Categoria: Curiosidades

Lugares imperdíveis para visitar na Austrália

Postado por: Tatiana Serbena/ 695 0

A Austrália é um país cheio de diversidade. Confiram aqui alguns dos lugares mais incríveis para visitar láááá do outro lado do mundo.

 

Great Ocean Road 12 Apóstolos

Não à toa, a Great Ocean Road, no estado de Victoria, é considerada uma das estradas mais fascinantes do mundo! Chega a ser perigoso se distrair durante a viagem de carro com sua beleza! O ponto alto da viagem são os 12 Apóstolos, colunas de arenito esculpidas pelo vento e pelas ondas.

Great Ocean Road

 

12 Apóstolos

 

Ilhas Whitsundays Grande Barreira de Corais

As Ilhas Whitsundays são um arquipélago de ilhas de areias brancas, banhadas por água de um tom impressionante de azul! É um cenário fascinante! Além disso, estão cercadas pela Grande Barreira de Corais, o maior recife de corais do mundo, em que é possível praticar um dos mergulhos mais belos e inesquecíveis do planeta! J

Ilhas Whitsundays

 

Grande Barreira de Corais

 

Ópera House, Sydney

Sydney é o principal destino da Austrália, muitos até acham que a cidade é a capital do país (é Camberra), e um dos pontos altos da cidade, sem dúvidas é a incrível Ópera House. É símbolo de referência por seu design e arquitetura desde seu ano de inauguração, em 1973.

 

Uluru, Ayers Rock

Este é um dos cartões postais australianos, sem dúvidas. A pedra sagrada dos aborígenes está localizada na região central do país – outback – e tem uma beleza incomum e fantástica! O pôr-do-sol torna o visual ainda mais fascinante com a cor de fogo que deixa sobre a rocha. Imperdível!

 

Baía de Wineglass, Tasmânia

A Tasmânia é um destino diferente na Austrália, mas que vale a visita como um todo. São muitos os passeios possíveis e incríveis para se fazer no estado, mas a Baía de Wineglass é um dos destaques, pois possui uma paisagem lindíssima e é considerada uma das praias mais lindas do mundo!

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio, viagens e programas, entre em contato com a gente!
high school inglaterra

5 motivos para fazer um intercâmbio para a Inglaterra

Postado por: Tatiana Serbena/ 1684 0

Inglaterra. Berço do futebol, fonte inesgotável de cultura, livros, filmes, bandas (e QUE bandas não?!), entre centenas de outros atrativos que qualquer pessoa do mundo gostaria de conhecer.

E o que dizer do inglês britânico? Lindo, elegante, beirando a perfeição.

Existem inúmeros motivos para fazer um intercâmbio para a Inglaterra, mas se você ainda não está convencido, aqui vai uma lista de 5 motivos incríveis!

1 – O Berço do Idioma Inglês

O inglês nasceu na Inglaterra, e nada melhor do que viver na Inglaterra para captar a essência de uma linguagem sintetizada há séculos sob a regência de diversas influências, como a colonização romana, a chegada de tribos germânicas no século 5, a Invasão Normanda de 1066 e o poder da Igreja Católica.

bandeira inglaterra - intercâmbio travelmate

Além de poder aplicar na vida cotidiana o que aprender dentro de sala de aula, você ainda vai poder conhecer as particularidades do inglês britânico.

 

2 – Mais Barato do que Nunca!

intercambio-inglaterra-3

Como você deve ter acompanhado nos noticiários, a Inglaterra decidiu deixar a zona do euro, e com isso, houve uma desvalorização da moeda local – a Libra – tornando esse destino, além de tentador, super viável para quem esperava pelo momento certo de embarcar nessa aventura!

Foi registrada hoje (24/06/16) a maior queda da moeda desde 1985, ou seja, desde que você nasceu essa deve ser – provavelmente – a melhor oportunidade da sua vida para fazer um intercâmbio para Inglaterra.

 

3 – Instituições de Ensino renomadas mundialmente

A Inglaterra possui dezenas de instituições de altíssimo padrão para a realização de cursos, intercâmbios e outros programas. Das 10 melhores universidades do mundo, 3 são de lá!

University of Oxford

intercambio-inglaterra-4

Foi a primeira universidade em língua inglesa do mundo, e hoje é uma das mais conhecidas e respeitadas. De tão antiga, não se sabe ao certo em que ano foi fundada. Historiadores afirmam que em 1096 começaram as primeiras aulas da instituição, mas ainda sem a estrutura de uma universidade. Oxford passa a crescer e a se fortalecer só em 1167, quando o rei da Inglaterra Henrique II proibiu alunos ingleses de estudarem na Universidade de Paris. A grande maioria, então, se matriculou em Oxford. Hoje, a universidade tem cerca de 22 mil alunos, entre os cursos de graduação e de pós, e um dos campi mais bonitos.

University of Cambridge

intercambio-inglaterra-5

Fundada em 1209, a University of Cambridge é a segunda mais antiga universidade de língua inglesa do mundo. A instituição disputa com Oxford, sua irmã mais velha, o título de melhor universidade do Reino Unido e da Europa. Cambridge é conhecida por ter abrigado os maiores pensadores da história da humanidade. Ex-alunos e professores causaram verdadeiras revoluções na ciência e na filosofia, como Francis Bacon (criador do método científico), Isaac Newton (um dos maiores gênios da física), Charles Darwin (pai da teoria da evolução das espécies), Alan Turing (formulador da teoria da computação) e Ian Wilmut (responsável pela primeira clonagem de mamíferos, a ovelha Dolly).

 

Imperial College London

intercambio-inglaterra-6

Fundado em 1907, o Imperial College London foi parte da University of London até 2007, quando tornou-se independente. Hoje, possui mais de 14.400 alunos, divididos entre 242 cursos. Junto a Cambridge e Oxford, forma o “triângulo dourado” das universidades britânicas. A instituição possui um grupo específico para apoiar estudantes brasileiros interessados em se candidatar.

 

Escolas de inglês

As melhores escolas de inglês do Reino Unido estão em Londres. Antes de escolher uma, consulte a Travelmate Intercâmbio. Todas as escolas que aparecem no site oficial estão credenciadas pelo British Council, critério obrigatório para a concessão de vistos de estudo atualmente.

 

4 – Custo de Vida

Great Britain Pound Symbol and Graph Chart isolated on white background. 3D render

 

Provavelmente vão querer me matar ao ler isso, mas Londres não é tão cara assim. Por tudo que a cidade oferece, uau, Londres é quase barata. Compare a infraestrutura da sua cidade no Brasil, seja ela qual for, com a de Londres, e depois faça as contas. Viver no Brasil é que é caro. O custo mais alto de se morar em Londres é a acomodação, que pode assustar à primeira vista. O aluguel de uma cama em um quarto duplo ou um quarto single na zona 2 pode variar de 60 a 150 libras por semana. Já o transporte, pela facilidade que oferece, não é tão assustador: com 116, 80 libras, dá para andar de metrô e ônibus à vontade nas zonas 1 e 2 durante o mês inteiro. A comida é menos cara do que se imagina. Quem quer economizar mesmo pode fazer compras no supermercado Asda, por exemplo, e adquirir produtos da marca do supermercado por preços ínfimos.

