janeiro 2018

higher education

Como escolher entre High School ou Higher Education

Postado por: Tatiana Serbena/ 749 0

A pergunta “qual é a melhor idade para fazer intercâmbio” costuma rondar a cabeça de muitos pais e estudantes que têm um intercâmbio em vista e estão entre High School ou Higher Education. Pois bem, a melhor resposta para esta dúvida é justamente que não há resposta certa! Escolher fazer um intercâmbio é uma decisão muito pessoal e a hora certa para acontecer vai depender dos objetivos e motivações de cada um.  Por este motivo é tão importante conhecê-los, pois com isso, vem a certeza do momento mais propício do seu intercâmbio acontecer.

high school ou higher education
High School ou Higher Education

 

Antes de conhecer algumas dicas para definir o melhor momento para um intercâmbio, vamos entender as principais diferenças entre High School e Higher Education? De forma breve, High School é uma modalidade de intercâmbio em que o estudante cursa uma parte ou todo o ensino médio no exterior, substituindo o mesmo período de estudos no Brasil com reconhecimento e validação do Ministério da Educação. Já o Higher Education se difere em termos de nível de estudo, pois está relacionado ao Ensino Superior. O intercambista pode optar por fazer um curso que seja voltado mais para as demandas do mercado de trabalho ou optar por um programa essencialmente acadêmico.

Sabendo para que cada um está destinado, vamos ver alguns pontos que devem ser levados em conta na hora de decidir se você vai para o intercâmbio durante o ensino médio ou se vai durante ou após a graduação? Vamos lá.

 

  1. A vontade precisa ser sua

Seja com 15 ou com 20 anos, é preciso que a vontade e consequentemente a decisão de fazer intercâmbio sejam suas. É comum que existam palpites vindo de todos os lados, principalmente dos pais. Porém, por mais que a opinião e o desejo deles contem muito, o desejo de viver, estudar e morar no exterior precisa estar dentro de você.

 

  1. Encontre e defina os seus objetivos

Ter claro o que você busca e o que quer alcançar com um intercâmbio é essencial para o seu sucesso não só quando estiver lá fora, como também quando voltar. Assim, você saberá o momento certo de ir e se é fazendo um High School ou um Higher Education que você vai conseguir o que deseja.

 

  1. Custos

Gastos sempre devem ser planejados. Atente-se ao momento. Na hora de montar um orçamento para a viagem, leve em consideração gastos que vão além das despesas fixas da mensalidade do curso. Considere passagem aérea, acomodação, alimentação, transporte, viagens extras e passeios. Afinal, todo mundo quer conhecer um pouco além dos limites da sua cidade e isso faz bem!

 

  1. Independência

No intercâmbio High School, a vida é um pouco mais regrada, considerando a idade do intercambista. Por ser menor de idade, você não poderá sair fazendo o que quiser por aí. Você pode tirar a melhor parte dos passeios planejados, da companhia constante nas moradias, e do apoio maior e mais constante que acontece com os estudantes High School. O mais comum para esta idade é morar em alojamentos estudantis ou em casas de família. Em contrapartida, aprenderá a lidar com outras questões que já não fazem parte da vida de quem faz intercâmbio Higher Education. O High School é seu primeiro contato com a independência, e traz lições como o aprendizado por meio de diferentes culturas, a flexibilidade, pois você irá morar com pessoas com diferentes hábitos e o amadurecimento em geral. Já no Higher Education, inclusive pela questão da idade, você também irá colher aprendizados como esses, mas com mais liberdade. Entender como cuidar de sua vida sozinho e escolher quais passos você irá seguir na sua vida pessoal e profissional são crescimentos que esse programa proporciona.

 

Conte com a Travelmate para te auxiliar em todo esse processo.

6 dicas para economizar durante o seu intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 1036 0

Quando o assunto é dinheiro, é preciso se planejar. Caso contrário, o risco de faltar aquela quantidade essencial no final é grande. Uma vez estando no país de destino, você passará a ter alguns gastos fixos que provavelmente não estava acostumado a se preocupar enquanto morava no Brasil. Pode ser que você seja o responsável por fazer toda a compra no mercado, a escolher a melhor maneira de se deslocar, a viajar para conhecer lugares novos, a comprar alguma coisa para casa se ocorrer algum imprevisto, a comprar alguma roupa nova, a escolher o que dá e o que não dá para consumir em restaurantes e por aí vai. Sem contar os gastos relacionados aos estudos, que envolvem basicamente a mensalidade e custos de materiais didáticos.

