10

nov
2017

Malta: Uma Ilha de Amigos – Lígia de Castro

Postado por: Manu Cavalli/ 554 0

Olá, sou Lígia, a menina do meio dessa foto. Todas essas pessoas encontrei nessa ilha que, há 6 meses atrás, nem imaginava que seria o destino mais feliz e abençoado.

Tudo começou no ano de 2016, quando a ideia de realizar um intercâmbio voltava de novo à cabeça, fui em uma, duas, cinco agências até que conheci a Luiza, na Travelmate.

Decidida a viajar e estudar, tinha algumas opções em mente: Irlanda, África do Sul e até Estados Unidos. Até que Luiza apresentou a combinação perfeita: praia + calor + preço acessível e paisagens paradisíacas. Fechamos uma experiência única ali!

Quando o avião aterrissava ao meio dia, em uma ilha, em pleno verão europeu, só pensei: “Essa foi a melhor decisão da minha vida”. E, realmente, foi.

A ilha de Malta é linda, água azul cristalina, vida noturna agitada, muitos turistas de todos os lugares do mundo, vento (muito vento) e maioria dos prédios e casas são construídos com pedra calcária, o que dá à ilha a mesma cor.

Fiquei no bairro Swieqi, próximo do centro, de mercados, restaurantes e das festas. Uma vizinhança de estudantes. Obrigatoriamente tranquila, até mesmo porque os guardas noturnos estavam sempre alertas.

O transporte público tem ótima estrutura e o ticket (2 euros) vale por duas horas, o que é muito bom para fazer o trajeto de um ponto turístico a outro. Mas não pense que o tal “horário britânico” se estende por toda a Europa. O ônibus demora.

Em relação aos preços, mercado (exceto, carne e salada) é mais acessível comparado ao Brasil, passagens aéreas, roupas, calçados e, claro, chocolate, também.

Para quem gosta de festa, não deixe de passar pelo bairro de Paceville, uma rua/escadaria repleta de casas noturnas com diversos estilos musicais. E, o melhor, entrada gratuita e vários “free drinks”.

Depois da balada, em qualquer dia e horário, não se preocupe em caminhar pelos bairros, Malta é extremamente segura.

Na ilha, o idioma oficial é o maltês, mas 99% de sua estadia você irá ouvir inglês, afinal, todo mundo fala inglês e muito bem. Assim, caso seu objetivo seja como o meu, aprender o idioma britânico, Malta é o ambiente perfeito: variedade de sotaques e professores qualificados.

E, para finalizar, não poderia deixar de indicar os locais mais bonitos do país e suas ilhas: Comino/Blue Lagoon (travessia por barco), Gozo (travessia por ferry), passeio de barco por Blue Grotto, a belíssima capital Valleta, a noite romântica em Mdina, a feirinha de Marsaxlokk, a prainha de Paceville, a pitoresca Popeye Village, o bairro de Saint Julian’s e algumas das 360 igrejas distribuídas por toda ilha.

Para auxiliar no transporte, uma sugestão é alugar um carro (30 euros/dia) ou quadriciclo (50 euros/dia) e atravessar a ilha, são apenas 316 km². Mas atenção, em Malta o trânsito é mão inglesa e os motoristas não têm muita paciência com os novatos condutores.

Lígia de Castro – Jornalista

Administrator

Analista de marketing digital na agência Sirius Soluções Digitais. Esporte preferido: Futebol, no qual sou fanático e acompanho o que for possível. Hobby: Jogar vídeo-game. Sonho: Viajar para diversos lugares.

Deixe o seu comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, digite seu nome
Por favor, digite o seu e-mail
Por favor, digite um e-mail válido