Exemplos de produtos no Asda em dezembro:

Tubo de Ketckup Heinz de 700g: 2 libras

Barra de Toblerone de 400g: 3 libras

Pizza congelada Goodfella’s 525g: 2 libras

Pizzas da marca Asda de 330g a 420g: 1 a 1,50 libra

Onion rings Asda 550g: 1 libra

Suco de laranja Innocent 1,35 litro: 2 libras

Presunto Asda 260 gramas: 3 libras

Leite Asda 2 litros: 1,50 libra

Queijo cheddar Asda 200g: 1,50 libra

Pão de sanduíche Kingsmill 800g: 1,35 libra

Caixa de cereal matinal 500 g (diversas marcas): 1,50 a 2,50 libras

Isso sem mencionar a quantidade de atrações, museus e parques gratuitos.

 

5 – Topo do Turismo Mundial

Um dos destinos mais amados, procurados e frequentados do mundo, a Inglaterra é um país encantador, que proporciona a oportunidade de explorar a história vibrante da cultura do Reino Unido, apreciar os hábitos e costumes dos britânicos e conhecer mais sobre a história do velho continente.

 

Termas Romanas de Bath

intercambio-inglaterra-7

Vale a pena conhecer as antigas Termas Romanas de Bath ou famosas praias inglesas de Brighton e Bournemouth, conhecida como a Riviera Inglesa, a diversão é garantida. Outra vantagem é que estando no país é possível fazer um mochilão pela Europa ou visitar outros países de trem, ônibus ou avião com as companhias low cost.

intercambio-inglaterra-8 intercambio-inglaterra-9

 

 

Você verá aqueles visuais incríveis de cartão postal, como a ponte Westminster, o Palácio de Buckingham, a London Eye aprenderá a ser ainda mais pontual vendo as horas Big Ben.

 

intercambio-inglaterra-11

London Eye

intercambio-inglaterra-12

Palácio de Buckingham

intercambio-inglaterra-10

Big Ben

intercambio-inglaterra-13

O que dizer então da Abbey Road? Templo dos Beatles em Londres, e lugar onde você pode juntar mais 3 amigos, conhecidos, desconhecidos ou qualquer um que estiver ali na hora, e reviver uma das fotos mais icônicas da história.

intercambio-inglaterra-14-1024x658

Dica: É bem fácil de chegar até a Abbey Road.

Estação de metrô: St John’s Wood (Jubilee Line)

Saia da estação atravesse a rua e siga pela Grove End Road por 5 minutos. Você chegará à esquina com a Abbey Road.

OUTROS PONTOS TURÍSTICOS

Museu Britânico

Quando fundado, o Museu Britânico foi o primeiro grande museu público, gratuito, secular e nacional em todo o mundo. Conta com máscaras astecas, moedas do período helenístico, esculturas egípcias e gregas, além da Pedra de Roseta e partes do Partenon de Atenas.

Tate Modern

O Tate Modern é um museu de arte moderna internacional, que faz parte do grupo Tate, conjunto de quatro galerias de arte.

National Gallery

Situada na Trafalgar Square, a National Gallery reúne tantos belos quadros e tantas informações sobre cada um deles, que vale a pena adquirir o tour em áudio do lugar. Esse é um dos pontos turísticos de Londres que são imperdíveis e gratuitos.

Museu de História Natural

Só pelo prédio já dá vontade de visitar. O que tem dentro então deve ser razão ainda mais incisiva para conhecer o Museu de História Natural de Londres: bom para quem gosta de ver dinossauros e ossos e aprender mais sobre o desenvolvimento da fauna e da flora no mundo.

Hyde Park

O Hyde Park é quase uma entidade em Londres. Ele reúne a fauna e a flora mais afamada da capital britânica, frequentemente captadas em vídeo e fotos e divulgadas no mundo todo por turistas e pelos próprios londrinos, que não renegam a beleza de seu maior estandarte verde.

Science Museum

O Science Museum é certamente a melhor opção de museu para o casal que viaja para Londres com seus filhos. As crianças não vão nem lembrar que estão em um museu, pois as distrações e atrações do lugar são muitas.

Victoria & Albert Museum

É o maior museu de design do mundo, que compreende 3 mil anos de história em objetos dos mais variados tipos. Pinturas, gravuras, acessórios de moda, roupas, joias e fotografias são alguns dos itens que podem ser encontrados por aqui.

Museu de Cera Madame Tussauds

O Museu de Cera Madame Tussauds é mundialmente conhecido e tem franquias espalhadas em 12 países. Mas foi em Londres onde tudo começou.

St. Paul’s Cathedral

Ponto turístico de grande circulação em Londres, trata-se da sede do Bispo de Londres. Aqui o Príncipe Charles casou-se com a princesa Diana em 1981. Sua cúpula é a segunda maior do mundo, ficando atrás apenas da Basílica de São Pedro, no Vaticano

Abadia de Westminster

É uma das construções mais importantes, imponentes e turísticas do Reino Unido. Arquitetada em estilo gótico, é famosa mundialmente por ser o local de coroação da monarquia. Fundada oficialmente em 970 d.C., a Abadia é hoje um ponto turístico e de peregrinação, mas ainda uma igreja em funcionamento.

Museu de Londres

Museu de Londres (Museum of London) apresenta nove galerias gratuitas que contam a história de Londres desde seus primórdios, antes da invasão romana e do primeiro nome, Londinium. Em maio de 2010, as exibições da Londres Moderna foram reinauguradas por Sir Michael Caine, após reformas.

London Dungeon

A London Dungeon é uma aula de história assustadora. A atração apresenta os episódios mais trágicos e tenebrosos dos últimos mil anos na capital britânica, com 11 encenações conduzidas por atores, muitos gritos e sangue por todo lado.

Aquário de Londres

O Aquário de Londres (Sea Life London Aquarium) tem a maior quantidade de animais marinhos do Reino Unido. As milhares de criaturas nadam em 2 milhões de litros de água, tudo isso ao lado do Rio Tâmisa e da London Eye.

Museu de Sherlock Holmes

O Dr. Watson recebe os visitantes e lhes apresenta a residência. Com exceção do detetive mais famoso da literatura, está tudo lá: o violino, o cachimbo, a poltrona, a lareira, os livros, os tubos de ensaio e todo o universo residencial de um personagem que fez da lógica sua maior arma.

Churchill War Rooms

O Churchill War Rooms é um museu que conta a história do gabinete de guerra comandado pelo primeiro-ministro Winston Churchill durante a Segunda Guerra Mundial. O abrigo antibomba serviu de quartel general para a equipe de guerra do ministro durante os bombardeios nazistas.

É o suficiente para você?

Então corre e aproveite esse momento imperdível para fazer um intercâmbio para a Inglaterra! ?

 

 

 

 

5 motivos para não fazer um intercâmbio cultural

Postado por: Tatiana Serbena/ 1071 0

Se você mora em uma região onde tem mercado, farmácia e padaria por perto, para que vai querer sair do país se no seu bairro tem tudo, não é mesmo? Esse texto é feito para você que nunca teve a intenção de aprender outro idioma, viajar, conhecer outras culturas, costumes, hábitos e fazer com que o seu currículo desperte atenção ao primeiro olhar. Vamos listar aqui cinco bons motivos para você não fazer um intercâmbio cultural.

 

1 – Viajar é chato

A young female traveler looking fed up and bored with her baggage in an airport terminal scenario

Conhecer culturas variadas, aprender outro idioma – que hoje é mais que essencial –, fazer amigos das mais diversas regiões, apreciar belas paisagens, monumentos históricos, provar das mais diferentes gastronomias, respirar outros ares é algo que você não gosta? Então não perca seu tempo! Com o intercâmbio tudo isso vai acontecer. Nesse caso, ficar em casa deitado no sofá, enrolado nas cobertas, comendo pipoca e assistindo uma série ouvindo sua mãe te mandar lavar a louça será o ideal para você.

