Categoria: Países

Descubra 12 expressões típicas de terras Australianas

Descubra 12 expressões típicas de terras Australianas

Postado por: Sirius/ 5 0

 

Um intercâmbio é sempre a melhor maneira de conhecer a fundo a cultura e costumes de um país. E será provavelmente neste momento de vida que você se deparará com expressões que somente os nativos de cada lugar conhecem bem. A Austrália, é um destes lugares que escondem expressões típicas e modos de falar bastante próprios. Confira uma seleção dos que provavelmente sejam os termos mais falados no dia-a-dia dos australianos.

 

– Aussie, Ozzie, Oz e Ocker

Estas são expressões usadas para se referir à Austrália ou aos australianos.

 

– Hooroo

Saber se despedir de alguém, ou seja, dar aquele bom e velho “tchau” provavelmente tenha sido uma das primeiras coisas que você tenha aprendido em inglês. Mas se você ouvir “Hooroo” pela primeira vez, provavelmente não saberá que significa o mesmo que “Goodbye”, o nosso “tchau”. Esteja pronto para desejar em alto e bom som: “Hooroo my friend, see you tomorrow!”

 

– Mate

Você poderia ter terminado a frase anterior substituindo o “my friend” por “mate”. Para os australianos, dizer “mate” é se referir a um amigo.

 

– Good on ya!

Parece até outra língua, mas é inglês australiano. Essa expressão significa que algo foi bem feito, e mostra que você realmente gostou do que foi feito ou do que aconteceu.

 

– Stubby

Assim como no Brasil temos diversas formas de nos referirmos à cerveja, na Austrália não é diferente. Ao invés de beer, eles usam a gíria “stubby” quando é garrafa. Se for lata, o mais comum é usar a expressão “tinny”.

 

– Fair enough

Uma maneira bastante comum de dizer “ok”.

 

– Heaps

Um jeito bem australiano de enfatizar o termo “a lot”. É comum escutar por lá um agradecimento utilizando a expressão heaps, por exemplo: “Thanks heaps for help me” (muito obrigado por me ajudar).

 

– Cuppa

Os australianos adoram uma boa xícara de chá ou café e o termo “cuppa” é o mais usado para se referir a estas bebidas. Se alguém te perguntar “How do you like your cuppa?” estará se referindo ao modo de preparo da sua xícara de chá ou de café.

 

– Thong

Como este é um acessório que você provavelmente usará bastante lá na Austrália, vale a pena colocar na lista. “Thong” é o mesmo que “flip flops” ou seja, chinelo de dedo. Se um dia você precisar, basta dizer “I need a new pair of thongs”, todos lhe entenderão.

 

Barbie

Um dos momentos mais sagrados para a maioria dos australianos é esse: Um bom e saboroso churrasco. Por lá, os churrascos são mais do que simples refeições, são vistos como reflexos de um estilo de vida.

 

– Brekky

Já que estamos falando de comida, aí vai uma abreviação para outra refeição: brekky é café da manhã para os australianos. A propósito, o café da manhã por lá é levado bastante a sério. No cardápio, uma junção que inclui ovos, bacon, avocado, feijão, salsicha, pão, torrada e por aí vai.

 

– Arvo

Um diminutivo para “afternoon”. Assim, “arvo” a rigor, significa tarde. “I saw him down the pub this arvo”.

 

Agora que você se sente mais preparado para fazer as malas e partir pra Austrália, fale com a Travelmate e faça desse sonho uma realidade! Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

Estas são expressões usadas para se referir à Austrália ou aos australianos.

 

– Hooroo

Saber se despedir de alguém, ou seja, dar aquele bom e velho “tchau” provavelmente tenha sido uma das primeiras coisas que você tenha aprendido em inglês. Mas se você ouvir “Hooroo” pela primeira vez, provavelmente não saberá que significa o mesmo que “Goodbye”, o nosso “tchau”. Esteja pronto para desejar em alto e bom som: “Hooroo my friend, see you tomorrow!”