 Pensando em todos esses compromissos, listamos algumas dicas que podem ser muito úteis na hora de te ajudar a poupar dinheiro.

1.      Compartilhe moradia

Morar sozinho pode parecer melhor para alguns, mas dividir com uma ou mais pessoas o lugar que você mora tem vantagens que vão além da economia. Fora poder economizar uma quantia considerável por mês, ainda tem a questão da companhia e convivência com pessoas de diferentes culturas.

2.     Conheça a região

Principalmente se você estiver morando em uma cidade turística, saber onde são os lugares preferidos dos nativos te ajudará muito a economizar uma quantia considerável no final do mês. Em praticamente todas as cidades existem mercados mais caros, que são aqueles centrais e mais frequentados por turistas e os mercados mais baratos, que somente quem vive há mais tempo na região conhece. Procure ter claro onde determinado item é mais barato e se torne fiel ao melhor preço, mesmo que isso demande se deslocar um pouco mais.

 3.      Aproveite os descontos para estudantes

De pouquinho em pouquinho e economizando aqui e ali, você vai notar que saber aproveitar os descontos (por menores que sejam) vale muito a pena no fim das contas, literalmente. Procure saber os descontos para estudantes que acontecem na sua cidade, pois diversas lojas, supermercados e restaurantes costumam ter parcerias com universidades ao redor.

 4.      Opte pela bicicleta

Por mais barato que possa custar o ônibus ou metrô na cidade que você estiver morando, não deixa de ser um custo fixo. Caso seja possível, opte por meios alternativos. A bicicleta, por exemplo, é uma ótima opção em países europeus, que geralmente tem essa cultura enraizada.

6 dicas para economizar durante o seu intercâmbio
6 dicas para economizar durante o seu intercâmbio

 5.      Alimentação 

Comer fora versus cozinhar em casa é uma escolha que pode disparar os seus gastos mensais ou fazer você poupar bastante dinheiro. Em qualquer lugar do mundo, se alimentar em cafés e restaurantes é sempre muito mais caro. Por isso, vá a supermercados que você já identificou como econômico, compre o necessário e faça suas refeições em casa.

 6.      Se for viajar, compre passagens com antecedência

A palavra da vez para quem quer economizar é planejamento. Com antecedência, é possível conseguir os melhores preços, tanto de passagens quanto de hospedagem, caso viajar para outros lugares faça parte dos seus planos.

 

Comece agora a planejar o seu intercâmbio! Fale com Travelmate e conheça os nossos pacotes.

Austrália | Melbourne

Duda Flores fala sobre sua preparação de intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 417 0

A Duda vai viajar para a Austrália com a Travelmate e fez um vídeo falando sobre a preparação dela.

Confira:

Juliane Paula Trevisol na Nova Zelândia

Postado por: Tatiana Serbena/ 1865 0

Esse é um relato de experiência pessoal, onde posso garantir que após um intercâmbio você nunca mais será o mesmo, você não terá as mesmas ideias sobre as coisas, você se tornará uma pessoa melhor em todos os aspectos pessoais.

Bom, meu nome é Juliane Trevisol, nasci na cidade de Itá Santa Catarina, cidade a qual vivi por toda minha vida até o ano de 2016 quando dei uma reviravolta em minha vida. Planejando casar, vivendo em uma cidade pacata de apenas 5 mil habitantes, onde tudo acontecia de uma maneira rotineira e a qual não me fazia sentir realizada e completa, faltava adrenalina, faltava emoção, tinha um sentimento que dizia: “vai guria, você pode mais do que isso, vai desistir dos seus sonhos por medo? Pelo que as pessoas dizem? “Eu sabia que não encontraria felicidade se continuasse reclamando da minha vida sem fazer nada para muda-la. Foi o que eu fiz.

Sempre tive um sonho de infância que era realizar um intercâmbio, comentei sobre a ideia com meu futuro marido na época, o mesmo me respondeu: “ Esse é um sonho seu e não meu” Lembro como se fosse hoje, isso significava que eu estava com uma pessoa que não compartilhava dos meus sonhos, e foi exatamente isso me impulsionou a tomar minha decisão, vi que nossos caminhos não estavam indo para mesma direção, decidi terminar o relacionamento, pedir demissão do meu trabalho, vender minhas coisas, resolver assuntos pendentes, e contar para minha família sobre minha decisão, isso foi o que eu fiz. Estava certa do que eu queria e nada e nem ninguém iriam fazer eu desistir. Manter o foco no objetivo é fundamental, não levar em conta as influencias, pois muitos tentaram fazê-lo desistir, ou desejar o seu fracasso, nessa hora você identifica quem são seus verdadeiros amigos, e são aqueles que ficaram ao seu lado quando ninguém mais está.