 

2 – Não quero aprender outro idioma

Sweet female high school student with long hair and a speech bubble of multi language in class studying multi language with laptop and book

Ter o domínio de uma língua estrangeira é essencial nos dias de hoje. O inglês, principalmente, é um dos requisitos obrigatórios para diversas vagas de emprego. A prática contínua, estar em convívio diário com pessoas que falam outro idioma, aprender com sotaques e gírias e quebrar o gelo para desenvolver a fala é fundamental para adquirir a fluência com rapidez e perfeição. Se você não tem interesse em aprender outra língua ou acha que o videogame é o melhor professor de inglês que você pode ter, o intercâmbio cultural não é a melhor opção.

 

3 – Não quero ser independente

Hands Tied Chain, Kidnapping, Dependence, Loneliness, Social Problem

O intercâmbio cultural é uma forma de testar a sua capacidade de se virar sozinho em um lugar onde não conhece nada e ninguém. Você se vê obrigado a desbravar os locais e culturas deste novo ambiente, responsável por sua organização, sua alimentação e outros hábitos disciplinares. O amadurecimento e uma visão diferente do mundo automaticamente virão junto dessa experiência indescritível, junto dos novos amigos que você com certeza fará pelo mundo afora. Se você não quer encarar esse desafio e prefere o comodismo, talvez fazer intercâmbio será algo que não irá te agradar nem um pouquinho.

 

4 – Não quero melhorar meu currículo

Fired frustrated man in suit sitting near office.

A oportunidade de um novo idioma, cursar ensino médio, técnico ou superior, emprego ou trainee no exterior pode agregar – e muito – na hora de você ingressar no mercado de trabalho. Currículos com algum – ou alguns – desses pontos tendem a chamar ainda mais a atenção do empregador. Com um mercado cada vez mais competitivo e exigente, experiências internacionais te ajudam a sair na frente dos demais e praticamente assegurar a vaga. Se você está tranquilo com o seu emprego e acha que não precisa viajar para fora para melhorar o seu currículo, ficar por aqui é a melhor escolha.

 

5 – O mundo não tem nada a me oferecer

young tourist couple reading city map looking lost and confused loosing orientation with girl carrying travel backpack and man in frustrated face expression isolated white background

Viajar é simplesmente fantástico. São infinitas as possibilidades e variedades que o mundo pode lhe oferecer. Mergulhar nessa imensidão de culturas, lugares, paisagens, hábitos e costumes de diferentes regiões, povos e etnias, são experiências que fazem valer a pena cada centavo gasto. Se você acha que o melhor mesmo é ficar por aqui e desbravar a cultura e paisagens que a sua rua pode lhe oferecer, fazer um intercâmbio definitivamente não é a alternativa ideal.

Cinco destinos incríveis para você conhecer na Nova Zelândia

Postado por: Tatiana Serbena/ 624 0

Viajar é um dos maiores prazeres da vida, não é? Pois bem, o Diário do Intercâmbio separou alguns lugares dentro de um dos destinos preferidos dos intercambistas: a Nova Zelândia. Essa variedade de opções belíssimas vai te mostrar que as horas de viagem para atravessar o mundo valem – e muito – a pena. Conheça alguns desses paraísos situados dentro desse país no coração da Oceania – e das pessoas que já passaram por lá.

 

1 – Queenstown

Wakatipu Lake from Queenstown Hill New Zealand

Conhecida mundialmente como a capital dos esportes radicais, a cidade é um paraíso situado na Ilha do Sul da Nova Zelândia. Cercada de montanhas, a pacata Queenstown fica às margens de um lago de água cristalina, o maior ponto turístico da cidade. Para os amantes dos esportes radicais, os grandes atrativos são o salto de bungee jumping, skydiving e rafting.

2 – Fiordland

Milford Sound Fiordland New Zealand Rural Nature Concept

Também situada na Ilha Sul, Fiordland é uma região montanhosa com muitas cascatas das quais lançam suas águas no Mar da Tasmânia. Os principais atrativos são o Parque Nacional de Fiordland, um dos maiores do mundo com 12.120 km², e o Milford Sound, um fiorde formado pelo degelo nas montanhas e pela ação do vento, o principal ponto turístico natural do país. A atração faz parte também do parque nacional.

3 – Wellington

Sunset in Oriental Bay, capital of New Zealand

A pulsante capital neozelandesa respira cultura, deliciosa gastronomia e uma vida noturna agitadíssima com grande quantidade de bares e restaurantes. Os fãs da literatura e do cinema poderão se aventurar no Weta – estúdio de efeitos especiais responsável pelas trilogias O Hobbit e O Senhor dos Anéis.

 

4 – Lake Tekapo

Beautiful incredibly blue lake Tekapo with blooming lupins on the shore and mountains, Southern Alps, on the other side. New Zealand

A pequena cidade localizada no extremo sul do lago de Lake Tekapo, no interior da Ilha do Sul, reúne uma paisagem de encher os olhos de qualquer um. O cenário formado pelas charmosas cadeias montanhosas cobertas de neve é complementado pelo exuberante lago azul-turquesa, onde a natureza dá um show à parte.

 

5 – Cathedral Cove

Beautiful Te Hoho Rock at Cathedral Cove Marine Reserve, Coromandel Peninsula, New Zealand. Panoramic photo,

Localizada na Península Coromandel, a belíssima Cathedral Cove só é acessível a pé ou de barco. Essa reserva marinha abriga uma das mais extraordinárias paisagens da Nova Zelândia. Cercada por rochas naturais, a praia é excelente para o mergulho no mar de água cristalina.

 

É tanta beleza natural que já deixou com vontade de arrumar as malas e ir agora mesmo para a Nova Zelândia. E você? Está esperando o que?

6 programas de intercâmbio para trabalhar no exterior

Postado por: Tatiana Serbena/ 2069 0

Nessa terça-feira, a EXAME.COM publicou uma notícia sobre programas de intercâmbio para trabalhar no exterior. Camila Pati, a autora, listou seis tipos de programas para trabalhar no exterior e o que cada um deles tem a oferecer.  Se você tem vontade de fazer intercâmbio e quer investir em sua carreira, essa é a oportunidade! Sem contar o salário, né?

Programas de intercâmbio que incluem trabalho têm feito sucesso entre os brasileiros. Em muitos casos é possível, além de recuperar o dinheiro investido, ainda garantir recursos para viajar e se manter durante a estada no país.

Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, França, Alemanha e Holanda são alguns dos países para os quais há opções de trabalho que pode ser remunerado ou não.

Confira alguns dos programas que o diretor de intercâmbio da Travelmate, Eduardo Heidemann, cita entre os mais procurados na agência.

 

TRABALHO NOS EUA

size_810_16_9_estacao-de-esqui-nos-eua

O Work & Travel nos Estados Unidos é programa de trabalho mais procurado da Travelmate, segundo Eduardo Heidemann, diretor de intercâmbio. Ele é realizado durante as férias de verão aqui no Brasil e é voltado para universitários entre 18 e 28 anos com conhecimento intermediário, no mínimo, de inglês.