 

– Mate

Você poderia ter terminado a frase anterior substituindo o “my friend” por “mate”. Para os australianos, dizer “mate” é se referir a um amigo.

 

– Good on ya!

Parece até outra língua, mas é inglês australiano. Essa expressão significa que algo foi bem feito, e mostra que você realmente gostou do que foi feito ou do que aconteceu.

 

– Stubby

Assim como no Brasil temos diversas formas de nos referirmos à cerveja, na Austrália não é diferente. Ao invés de beer, eles usam a gíria “stubby” quando é garrafa. Se for lata, o mais comum é usar a expressão “tinny”.

 

– Fair enough

Uma maneira bastante comum de dizer “ok”.

 

– Heaps

Um jeito bem australiano de enfatizar o termo “a lot”. É comum escutar por lá um agradecimento utilizando a expressão heaps, por exemplo: “Thanks heaps for help me” (muito obrigado por me ajudar).

 

– Cuppa

Os australianos adoram uma boa xícara de chá ou café e o termo “cuppa” é o mais usado para se referir a estas bebidas. Se alguém te perguntar “How do you like your cuppa?” estará se referindo ao modo de preparo da sua xícara de chá ou de café.

 

– Thong

Como este é um acessório que você provavelmente usará bastante lá na Austrália, vale a pena colocar na lista. “Thong” é o mesmo que “flip flops” ou seja, chinelo de dedo. Se um dia você precisar, basta dizer “I need a new pair of thongs”, todos lhe entenderão.

 

Barbie

Um dos momentos mais sagrados para a maioria dos australianos é esse: Um bom e saboroso churrasco. Por lá, os churrascos são mais do que simples refeições, são vistos como reflexos de um estilo de vida.

 

– Brekky

Já que estamos falando de comida, aí vai uma abreviação para outra refeição: brekky é café da manhã para os australianos. A propósito, o café da manhã por lá é levado bastante a sério. No cardápio, uma junção que inclui ovos, bacon, avocado, feijão, salsicha, pão, torrada e por aí vai.

 

– Arvo

Um diminutivo para “afternoon”. Assim, “arvo” a rigor, significa tarde. “I saw him down the pub this arvo”.

 

Agora que você se sente mais preparado para fazer as malas e partir pra Austrália, fale com a Travelmate e faça desse sonho uma realidade! Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

Além de Madrid e Barcelona: 5 paraísos espanhóis que você precisa conhecer

Postado por: Sirius/ 19 0

Um dos destinos turísticos mais belos e visitados do mundo, uma cultura riquíssima e um povo de personalidade forte. Assim é composto o trio que pode representar genericamente o que é a Espanha aos olhos do mundo. Quando se fala em Espanha, provavelmente o que virá em seu pensamento serão as duas cidades mais populares e emblemáticas do país, seja pela sua importância, história, beleza ou representatividade: tendemos a visualizar as gigantes Madrid e Barcelona.

Porém, e aqui não contaremos nenhuma novidade, a Espanha vai muito, mas muito além disso. Não seria ousadia dizer que o país detém praias, por exemplo, que não perdem para nenhuma outra no mundo, e em todos os quesitos comparativos.

E para comprovar, listaremos 5 grandes destinos espanhóis que merecem tanta fama quanto qualquer outro canto da linda terra espanhola.

Praia de Gulpiyuri, Astúrias

Além de linda, a praia de Gulpiyuri detém um título relevante: ela é considerada a menor praia do mundo. Nada exagerado, já que a orla possui apenas 50 metros de extensão. No entanto, um detalhe a deixa ainda mais especial: a praia de Gulpiyuri só pode ser acessada por corajosos aventureiros, já que carros não tem acesso ao local. O local é tido como Monumento Natural do país e protegida pelo governo espanhol. Com toda a certeza, Gulpiyuri fará você se sentir em uma ilha deserta, em plena Espanha.