Após um planejamento e dicas de uma boa agencia de viagens chamada Travelmate de Chapecó, que me orientou sobre a melhor escolha, e quais as possibilidades seriam as melhores para mim eu decidi optar como destino a Nova Zelândia, um pais a aproximadamente 18.000 quilômetros da minha cidade Itá Santa Catarina. Arrumei as malas e com muita vontade de fazer acontecer, embarquei rumo ao desconhecido.

Chegando em Auckland uma das maiores cidades da Nova Zelândia me deparei com um mundo desconhecido, mas cheio de oportunidades, e eu precisava fazer com que as pessoas que aqui viviam percebessem que eu estava aqui, fazer o diferencial.

Após 2 meses procurando por trabalho, distribuindo currículo de porta em porta, consegui meu primeiro emprego em uma loja de cafés chamada Starbucks. Na época eu trabalhava três dias por semana, incluindo sábado e domingo, e estudava de terça a quinta, durante um ano e meio, na mesma empresa fui promovida a supervisora, e a dois meses consegui emprego em um dos maiores bancos da Nova Zelândia.

Recebi muitos nãos, mas a cada não que eu recebia me fortalecia ainda mais, eu sabia que eu conseguiria, eu acreditei em mim. Viver em um país que não é o seu é desafiador, e você precisa manter o pulso firme para não desistir, manter o pensamento positivo e acreditar que o amanhã será melhor que o hoje ajuda muito a equilibrar as emoções, essas que são muitas. A falta da família, dos amigos, da comida que sua mãe preparava, da sua cama, das festas, você irá enfrentar um turbilhão de emoções, mas mantendo o foco é possível ir em frente. A cada vitória é uma conquista, conquista que é somente sua e de mais ninguém.

Hoje sou um ser humano melhor, fazer um intercâmbio faz com que você aceite as diferenças, faz com que você aprenda a pedir ajuda, a dizer obrigada, agradecer e agradecer. Encarar os desafios e medos é muito mais fácil após um intercâmbio, é uma maneira de receber um aprimoramento pessoal vivenciando na pele, você literalmente precisa correr atrás dos objetivos e fazer acontecer, não é como no Brasil que ter uma boa classe social te ajuda em algumas situações, aqui não importa quem você é, se é rico ou pobre, filho de presidente ou não, aqui você é igual a todo mundo, buscando lugar ao sol.

Atualmente estou noiva de um indiano, com quem tenho casamento marcado para o próximo ano além de planos futuros. Ao longo da minha jornada conheci vários lugares e países ao redor do mundo como: França, China, Holanda, Amsterdã, London, Bélgica e claro não poderia faltar a Índia que era o meu maior sonho.

Hoje tenho amigos de toda parte do mundo, vivo um dia após o outro, e com uma nova descoberta a cada dia, a declaração acima é apenas um pequeno exemplo do que um intercâmbio pode trazer e mudar a sua vida, basta acreditar que desbravar o mundo é possível pra quem quer, arriscar sem medo de falhar, aprender com os erros irão te permitir ser feliz.

Certamente a decisão de fazer o intercâmbio foi o investimento mais proveitoso e assertivo que eu poderia ter feito na minha vida, encontrei minha felicidade e minha realização aonde eu jamais pensei que poderia encontrar. Tenho certeza que essa é somente a primeira página do meu livro da vida, tem muito mais por vir, basta lutar e se dedicar para isso.

Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos

Postado por: Tatiana Serbena/ 1243 0

Com tantas opções disponíveis, como ser certeiro ao escolher o destino do seu intercâmbio? Existem mais de 190 países no mundo e seguramente cada um deles possui uma particularidade, ou algumas delas, que fazem toda a diferença na hora de eleger o país ideal para a sua experiência como intercambista. Existem alguns passos que direcionam a escolha do seu destino, e as principais estão listadas abaixo:

  1. Idioma

Principalmente se a sua intenção for viajar em pouco tempo, impossibilitando o aprendizado necessário de uma segunda língua para se sentir preparado para viajar, considere o idioma que você já domina ou no mínimo, se vira bem. Pergunte-se: qual idioma você quer se aprofundar? Se for inglês, este fator já exclui todos os outros países que não tem o inglês como língua nativa.