Os jovens passam entre três e quatro meses trabalhando em estações de esqui, hotéis, resorts e restaurantes. A média salarial fica normalmente entre 7,25 e 12 dólares por hora, variando conforme empregador e função.

Heidemann aponta o custo, que não é alto, como o principal atrativo do programa. “Além disso, trabalhando, o jovem consegue recuperar o dinheiro investido e se manter enquanto está lá, além de não prejudicar as aulas no Brasil”, diz.

 

TRABALHO E ESTUDO

size_810_16_9_auckland

Muitos brasileiros estão preferindo países que permitem que estudantes estrangeiros trabalhem. É o caso de Canadá, Irlanda, Austrália e Nova Zelândia (foto), em que é possível frequentar uma escola de idiomas, por exemplo, e também trabalhar nas horas vagas.

A busca de emprego fica por conta do estudante, mas há algumas escolas que dão auxílio aos seus alunos interessados em trabalhar. Na Travelmate, programas desse tipo são chamados Work & Study.

 

ESTÁGIO NOS EUA E AUSTRÁLIA

size_810_16_9_sydney

Interessados em adquirir experiência profissional e que tenham nível avançado de inglês podem optar por fazer estágio. Programas dessa modalidade são para universitários, estudantes de pós-graduação e recém-formados há, no máximo, um ano.

Há vagas em diversas áreas nos Estados Unidos e também na Austrália (foto), segundo o diretor de intercâmbio da Travelmate. “Tem estágio em engenharia, administração, tecnologia, recursos humanos. Mas há maior número de oportunidades nos dois países para trabalhar com hospitalidade e gastronomia”, diz Eduardo Heidemann.

O processo seletivo é feito no Brasil, o jovem já sai daqui sabendo para quem vai trabalhar e há opções remuneradas e não remuneradas que duram de três a 18 meses nos Estados Unidos.

Na Austrália há também estágios pagos e não pagos e a duração pode variar entre um mês e seis meses. Há limite de idade de 35 anos para estágio nos Estados Unidos e 30 anos para estágio na Austrália.

 

AU PAIR E DEMI PAIR

size_810_16_9_au-pair

Os dois são programas de trabalho remunerado, em que o estrangeiro mora com uma família e ajuda no cuidado com as crianças da casa. Nível, ao menos, intermediário de inglês ou do idioma do país de destino é um requisito, assim como experiência prévia no trabalho com crianças.

O trabalho como au pair é integral e há oportunidades nos Estados Unidos, Alemanha, França e Holanda, segundo o diretor de intercâmbio da Travelmate. O estrangeiro recebe, além da remuneração, estadia e alimentação. Nos Estados Unidos, a passagem de ida e volta também é paga pela família contratante. O programa dura, geralmente, um ano, mas pode chegar a dois anos, período máximo permitido. É para quem tem entre 18 e 26 anos, é solteiro e não tem filhos.

Já o programa de demi pair é realizado na Austrália é de meio período de trabalho cuidado de crianças e meio período de estudo obrigatório em escola de inglês. Podem se candidatar solteiros sem filhos que tenham entre 18 e 35 anos.

De acordo com Eduardo Heidemann, mulheres geralmente têm a preferência das famílias, mas homens que sejam qualificados também podem ser aceitos. ” Já tivemos casos de sucesso com candidatos homens também”, diz.

 

TRABALHO NA FRANÇA

size_810_16_9_cafe-paris

Jovens universitários entre 18 e 26 anos podem participar de programa de trabalho na França voltado para a área de hospitalidade e gastronomia. Dura entre dois e três meses e é feito durante as férias de verão aqui e de inverno lá.

É preciso ter nível de francês no mínimo intermediário para trabalhar em bares, restaurantes, hotéis e estações de esqui francesas.

 

CURSOS PROFISSIONALIZANTES E TRABALHO NO CANADÁ

size_810_16_9_canada

“Temos visto aumentar o número de interessados em emigrar do Brasil”, diz o diretor de intercâmbio da Travelmate, Eduardo Heidemann.

O país que mais atrai atualmente, de acordo com ele, é o Canadá. O caminho escolhido, geralmente, passa pela matrícula em curso profissionalizante de longa duração nos chamados Colleges, que permitem trabalho durante meio período. “Depois deste curso, o estrangeiro pode ficar até dois anos trabalhando no país e então pode dar entrada no pedido de visto permanente”, diz Heidemann.

Ele explica que muita gente tem levado a família junto. E que a vantagem é que o acompanhante pode trabalhar período integral e os filhos podem ser matriculados no ensino público canadense durante o programa.

 

Se você quiser ver a matéria na íntegra, é só clicar aqui.

Conheça Dublin, o destino mais popular para intercâmbio da Europa

Postado por: Tatiana Serbena/ 653 0

A capital e maior cidade irlandesa é o destino mais procurado por intercambistas que desejam morar e estudar no Velho Continente. Com um clima jovem e pulsante, a multicultural Dublin é uma metrópole cosmopolita com um toque de cidadezinha do interior. A alegria e a hospitalidade são características próprias de seu povo, sempre de braços abertos para receber os visitantes e fazer novos amigos.

Os atrativos de Dublin são para os mais variados gostos. Os tradicionais pubs são os principais deles. Adeptos de uma vida boêmia e com boa qualidade, os irlandeses prezam bastante pelo lazer. Amantes de uma boa música, os simpáticos dublinersadoram mesclar um som com uma boa cerveja, ambas tradicionais nos bares e pubs da cidade.

Apesar do tempo nublado e chuvoso quase que o ano inteiro, a cidade não te deixa ficar parado. São inúmeras opções culturais, musicais, esportivas e de lazer para você curtir e explorar Dublin ao extremo.

 

AS VANTAGENS DE ESCOLHER DUBLIN COMO DESTINO

DUBLIN, IRELAND - JANUARY 05: The Luas, Dublin's tram system tra

Como já citado acima, Dublin é o destino mais popular da Europa. Isso não se dá somente pelo fato da hospitalidade, simpatia e vida boêmia de seu povo. Além de um roteiro mais barato que Londres para quem quer estudar inglês – a moeda irlandesa é o euro, mais barato que a libra esterlina –, a liberação dos vistos para turistas, estudantes e imigrantes pela Irish Naturalisation and Immigration Service (INIS) é rápida, fácil e os vistos são mais longos.

 

COMO TIRAR MEU VISTO?

Travel or turism concept. Opened passport with visa stamps with

Estudantes que forem permanecer em território irlandês por até 90 dias não terão necessidade de visto de permanência. Passando deste período, será necessário um visto permanente STAMP 2, com validade até o fim do seu curso.

De acordo com a nova lei que entrou em vigor neste ano, o tempo máximo do visto para estudantes no país será de oito meses (sendo seis de estudo e dois de férias) e só poderá ser renovado até três vezes.

É importante frisar que, se você pretende permanecer em até 90 dias no país sem a necessidade de um visto permanente, deverá desembarcar em território irlandês com:

  • Seguro-viagem com cobertura para acidentes e doenças de, no mínimo, 25 mil euros;
  • Carta da escola comprovando a sua matrícula;
  • Extrato bancário de um banco irlandês comprovando no mínimo 3 mil euros – quantia necessária para se virar no país neste período.

O tempo máximo de permanência estudando na Irlanda é de 2 anos. Depois disso, a única renovação possível é através do curso superior no país.

 

ÉPOCAS DO ANO PARA VIAJAR

Se o seu interesse é viajar para conhecer a Irlanda, existem períodos que são preferidos pelos visitantes.