 

Praia de Covachos

Localizada perto de Santander, precisamente na cidade de Soto de la Marina, a praia de Covachos possui, além de uma beleza impressionante, uma característica curiosa. Ela se encontra dividida, de forma natural, por uma grande formação rochosa. Tal rocha, é a responsável por criar um efeito de que a praia possui dois mares que estão cortados por uma fina faixa de areia. Se um dia você for a Covachos, só tenha em conta um detalhe: a praia é um tanto quanto “naturalista” e nem todo mundo estará utilizando trajes de banho. Se isto não for um problema, aproveite a visita à praia para conhecer a linda cidade de Santander e suas preciosidades, como a Catedral e o Mirante Cabo Mayor.

 

 

 

Hayedo de Otzarreta

Se você confundir a paisagem de Hayedo de Otzarreta com uma pintura, não se sinta só. Também não é uma miragem, se você estiver visitando o local no outono, quando costuma ser chamado de “bosque encantado”. Pelo seu valor paisagístico e natural, o bosque faz parte do espaço protegido do Parque Natural de Gorbeia.

Photo: Edu Martín
Photo: Edu Martín

Ilhas Cíes, Galícia

A região conhecida por Islas Cies, em espanhol, faz jus à fama. O paraíso espanhol, que fica, na verdade bem pertinho de Portugal, detém alguns apelidos que nos fazem desconfiar de que estamos realmente perdendo algo grandioso. Conhecida como “Caribe espanhol”, “ilha dos deuses” ou chamada de “o paraíso secreto”, as Ilhas Cies foi um dia descrita pelo popular The Guardian como a praia mais bonita do mundo. Mais precisamente, o arquipélago é composto por 3 ilhas: Monte Agudo, O Faro e San Martiño. Em resumo: um paraíso, de águas cristalinas e areias brancas. Nada mais importa.

Ilhas Cies

 

Enseada Pregonda, Menorca

É claro que Menorca não poderia ficar de fora dessa lista. Depois de uma longa, mas pra lá de recompensadora caminhada, você chegará à tão desejada praia de areia avermelhada e águas cristalinas. E aproveitando que você estará em Menorca, dê um pulo nas praias Macarella e Macarelleta (preciosíssimas como diriam os espanhóis) e não deixe de passar na região vizinha, Mallorca, para conhecer a ilha e a charmosa Palma de Mallorca, que também abriga uma praia mais linda que a outra.

Enseada Pregonda Menorca

 

Deu vontade de embarcar amanhã pra Espanha? Você pode contar com a Travelmate para te auxiliar tanto em uma viagem a turismo quanto para te acompanhar em um passo maior, como um intercâmbio. Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

 

Escócia Intercâmbio

Escócia: um intercâmbio dos sonhos

Postado por: Sirius/ 24 0
Mesmo um pouco longe dos holofotes quando o assunto é intercâmbio, a Escócia figura entre os mais belos países do mundo na lista de quem tem o privilégio de visitá-la alguma vez.

 

Mesmo fazendo parte do Reino Unido, a Escócia possui singelas particulares que a diferem do restante de países mais visados entre futuros intercambistas como Inglaterra e Irlanda do Norte. Um país idílico, com inúmeras cidades prá lá de históricas, românticas, rodeadas por lagos, montanhas, castelos e mais castelos, excelentes whiskys e ainda, com um povo que anda pra lá e pra cá exibindo a exótica cultura “kilt”. Sabe aquela saia xadrez masculina, geralmente usada em ocasiões formais, bastante incomum aos nossos olhos de habitantes de terras brasileiras? Estas saias são conhecidas como “kilt”.

 

A lindíssima Edimburgo, capital da Escócia, é conhecida como um dos maiores centros financeiros da Europa e está entre as três cidades mais visitadas do Reino Unido. Não é pra menos: a cidade, como a Escócia em geral, é um verdadeiro reduto de história, conhecimento, beleza e sofisticação. Edimburgo, em meio as suas alamedas arborizadas e edificações históricas, elegantes e impressionantemente belas, é marcada por uma veia cultural bastante intensa. A cidade é repleta de teatros, arenas, salões de exposições e grandes museus, oferecendo tudo o que um verdadeiro amante de artes desejaria conhecer algum dia. Sem falar ainda, em seus castelos e palácios históricos que são verdadeiras obras de arte a céu aberto.