  1. Distância

A distância do Brasil em relação ao futuro país de destino, é um fator de peso principalmente se você deseja visitar a sua família ou receber visitas durante o seu intercâmbio. Verifique o que seria possível, e exclua aqueles que ficariam inviáveis para as suas intenções.

  1. Estilo de vida

Entre Europa e Estados Unidos podem haver muitas diferenças se a questão for estilo de vida. Entre Nova York e Firenze, na Itália, existe um abismo. Vai de você entender o que mais se aproxima do estilo de vida que pretende levar no exterior, e então, deixar de lado os países que não se assemelham com o que você está idealizando. Uma agência de intercâmbio ajuda muito no processo de conhecimento de destinos.

Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos
Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos
  1. Orçamento

Definir um orçamento, ou seja, um planejamento com relação à quanto você pretende gastar no seu período de intercâmbio é outro fator que pode ser determinante na hora de escolher um destino e desconsiderar outro. Algumas cidades são um pouco (ou muito) mais caras que outras. Procure se aprofundar nas informações que dizem respeito ao custo de vida das cidades que você tem em mente. Você vai acabar tendo que deixar algumas delas de lado e dessa forma, as coisas vão se afunilando.

  1. Objetivos

Imagine-se na cidade de destino e reflita como determinada cidade pode ser benéfica e estar em consonância com os seus objetivos e intenções. Faça pesquisas sobre universidades e cursos disponíveis para a sua área de interesse. É importante, da mesma forma, refletir sobre o seu futuro e aspirações profissionais e pessoais. Assim, vai conseguir extrair o melhor que o seu intercâmbio poderia te proporcionar.

Para o seu conforto, o blog da Travelmate possui diversos conteúdos que respondem algumas dessas questões, não deixe de visitar! Conte com a Travelmate para auxiliá-lo neste processo inicial assim como acompanhá-lo em sua experiência como intercambista. Conheça nossos planos e pacotes disponíveis e boa viagem!

Nestas férias, que tal um intercâmbio?

Postado por: Tatiana Serbena/ 672 0

Aproveitando que estamos em tempo de férias, que tal praticar algum idioma, fazer novos amigos, ter uma imersão cultural, praticar esportes e ainda se divertir? Um intercâmbio de férias é isso e muito mais! Viajar para o exterior tem inúmeros pontos positivos e é uma das melhores épocas para investir em si mesmo, seja para experiência acadêmica, de trabalho ou diversão.

Fazer um intercâmbio nas férias pode ser uma excelente opção para aqueles que não podem, mesmo que momentaneamente, jogar tudo para o alto e partir para uma vida nova no exterior por alguns meses. Encarar as férias com uma dose a mais de planejamento e responsabilidade significa proporcionar a si mesmo uma rica experiência que não interfira nos compromissos atuais, sejam eles acadêmicos ou profissionais.

intercâmbio
Intercâmbio

 

Um intercâmbio de férias é uma opção que não está direcionada apenas à uma idade específica, como só para adultos ou só para crianças e jovens. O importante primeiramente, é estar consciente dos objetivos e motivações que te fazem buscar um intercâmbio. Dentre as razões mais importantes, estão o aperfeiçoamento do idioma, imersão cultural, conhecer lugares, pessoas, e culturas novas, fazer algum curso de rápida duração, como cursos de férias, cursos profissionalizantes, cursos técnicos ou até mesmo fazer um estágio.

Existem, no entanto, programas mais voltados para crianças e jovens que estejam buscando, além de diversão e novas experiências, desenvolver um novo idioma por intermédio de cursos específicos para essa idade. Esses programas são conhecidos como “Summer Programs” caso sejam férias de verão ou “Winter Programs” caso estejamos no inverno. Com eles, crianças aprendem e se divertem ao mesmo tempo, com passeios ao entardecer, escapadas de um final de semana inteiro ou passeios curtos para conhecer melhor a região.

Os destinos mais procurados para os programas de intercâmbio nas férias são Estados Unidos, Canadá, Inglaterra e Espanha.

Independentemente do tempo de duração do seu intercâmbio de férias, que geralmente compreende de 4 a 8 semanas, essa experiência pode significar mudanças profundas na sua vida. Na Travelmate existem diversas opções com os destinos mais procurados para o seu intercâmbio nas férias ser um fato memorável na sua vida. Fale com a gente!