Bicycle parking in the center of Dublin.

O clima irlandês não é o dos mais agradáveis para aqueles que buscam um clima quente. O sol costuma dar as caras poucas vezes no ano por lá, e o tempo nublado e as chuvas são frequentes. As temperaturas médias no inverno são de -2ºC e 6ºC, com o dia mais curto – nascer do sol por volta das 9h e pôr antes das 17h.

Uma das épocas mais indicadas para quem não gosta de frio e quer temperaturas mais agradáveis é o verão europeu. No período entre julho e setembro, na Irlanda, o frio dá uma trégua e o tempo chega, no máximo, nos 20ºC. Além do mais, o dia é duradouro. O sol nasce às 5h da manhã e se põe só depois das 21h.

 

St. Patrick’s Day

St.Parick's Day

 

A festa mais popular acontece no principal feriado do país e é garantia de pura diversão. O evento mais aguardado do ano é o Dia de São Patrício – santo padroeiro da Irlanda -, que reúne atrativos em todos os cantos da Irlanda.

Em Dublin ocorre a tradicional Parada, no centro da cidade, que se estende em todos os bares e pubs da cidade com muita cerveja – inclusive a tradicional cerveja verde, marca registrada do feriado de São Patrício.

Se você planeja uma viagem para curtir todos os atrativos do feriado irlandês, já vai se programando, o dia de São Patrício é 17 de março.

 

ATRATIVOS E PONTOS TURÍSTICOS

Guiness Storehouse

Guinness

Para os amantes de uma boa cerveja, é indispensável passar pela Irlanda sem conhecer a fábrica de uma das marcas registradas do país. A fábrica da tradicional cerveja nacional Guiness – ícone do país – está de portas abertas para te receber. A Guiness Storehouse é uma das principais atrações turísticas de Dublin. Milhares de visitantes são atraídos anualmente para conhecer a história da bebida mais popular da Irlanda.

 

Temple Bar

bigstock--129660827

A Temple Bar está situada na margem sul do Rio Liffey, no centro da cidade. Com suas ruas estreitas, empedradas e repletas de atrativos, a área reúne vários quarteirões de pubs, restaurantes, baladas e cafés. É um dos principais símbolos culturais de Dublin.

 

Phoenix Park

Wellington Monument In Phoenix Park, Dublin - Ireland

Localizado a 3 km do centro da cidade, o Phoenix Park é o maior parque público fechado da Europa com 700 hectares. Dentro dele há uma variedade de árvores e mamíferos, além do Dublin Zoo, um dos zoológicos mais importantes do Velho Continente.

 

Kilmainham Gaol 

Dublin Ireland - Aug 14:Interior of Kilmainham Gaol in Dublin Ireland on August 14 2014

A Kilmainham Gaol é um marco na história do país. Foi nessa prisão que, durante a luta da independência, foram executados os líderes do levante de 1916. Os primeiros andares da cadeia abrigam um museu com itens característicos e históricos da prisão e dos prisioneiros que passaram por lá.

 

National Museu of Ireland

bigstock--89653262

O Museu Nacional reúne exposições e uma infinidade de coisas que relembram o período viking e medieval da Irlanda. Diversas heranças dos celtas estão guardadas por lá, reunindo a tradição, história e identidade do país.

 

Gostou? Que tal colocar Dublin como o próximo destino da sua viagem? A TravelMate tem as melhores opções e condições para você conhecer e estudar na Irlanda e voltar com uma bagagem enriquecida de cultura e conhecimento.

A importância de uma agência certificada no processo do intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 661 0

Fonte: Belta

 

Ter comprado a viagem de intercâmbio com uma agência certificada com o Selo Belta, selo de qualidade em educação internacional, fez com que a viagem da paulista Thainá Tamna Pignata, estudante de 19 anos que realizou um ano de high school nos Estados Unidos, fosse um sucesso.

“Desde o primeiro contato, a consultora educacional da agência mostrou muito profissionalismo e preocupação em indicar para a Thainá o melhor programa. Sou muito grata pela dedicação que a agência teve e por ter tratado a viagem da minha filha com tanto carinho, preocupação e cuidado. O retorno disso tudo é que hoje vejo o desenvolvimento dela e principalmente a confiança que aprendeu a ter em si mesma. Sei que crescer, viver e sair da zona de conforto não é fácil, mas ela conseguiu, e a escolha da agência contribuiu muito para isso”, diz Cássia Ferreira, mãe de Thainá.

Empresas certificadas no mercado de educação internacional sabem que as responsabilidades vão além da venda e por isso garantem qualidade e suporte durante toda a experiência, podendo ainda ajudar sempre que for necessário, durante a viagem e na solução de eventuais necessidades que o intercambista venha a ter depois que chegar ao destino, como com acomodação ou com ajustes acadêmicos na escola.

 

Selo Belta

Antes de apresentar um contrato para o estudante assinar, uma boa agência vai destrinchar todas as etapas da viagem educacional e levar em consideração preferências pessoais, objetivos profissionais e estilo de vida do cliente. Ela também auxilia na escolha do destino (com base em detalhes como o clima de preferência do estudante) e afina os aspectos culturais do destino com o que busca o cliente e explica com detalhes a grade de horário das aulas.

“As agências que atuam de forma ética participam de treinamentos frequentes oferecidos por instituições internacionais, que têm o objetivo de atualizar informações e mostrar programas com maior detalhamento. Elas realizam visitas técnicas para avaliar a qualidade da instituição que representam e na qual matricularão seus alunos. E assim podem indicar a instituição mais adequada ao perfil do intercambista”, diz Luiza Souza, diretora da Agência Selo Belta Friends in the World.

Os estudantes que não levam em conta a experiência dos consultores antes de fechar o contrato podem acabar fazendo negócios com empresas que não têm a ética em sua carta de valores. “Infelizmente existem empresas que, para atraírem clientes, adotam uma estratégia suicida no que se refere a preços. Oferecem valores muito abaixo dos praticados pelo mercado, e na maioria das vezes acabam não honrando pagamentos a fornecedores estrangeiros, deixando o cliente sem o curso previamente pago à agência no Brasil”, diz Allan Mitelmão, diretor Agência Selo Belta da Just Intercâmbios. Uma forma de o estudante se precaver é solicitar via agência o comprovante de quitação.

Outra cilada em que o estudante pode entrar é a de comprar o programa em uma agência que não tenha o cuidado de falar detalhadamente a respeito das instalações da instituição, do número de alunos por sala, da localização da escola, nem de contextualizar os preços dos cursos em relação a outras possibilidades que possam interessar ao cliente.

Uma boa agência tem referências da escola com base em experiências de outros alunos que já tenham estudado lá ou mesmo através de visita técnica à instituição. Outra coisa importante: o preço passado ao estudante é um valor tabelado, feito pela escola para todas as agências.

“As escolas divulgam para as agências tabelas com os valores dos cursos que oferecem e as agências usam os valores dessa tabela para montar o programa de intercâmbio para o cliente, sem alterar o preço do curso. A agência que pratica preços diferentes da tabela oficial da escola, alterando o preço do curso, não está agindo com ética e transparência, prejudicando o cliente e o mercado de uma forma geral”, diz Luiza Souza.

Ainda sobre as escolas, um equívoco muito comum é o de achar que comprando direto da instituição estrangeira, sem intermédio de uma agência no Brasil, o gasto será menor. Pelo contrário: além de seguirem leis de proteção ao consumidor no Brasil, com base no Código de Defesa do Consumidor, as agências têm contratos de parceria e de representação com algumas das instituições com as quais trabalham.