 

Para os fãs de história e também de seriados, a série Outlander, que conta a história de Claire Beachaump e sua história de (re)encontros com sua alma gêmea, Frank.  O seriado é gravado na Escócia e retrata o país nos anos 1.745 e 1.945. Interessante, não?

 

No mês de agosto, a exemplo dessa veia cultural, a cidade recebe o dobro de pessoas em comparação ao número habitual, a fim de visitar as famosas apresentações de teatro, música erudita, ópera e balé do Festival Internacional, que também acontece para escritores, com o nome de International Book Festival, além do Fringe e do Jazz Festival. É cultura e entretenimento que não acaba mais.

 

O Palácio de Holyroodhouse é residência oficial da rainha da Escócia e merece uma, duas, três ou quantas visitas forem necessárias para apreciar a magnífica arquitetura e impressionante decoração barroca do interior. Ainda dentro dos limites do Palácio, está a Abadia Agustina de Holyrood, construída no século XII, e embora esteja em ruínas, segue sendo um lugar romântico e misterioso.

 

Outros pontos interessantes que estão próximos ao Palácio, é o Parlamento Escocês, o Museu de Edimburgo, o People’s Story Museum e o Calton Hill, que é uma colina onde estão localizados diversos monumentos que fazem com que a cidade receba o título de “Atenas do Norte”. O “Monumento Nacional” por exemplo, é um monumento composto por 12 colunas criado para homenagear as vítimas nas Guerras Napoleônicas, mas nunca foi finalizado.

 

Outro distrito bastante próximo à capital que merece ser visitado com calma durante a estadia na Escócia é Leith. A região era conhecida pela construção de navios, produção de whisky, lustres, cristais entre outros.

 

A Escócia, por fim, é um país onde a natureza e sofisticação de sua arquitetura dão um show à parte. A tranquilidade reina e a variedade de montanhas é um convite tanto para aqueles que querem relaxar em meio à natureza quanto para os que curtem esportes de aventura. Trilhas, mountain bike, canoagem e rafting são os mais praticados no litoral e interior do país.

 

A culinária do país é baseada em carnes e batatas, e semelhantemente com o que ocorre na Inglaterra, os escoceses também tem o hábito de recorrer à fritura para incrementar o sabor de seus pratos.

 

Além de Edimburgo, capital da Escócia, as cidades mais populares para visita, e com razão, são: Glasgow, Dundee, Angus e Fife. A moeda do país é a libra esterlina, e os idiomas oficiais são o inglês e o gaélico escocês.

 

Fale com a Travelmate para conhecer as melhores opções de intercâmbio para a Escócia e partir para uma etapa memorável na sua vida. Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

austrália

5 dicas para quem vai estudar e trabalhar na Austrália

Postado por: Sirius/ 66 0

A possibilidade de estudar e trabalhar ao mesmo tempo, é um dos fortes motivos que levam cada vez mais estudantes a optar por um intercâmbio na Austrália. O país oferece sob algumas condições mas de forma descomplicada, a possibilidade de visto de trabalho para estudantes internacionais. O visto de estudantes é concedido para aqueles que realizarão cursos no país cuja duração mínima é de 14 semanas.

Em resumo, o visto de estudante permite as seguintes condições:

– Para estudantes de cursos de inglês, cursos técnicos e cursos universitários como graduação, pós graduação e MBA, é possível trabalhar 40 horas quinzenais durante o período de estudos.

– Para estudantes de cursos universitários como mestrado ou doutorado, é possível trabalhar sem um limite de horas previamente especificadas.

Segundo o Australian Census, os brasileiros estão entre os imigrantes mais qualificados da Austrália, considerando que mais de 60% dos que vivem no país possuem diploma de graduação. Para os presentes e futuros intercambistas do país, é importante ter em mente que, se tratando de procurar e conseguir um trabalho, nem sempre o diploma vai determinar e direcionar para um emprego previsível, isto é, da sua área de formação.

