferente é que, sabe aquela coisa chamada de faixa de pedestres? Pois é, os carros param para os pedestres passarem. E, nas ruas principais, em quase todos os semáforos, tem aqueles botões que o pedestre aperta para avisar que quer atravessar a rua. E normalmente o sinal abre para você no segundo em que você aperta!
No meu primeiro final de semana aqui fizemos uma pequena viagem para uma cidade vizinha, Saint Andrews. Cidade praiana e turistica daquelas que você compra uma camiseta para o parente que diz “Estive em Saint Andrews e lembrei de você!”. Comi um famosa prato pela primeira vez, fish & chips e adorei. Muitas descobertas aconteceram durante esse meu curto período aqui e muitas ainda estão por vir.

COLÉGIO
Minhas aulas começaram dia 7 de setembro, uma quarta. Porém, no dia anterior, eu e todos os outros intercambistas fomos para o colégio para uma orientação. Além de mim, tem mais 7 estudantes brasileiros. Alguns da Alemanha, Espanha, México e Turquia. Todos são muito legais, todos passando pela mesma experiência. No primeiro dia eu recebi meu horário de aulas e fiquei surpresa. Nada de matemática, nada de história, nada de biologia, química, física, geografia… Só tinham as aulas “legais”. Como preciso fazer algumas matérias para validar minhas notas quando voltar para o Brasil, tive que mudar todas as matérias. Meu horário ficou assim: na primeira aula eu tenho culinária, na segunda história, na terceira tenho literatura, na quarta biologia, na quinta aula todos os alunos tem uma aula “livre” na qual ficamos em uma sala e fazemos os deveres de casa ou estudamos para alguma prova. Eu tenho essas mesmas aulas todos os dias da semana. Tenho que admitir que achei essa estrutura bem melhor do que a que a que eu sempre estudei no Brasil. Nós temos aqui uma relação bem mais conectada com o professor e também temos tempo para fazer trabalhos e coisas do tipo nas aulas, por termos várias. Minhas aulas começam 8h20am e terminam 15hpm. Passo a maior parte do meu dia lá e, sinceramente, não acho ruim, muito pelo contrário. Não é um ambiente sufocante igual ao qual eu estava acostumada no meu curso pre vestibular. É confortável, amigável e aconchegante. <3″

 

Gostou? O blog dela tá cheio de outros legais, é só acompanhar!

Administrator

Analista de marketing digital na agência Sirius Soluções Digitais. Esporte preferido: Futebol, no qual sou fanático e acompanho o que for possível. Hobby: Jogar vídeo-game. Sonho: Viajar para diversos lugares.

Deixe o seu comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, digite seu nome
Por favor, digite o seu e-mail
Por favor, digite um e-mail válido