“A maioria das escolas internacionais, a fim de manterem a parceria com as Agências Selo Belta, oferecem promoções e descontos exclusivos para os clientes que compram o intercâmbio com essas agências, descontos aos quais o cliente que compra direto não tem acesso”, diz Allan Mitelmão, diretor da Agência Selo Belta Just Intercâmbios

Ao pensar em fazer um intercâmbio no exterior, fique atento a todas estas dicas. Encontre uma agência de intercâmbio confiável e sempre escolha aquela que dará total suporte em todas as etapas e que possua certificação e referência no mercado.

High school no Canadá, a garantia de uma experiência inesquecível

Postado por: Tatiana Serbena/ 646 0

O Canadá tem sido uma excelente opção de base para a educação de qualidade no mundo. Fazer High School no Canadá é mais do que simplesmente adquirir fluência em um outro idioma. É ter uma educação bilíngue (inglês e francês são as línguas oficiais do país) e colocar um peso a mais no currículo com escolas que possuem excelente infraestrutura e alto reconhecimento em educação.

 

As vantagens

High School no Canadá

Um dos motivos para colocar o High School no Canadá no topo da lista de melhores opções no exterior é o custo. Além de se tornar uma alternativa mais barata pelo fato da moeda, o dólar canadense, ter um valor abaixo do dólar americano, o país permite que o intercambista escolha a cidade na qual quer morar.

Outro ponto vantajoso em um intercâmbio no exterior é o contato com diferentes culturas. Dentro da escola você vivenciará a rotina dos estudantes canadenses ao mesmo tempo em que conhece e faz amigos de todos os cantos do mundo. Outra convivência fundamental para o enriquecimento cultural e o aperfeiçoamento do idioma através da prática contínua é com a família hospedeira. Lá você poderá vivenciar o ambiente familiar canadense e conhecer seus hábitos e costumes. É, sem dúvidas, uma experiência para a vida inteira!

 

Flexibilidade

High School no Canadá

Diferente do padrão de ensino brasileiro, o Canadá oferece uma grade curricular flexível para seus estudantes. Lá eles mesmos podem escolher algumas matérias que almejam estudar, de acordo com o seu perfil e a área em que planeja seguir carreira no futuro.

São diversas opções como artes, business, culinária, esportes, tecnologia, entre outros. Essas disciplinas são ingressadas na grade junto das mais abrangentes, estas de caráter obrigatório.

O calendário segue os padrões do hemisfério norte, com o ano escolar iniciando em agosto ou setembro e terminando em maio ou junho.

 

Requisitos

High School no Canadá

Para o aluno ingressar e cursar o ensino médio em uma escola canadense, ele deve ter:

  • Entre 13 e 18 anos;
  • Pelo menos o nível intermediário básico de inglês.

 

High School no Canadá é diversão garantida

High School no Canadá

Se você pensa que a rotina é só estudar, você está enganado. High School no Canadá vai muito além da sala de aula! Nos tempos livres, finais de semana e no período de férias, o estudante pode se aventurar nas belas paisagens e variados atrativos que o Canadá pode lhe oferecer. Que tal praticar esportes e outros tipos de atividade na neve no inverno? Ou então curtir uma tarde de verão nos parques? Essas são apenas algumas opções de lazer garantido durante seu intercâmbio no país.

Ficou com vontade de cursar o ensino médio em uma escola canadense? A TravelMate tem as melhores opções para você. Que tal começar a se programar desde já para a experiência mais incrível da sua vida conhecendo uma escola canadense por dentro? Assista o vídeo abaixo, ele foi feito pelos próprios alunos da escola, localizada em Ottawa, a capital do país.

Existe uma idade certa para fazer intercâmbio?

Postado por: Tatiana Serbena/ 626 0

Não existe idade certa para fazer intercâmbio. Várias opções para todas as idades estão disponíveis nas agências.

Viver uma experiência em outro país, conhecer gente do mundo inteiro, aprender um ou mais idiomas. O intercâmbio no exterior é mais que uma vivência cultural, é um salto importante para uma carreira de sucesso, ajuda no amadurecimento e traz junto uma bagagem indescritível. Isso tem sido cada vez mais prioridade ente os estudantes no Brasil. Mas, antes de arrumar as malas e se arriscar em uma aventura lá fora, surge o questionamento: existe uma idade certa para fazer um intercâmbio? E qual é?

A verdade é que não existe uma idade adequada para fazer, e sim a ideal para cada tipo de intercâmbio. Na fase da adolescência, dos 13 aos 18 anos, é comum estudantes do ensino médio se aventurarem no exterior para fazer o high school. Além de estudarem por lá, eles aperfeiçoam o idioma ao mesmo tempo em que enriquecem culturalmente na convivência com nativos e estudantes de outros países. Programas teens no período das férias escolares também são indicados para esta faixa etária. Lá os alunos estudam outra língua ao mesmo passo que se divertem e passeiam pelo destino escolhido.

A opção a partir dos 16 anos é um curso de idioma. Esse é específico para o aprendizado de outra língua no exterior, com a flexibilidade do aluno em escolher o tipo de curso, o período e carga horária em que deseja estudar. Apesar de não existirem restrições etárias para os cursos de idiomas, é necessário que o aluno possa ter uma estrutura melhor e a maturidade para viajar sozinho, sem preocupações, fazendo da sua experiência ainda mais sólida.

Dos 17, 18 anos em diante, surgem as opções de graduação, pós-graduação, técnico, trabalho e estudo, voluntariado, entre outros. O intercâmbio universitário é um passo largo para o sucesso. Um diploma de uma universidade do exterior no currículo é, sem dúvidas, a meta de grande parte dos estudantes. Outros programas visam o trabalho mesclado com o estudo, trabalho voluntário, ou no período de férias de verão no hemisfério sul.

Engana-se quem pensa que o sonho de fazer intercâmbio para por aí, na casa dos 20 e tantos anos. Se você já chegou ou passou dos 30, ainda é hora para aprender outro idioma no exterior. Muitos executivos buscam programas em outros países para aperfeiçoar outra língua, otimizar a carreira e até mesmo se especializar. Muitas escolas de idiomas estão abrindo opções específicas para quem tem 30 anos ou mais, e uma imensa parte delas já contam com cursos de idioma para negócios. E não pense que parou por aí. Têm escolas que oferecem também opções de cursos para quem já tem 50 anos ou mais. Ou seja, sem desculpas, né?

Se você tinha alguma dúvida quanto à idade ideal para o seu intercâmbio, ela já está sanada. A hora é agora! Planeje seu curso, escolha seu destino e boa viagem. Ainda está indeciso? A TravelMate tem as melhores opções para você.

Como convencer minha mãe a me deixar fazer um intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 2888 0

Como convencer minha mãe sobre intercâmbio? Essa pergunta é muito comum aos adolescentes que sonham fazer intercâmbio, afinal sair de casa, andar com as próprias pernas, conseguir a sonhada independência e viver o mundo nem sempre são tarefas fáceis, principalmente se a sua mãe for do tipo “coruja”, e sempre faz de tudo pra te manter por perto, seja no caminho para a escola, nos passeios de final de semana, nas visitas ao shopping e até mesmo na hora de te levar pra balada, a sua mãe está lá, sempre pronta pra te proteger em todas as situações. Mas e agora, como convencer a sua mãe de que o seu sonho da sua vida é fazer intercâmbio? Andar com as próprias pernas, vivenciar outra cultura, conhecer novas pessoas e conseguir a tão sonhada independência? É isso que a gente te explica no post de hoje!