Como o visto de trabalho para cursos mais populares como graduação, pós graduação, cursos técnicos e cursos de inglês, estabelece um limitador de carga horário para trabalho, é bastante comum que muitos estudantes acabem encontrando e topando um trabalho fora de sua área de formação. Na Austrália, muitas empresas contratam intercambistas para trabalhos de meio período.

As vagas de emprego na Austrália atendem aos mais diversos setores do mercado de trabalho, mas as vagas mais comuns para os intercambistas acontecem nos setores de varejo, turismo, vendas, turismo e hotelaria. Para alguns setores, como turismo e hotelaria, comumente são exigidos certificados específicos obtidos através de cursos rápidos realizados no país.

Considerando que um emprego durante o intercâmbio é um desejo da grande maioria dos intercambistas, e que por ser remunerado, ajuda (e muito) nos gastos, a Travelmate listou 5 promissórias dicas que podem ser decisivas na hora de encontrar um emprego na Austrália.

1. Procure por empregos compatíveis com a quantidade de horas permitidas pelo seu visto

Se você tiver essa limitação, vai ser muito difícil conseguir uma vaga de trabalho que demande grandes responsabilidades ou um engajamento técnico muito alto. Geralmente, as ocupações para quem pode trabalhar somente meio período rondam um mercado um pouco mais informal.
2. Invista em cursos rápidos para se especializar

Determinados empregos na Austrália demandam alguns certificados específicos que podem ser conseguidos de forma rápida e sem tanto esforço. Investir neles irá te impulsionar ao encontro da vaga de trabalho que você deseja pois seguramente fará você se destacar entre os outros candidatos.

3. Ter a própria bicicleta pode fazer a diferença

Alguns empregos, como delivery em empresas como Deliveroo ou Foodora, pedem que os trabalhadores tenham a sua própria bicicleta. A boa notícia é que empresas assim estão constantemente procurando por trabalhadores ocasionais. Boa chance de levantar uma boa graninha.

4. Se cadastre em agências de recrutamento

As agências ou plataformas de recrutamento podem ser decisivas na hora de encontrar um emprego. Muitas empresas na Austrália as utilizam como apoio para preencher as vagas de trabalho. As plataformas mais comuns da Austrália são: Hays, Randstad Australia ou Adecco.

5. Além de se cadastrar em plataformas esperando um contato chegar, procure você mesmo pelas vagas

É possível expandir as buscas através de alguns outros canais. Os empregos part time e trabalhos ocasionais estão listados por toda a parte, basta procurá-los. Sites como Seek, Gumtree, Adzuna ou Career One apresentam diversas vagas para os mais diversos interesses.

Outra dica imprescindível para quem procura emprego, é estar sempre verificando comunicados públicos, como aqueles que ficam expostos nas universidades, supermercados, bibliotecas ou nas vitrines de lojas. Não esqueça ainda, de sempre externar a sua busca e necessidade para as pessoas próximas. Alguém pode acabar de ajudando nessa.

Conte com a Travalmate para realizar o sonho de ter uma experiência completa na Austrália. Clique aqui para falar com um de nossos consultores e conheça os nossos pacotes.

Vancouver

Vancouver resumida em 10 interessantes curiosidades

Postado por: Sirius/ 76 0

Vancouver pode ser traduzida de várias maneiras. Mas suas características atuais revelam que o melhor adjetivo para definir a cidade é uma palavra que une diversas outras por definição: multiculturalidade. Vancouver se faz presente em qualquer ranking que ouse elencar as melhores cidades para se viver do planeta. Cosmopolita, moderna e multicultural, a cidade é ainda rodeada por montanhas, recheada de praias, florestas, belas paisagens e habitada por um povo pra lá de acolhedor.

Abaixo, estão listadas 10 interessantes curiosidades sobre Vancouver que comprovam, das mais diferentes maneiras, que Vancouver é de fato, um lugar especial.