1-Demonstre maturidade

2a

Você precisa passar confiança para a sua mãe, mostrar que e capaz de se virar sozinho, afinal, nenhuma mãe coruja deixará um filho imaturo solto pelo mundo. Demonstre que é responsável, comprometido, aplicado, que assume tarefas e é capaz de cumpri-las, o melhor caminho para convencer sua mãe é que mostrando sua capacidade de viver em segurança sem estar sempre com ela.

 

2-Conheça muito bem o seu destino

3a

Faça muitas pesquisas sobre o local que pretende ir, conheça elementos culturais, estude sobre a possibilidade de trabalhar, instituições de ensino, custo de vida, pontos turísticos, etc. Dessa forma, quando for convencer sua mãe, os argumentos positivos estarão na ponta da língua, e você poderá responder da melhor maneira as perguntas dela.

 

3-Demonstre que possui controle das suas finanças

4a

Um intercâmbio é, antes de tudo, um investimento na sua vida. Durante o período fora do país, você precisa mostrar que consegue controlar os seus gastos e viver sem luxos e mordomias (afinal, é o dinheiro dos seus pais que está em jogo). Para mostrar a sua capacidade de controle financeiro, comece pelas coisas simples, pesquise preços de produtos, veja se realmente precisa comprar tudo o que deseja, e claro, economize nos passeios do final de semana.

 

4-Procure uma boa agência de intercâmbio

5a

Você e seus pais precisam de segurança o viajar para o exterior, tomar iniciativa própria ou confiar em uma agência sem credibilidade nunca são boas soluções. Procure indicações com amigos, pesquise agências na internet, veja depoimentos, e avaliações. É muito importante que a agência escolhida tenha o Selo Belta (Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais), estas agências respeitam um padrão de qualidade que com certeza deixará sua mãe mais tranquila.

 

5-Conheça sobre os programas de intercâmbio

6a

Procure um programa ideal para a sua idade, e que englobe tudo o que você deseja fazer, seja estudar o ensino médio, ensino superior, idiomas ou até mesmo trabalhar. As agências montam vários tipos de pacote para todas as idades e públicos, pesquise sobre todos os pacotes e veja o que é o ideal para você.

 

6-Mostre exemplos de sucesso

7a

Várias pessoas relatam sua experiência com o intercâmbio na internet, inclusive aqui no nosso blog (conheça o Alexandre e a Malu). Mostre esses relatos de sucesso para a sua mãe, e faça-a imaginar como seria se você estivesse no lugar dos alunos de intercâmbio.

Seguindo essas dicas, e sendo um “bom filho”, temos certeza de que você conseguirá convencer a sua mãe. Não desista no primeiro “não”, vá atrás de novos argumentos e alimente o seu sonho, esteja sempre otimista e corra atrás de convence-la, mesmo quando ela diz que não. Aproveite esse tempo de convencimento e pratique todas as atitudes que comentamos acima. Esperamos ter a sua história em breve aqui no Diário do Intercâmbio!

Dispensa do visto para o Canadá começará em maio de 2017

Postado por: Tatiana Serbena/ 807 0

Se você já foi para o Canadá nos últimos 10 anos, ou tem um visto americano válido, prepare-se para entrar livremente no Canadá a partir de maio do próximo ano!

O governo do Canadá já tinha anunciado a medida para 2015, e desde então era um mistério. Mas agora é oficial! A dispensa do visto canadense começará a valer em maio de 2017.

Para quem se enquadrar neste grupo, bastará solicitar uma Autorização Eletrônica de Viagem (Electronic Travel Authorization – eTA) – antes de viajar, por uma taxa de apenas US$7. Isso vai facilitar – e muito – a vida de quem pretende conhecer a terra natal do Justin Bieber.

A dispensa do visto também estará valendo para os habitantes da Bulgária e da Romênia, seguindo as mesmas regras estipuladas para os brasileiros, porém, a dispensa do visto será válida para eles em dezembro de 2017.

Esse novo formato de autorização é online, muito mais prático e rápido para os viajantes, e faz parte de um programa de expansão do eTA.

A decisão foi anunciada inicialmente em 2015, e passaria a valer ainda este ano, porém foi adiada e finalmente anunciada de forma oficial através da página Canadá no Brasil no Facebook.

Na prática, o governo canadense está facilitando o processo para aquelas pessoas que com certeza seriam aprovadas na entrevista, assim, o processo se torna mais rápido e barato para o país e para o turista.

Segundo informou o embaixador do Canadá no Brasil, Riccardo Savone, objetivo é incentivar turistas e empreendedores à colocar o Canadá em suas rotas, e tornar o destino cada vez mais atrativo. Além disso, com a liberação, será possível economizar recursos, atualmente investidos no controle de imigração, para focar em segurança e controle com viajantes de risco mais elevado.

Quem não atende a essas condições continuará precisando pedir o visto para entrar no país. O documento custa cerca de 100 dólares canadenses (R$ 297,14), além de mais 30 dólares canadenses (R$ 89,14) de taxa.

O que levar para o intercâmbio?

Postado por: Tatiana Serbena/ 1284 0

O que levar para o intercâmbio? Essa pergunta toma conta do jovem nos dias antes da partida, porém, nós facilitamos e coisas para você

Sempre quando o dia da partida se aproxima, a ansiedade e a dúvida tomam conta do intercâmbista, o sonho de ir morar fora do país e conhecer outras culturas geralmente fascinam a mente dos jovens. Porém, em meio ao nervosismo do embarque, é preciso escolher com sabedoria o que levar ou não na mala, afinal, ninguém quer levar bermuda para o Canadá em janeiro, e ainda gastar dinheiro pagando excesso de bagagem por isso.

A escolha de quais, quantas e o que levar para o intercâmbio é essencial para garantir que você não se sinta um peixe fora da água em outro país e também para não deixar roupas guardadas no fundo da mala até o dia que você retornar para o Brasil. Veja cinco dicas que preparamos para você andar conforme o clima e o estilo do seu país de destino:

 

  • Leve roupas adequadas ao clima do seu destino;

o-que-levar-para-o-intercambio

Principalmente se você irá para um país de outro hemisfério, fique muito atento a esse detalhe, priorize roupas da estação e leve uma ou outra peça oposta para caso o tempo mude. Por exemplo, enquanto no Brasil é verão, nos Estados Unidos é inverno (um inverno muito mais intenso que o nosso, inclusive), então priorize calças, casacos e calçados fechados. Se possível leve dinheiro pra comprar roupas no seu destino, são mais baratas e fáceis de encontrar do que no Brasil, principalmente as de inverno.

 

  • Leve cartão pré-pago;

o-que-levar-para-o-intercambio

Se nós podemos te indicar o que levar para o intercâmbio sem exceção, leve o VTM. Andar com dinheiro em espécie não é uma boa ideia, se perder ele, será difícil sobreviver sem. Então, use cartões internacionais, como o VTM (Visa Travel Money), ele é aceito em mais de 30 milhões de estabelecimentos associados com a Visa ao redor do mundo.  Aqui na Travelmate, nós oferecemos o cartão e explicamos as suas vantagens antes do embarque, para estar tudo certo no dia da viagem. O cartão te dá mais segurança e elimina a preocupação com a taxa de câmbio.

 

  • Não leve todo o seu guarda roupas;

o-que-levar-para-o-intercambio

Leve apenas o que terá certeza que irá usar, de nada vale levar roupas para o exterior e elas voltarem do jeito que foram dentro da mala. Separe o que realmente deve ser levado, dentro das peculiaridades de cada país e dentro dos limites da sua mala. Evite pagar excesso de bagagem, em muitos países existem lavanderias onde só é preciso colocar a roupa dentro da máquina e inserir uma moeda para ela sair limpinha.

 

  • Leve uma mala extra;

o-que-levar-para-o-intercambio

Mesmo no período de crise econômica, ainda é vantajoso comprar roupas e eletrônicos no exterior. Como garantia, leve uma mala extra, dobre ela de tal maneira que fique compacta dentro da sua mala de viagem e quando chegar ao seu destino comece a comprar os seus presentes e lembranças. Vale lembrar pra sempre estar atento com o excesso de bagagem, confira com a companhia aérea quantos quilos de bagagem são permitidos por passageiro.

 

  • Leve seus pertences de valor na bagagem de mão;

o-que-levar-para-o-intercambio

Caso leve joias, dinheiro, ou bens de valor sentimental, coloque tudo na bagagem de mão, assim como uma muda de roupa extra. Extravios de bagagem acontecem todos os dias nos aeroportos, e você não quer ficar sem seus pertences de maior valor, muito menos com a mesma roupa por alguns dias.

 

  • Não se abra mão do seguro viagem.
    o-que-levar-para-o-intercambio

Ele não vai dentro da sua mala, mas eu garanto que você não vai querer embarcar no avião sem ele. Com o seguro viagem você tem assistência médica garantida, reembolso em caso de extravio de bagagem, assistência odontológica, e o melhor, tudo isso sem precisar desembolsar nenhum centavo a mais! Porém, apenas algumas agências oferecem esse modelo completo de plano, como oferecemos aqui na Travelmate. OBS: vários países não contam com saúde pública, então nem pense em viajar sem um bom seguro para te proteger.

Confira tudo antes de fechar a mala e ir para o aeroporto, se possível, providencie tudo com antecedência, assim, sobra mais tempo para você pensar se está levando tudo o que precisa. Na dúvida, faça uma check-list do tipo “o que levar para o intercâmbio”, com todos aqueles itens do seu dia a dia que precisa levar e os que você quer levar (lembre-se de primeiro levar o essencial).

Nós esquecemos de alguma coisa? Compartilhe com a gente o que levar para o intercâmbio, no seu ponto de vista.

lugares-para-visitar-no-intercambio

Seis lugares que você não pode deixar de visitar no seu intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 754 0

Cada país tem suas peculiaridades, mas mesmo assim eles possuem lugares em comum que você não pode deixar de conhecer. Conheça agora os lugares para visitar no intercâmbio!

 

Conhecer um novo país é fantástico, cada nação tem suas peculiaridades e lugares únicos e inesquecíveis. E se você for fazer intercâmbio, temos certeza de que gostará de aprender e ver tudo o que o pais pode te oferecer, não é mesmo!?

Mesmo que cada país seja único, existem lugares comuns dos países que você não pode deixar de conhecer, afinal, no seu intercâmbio você quer muito mais do que estudar ou trabalhar, procura também uma imersão na rotina e na cultura do seu destino. Abaixo, listamos seis lugares para visitar no intercâmbio, confira:

  • Visitar os pontos turísticos mais famosos da cidade e do país em que vive:

1

Como no Brasil temos o Cristo Redentor, na França a Torre Eiffel e na Itália o Coliseu, todos os países possuem pontos turísticos famosos e conhecidos internacionalmente, essas são as primeiras referências quando se fala em lugares para visitar no intercâmbio. Durante o seu intercâmbio, reserve alguns finais de semana para visita-los, se forem longe, pegue um trem, ônibus ou até mesmo um avião para conhecê-los.

Afinal, é sempre muito bom conhecer lugares novos e novas pessoas, quanto maior a sua bagagem cultural adquirida no exterior, melhor. Afinal, bagagem cultural não entra na soma de peso das malas!

 

  • Conhecer os shoppings da cidade:

lugares-para-visitar-no-intercambio

Além de tirar um tempo para fazer aquela famosa “compra de presentes”, conheça os shoppings para pesquisar e comparar os preços com o Brasil, assim você consegue conhecer novos lugares e ainda comprar algo que precisa por um preço melhor que os praticados no Brasil (ou não).

No exterior existem produtos que para a gente é novidade, principalmente na área tecnológica e vestuário. Com certeza, vale conferir os shoppings do seu país de intercâmbio. Além de conhecer um novo lugar, você aproveita pra encher um pouco mais a sua mala.

 

  • Visitar os bares e clubs da cidade:

lugares-para-visitar-no-intercambio

Um lugar para visitar no intercâmbio é, com certeza os bares e os clubs. São nesses lugares que as pessoas geralmente procuram pra se divertir, e se quiser conhecer novas pessoas, temos certeza de que esses são ótimos lugares. Em alguns países, como a Irlanda, essa cultura de ir para bares é muito forte, e se você deseja conhecer pessoas animadas e prontas para se divertir a noite toda com você, os bares e clubs são os lugares certos!

 

  • Conhecer as belezas naturais do lugar:

lugares-para-visitar-no-intercambio

Independente de ser praia, montanha, campo, lago ou vale, o importante é conhecer e curtir as paisagens naturais do seu país de intercâmbio. Geralmente elas ficam fora das grandes cidades e podem demandar algumas horas de viagem, mas a experiência de conhecer os paraísos naturais do país não tem preço.

Aproveite e faça fotos, leve roupas de banho, calçados adequados ao terreno do destino, protetor solar ou casacos, comida, água, e tudo o que precisar para a sua viagem ser um sucesso. Para saber tudo o que precisa, pesquise previamente sobre o destino e prepare uma mochila com tudo o que você vai usar na sua aventura.

 

  • Vá até os grandes centros e ruas de grande circulação:

lugares-para-visitar-no-intercambio

Nesses lugares existem pessoas de todos os tipos e de todos os lugares, além de que é nos grandes centros que você consegue resolver os seus problemas burocráticos e encontrar o que precisa. Provavelmente você precisará obrigatoriamente se deslocar até o centro da cidade para resolver burocracias do intercâmbio, aproveite e conheça mais sobre o lugar e as pessoas que passam por lá.

 

  • Procure locais onde os moradores nativos se encontram:

lugares-para-visitar-no-intercambio

Durante o período do seu intercâmbio, procure lugares onde os moradores nativos se encontram, e que são frequentados por poucos estrangeiros, acredite, nesses lugares, quanto menos estrangeiros, melhor.

Assim você consegue viver 100% a experiência dos nativos, sem interferência do estilo de vida e cultura de outros países. Assim como te aconselhamos a visitar lugares onde existem trocas culturais, aqui te aconselhamos a visitar lugares com uma única cultura, esta que você escolheu para o seu intercâmbio.

 

Curta o seu intercâmbio da melhor maneira! Conheça todos os lugares para visitar no intercâmbio durante o seu período de viagem, ou até mesmo os lugares de outros países (principalmente na Europa). A experiência e paisagens que cada lugar tem ajudam – e muito – a enriquecer a sua experiência no intercâmbio. Tire muitas fotos e sempre aproveite o máximo de cada momento que o intercâmbio te proporciona.