1. Clima
Considerando que o Canadá tem fama de ser um país gelado nos tempos de inverno, em Vancouver a situação funciona um pouquinho diferente. O clima da cidade é mais ameno. Na realidade, podemos traduzir o clima de Vancouver como “nem tão frio, nem tão quente” considerando os parâmetros canadenses, é claro. No verão, o clima é fresco e bastante úmido, e a temperatura raramente atinge os 30ºC. No inverno, é mais comum que a temperatura chegue a zero graus. Se atingir linha negativa, não deve passar de -10ºC.

2. Grandes tempestades são raras
Já que estamos falando de clima, aqui vai uma curiosidade interessante: é bastante raro escutar raios ou grandes trovoadas em Vancouver, ao contrário do que se está acostumado na área central e leste do Canadá.

3. Qualidade de vida
Em termos de qualidade de vida, Vancouver por diversas vezes foi considerada a cidade com a melhor qualidade de vida do Canadá. O mais interessante disso tudo, é que o próprio Canadá já foi considerado o país com a melhor qualidade de vida do mundo. Em outras palavras, estamos falando da cidade de melhor qualidade de vida dentro de um país com a melhor qualidade de vida do mundo. Nada mal para Vancouver, nada mal para o Canadá.

4. Falou em cruzeiro? Vancouver é especialista
Vancouver possui um dos maiores terminais de cruzeiro de passageiros do mundo. Principalmente entre os meses de maio a outubro, a cidade recebe navios diariamente, e a maioria deles tem endereço certo: chegar ao Alasca. Nos dias de maior movimento, em torno de 15 mil pessoas embarcam e desembarcam nos terminais de cruzeiros de Vancouver.

5. Culinária vasta
Diante de tantas opções, seria necessário uma grande quantidade e diversidade de povos diferentes vivendo em Vancouver para consumir essa vasta oferta gastronômica na cidade. E não é exatamente isso que acontece? A cidade oferece uma quantidade praticamente imensurável de restaurantes servindo pratos típicos da culinária de todos os cantos do planeta. Viva a multidiversidade de Vancouver.

6. Cenário de cinema
Muitos não sabem, mas Vancouver é palco para grandes filmagens do cinema mundial. Inúmeros filmes americanos que pensamos serem filmados por lá, na realidade, aproveitam as lindas e diversificadas paisagens que a cidade e o país oferecem para registrar o cenário e encantar os telespectadores mais exigentes. Prova disso, é o posto de Vancouver no segundo lugar como maior produtor de filmes da América do Norte, perdendo apenas para a praticamente imbatível, Los Angeles. A boa notícia, além da exposição evidente, é que muitos empregos são gerados em função dessa característica da cidade.

7. Vancouver concentra riquezas
Se tratando de Vancouver, o termo riqueza pode ser perfeitamente utilizado em todas as vertentes possíveis para caracterizar a cidade. Mas neste caso, estamos nos referindo a riqueza financeira. Em Vancouver estão os bairros mais caros e as pessoas mais ricas do Canadá. Para se ter uma ideia, ninguém estranha casas sendo vendidas por mais de R$ 20 milhões de dólares.

8. O Greenpeace foi criado em Vancouver
O Greenpeace, organização em defesa do ambiente mais famosa do mundo, é cria de Vancouver, precisamente de um bairro considerado um dos mais simpáticos dos arredores da cidade: Kitsilano.

9. Maior piscina do Canadá
Aproveitando que citamos o adorável bairro de Kitsilano, existe uma outra característica que o traz de volta. É lá que está localizada a maior piscina do Canadá. Curiosamente, a piscina é abastecida com água salgada e possui por volta de 137 metros de comprimento.

10. Um parque imenso, o Stanley Park
Para se ter ideia do tamanho do principal parque da cidade de Vancouver, vamos utilizar como parâmetro um parque que talvez detenha o posto de mais famoso do mundo, o Central Park em Nova York. Gigante, não? Pois é, o Stanley consegue ser em torno de 10% maior. São em torno de 4km2 de área total, o tornando o maior parque urbano do Canadá. No entanto, o Stanley Park vai muito além do seu grande tamanho. Diversos atrativos dão fama ao parque, como as belíssimas paisagens em qualquer época do ano, a vista de um belo skyline de Vancouver, passeios de barco, passeios de trem, piscinas, grandes ciclovias e muito mais.

Ficou curioso para conhecer e morar em Vancouver? Fale com a Travelmate para conhecer os nossos pacotes e embarque nessa!

Canadá

Por que o Canadá é tão interessante?

Postado por: Sirius/ 105 0

Sempre que falamos de intercâmbio, o Canadá aparece como destino mais visado dos brasileiros. O posto de primeiro da lista é sustentado firme e forte pelo país, que há mais de décadas nunca deixou de fazer parte da lista dos 10 países mais desejados para uma experiência de intercâmbio.

 

O objetivo principal dos estudantes ao visar o Canadá, é com o fim de aprender um novo idioma. Porém, no Canadá, essa questão “língua oficial” varia um pouquinho de cidade para cidade. Caso você desembarque em Montreal, por exemplo, encontrará uma região francófona, isto é, a língua que você mais vai escutar pelas ruas  será o francês, ainda que o inglês também continue muito presente. Mas caso você escolha desembarcar na capital Toronto, é o inglês que assumirá como língua predominante.

 

Uma das vantagens do Canadá, portanto, nasce aqui. Dependendo da sua disposição e intenção, é possível se aprofundar no inglês visando a fluência e ainda arranhar um belíssimo francês.

 

O quesito custo é mais um ponto para o Canadá. O dólar canadense costuma ser mais vantajoso que o dólar americano. Para o brasileiro, na hora de converter o real para dólar, o Canadá vai ser o país ideal caso você se preocupe em economizar e gastar pouco menos que outras opções como Estados Unidos, Inglaterra e Austrália.

 

Se você já superou a etapa de definir o país e se decidiu pelo Canadá, agora terá de enfrentar um outro problema que costuma ser ainda mais complicado: Com tantas cidades incríveis no país, qual delas escolher? As três principais, Montreal, Toronto e Vancouver costumam não só figurar como as cidades mais atraentes do Canadá, como disputam lado a lado com outras cidades de peso espalhadas pelo mundo. Mas aqui cabe uma dica: no momento de escolher a cidade ideal para você, comece se decidindo pela língua predominante que você deseja estar exposto. Inglês ou francês? Dessa forma, a decisão vai afunilando e você já pode chegar a uma resposta sem tanto sacrifício.

 

Se o seu objetivo for aperfeiçoar o inglês, aí vai mais uma vantagem que ajuda a fazer a fama do Canadá. O inglês canadense costuma ser mais fácil de entender que o americano. Isso acontece pois, dependendo da região dos Estados Unidos, é possível encontrar muitos sotaques, expressões e maneiras de falar que podem travar um pouquinho um aprendizado mais rápido.

 

Quer mais um ponto a favor do Canadá? Olhe para os canadenses. O país é um dos mais admirados do mundo, senão o mais, devido à famosa hospitalidade e apoio à diversidade da população, refletindo em um belo acolhimento de estrangeiros.

 

Por último, mas (de fato) não menos importante, consideraremos as belíssimas paisagens do país que são dignas de cinema. Com uma variedade de lugares, climas e cenários, o Canadá vai da neve à praia sem medo de encantar quem estiver por lá. Com tantas qualidades e com uma preocupação diária com a qualidade de vida, é fácil constatar que a fama do segundo maior país do mundo não foi construída à toa. Mergulhe você também na riqueza multicultural de um país tão rico como o Canadá, que seguramente, te esperará de braços abertos.

 

Fale com a Travelmate para embarcar neste sonho!

A fama da “Irlanda abrasileirada” deve impedir que você viaje?

Postado por: Sirius/ 141 0

A impressão de que o número de brasileiros na Irlanda é cada vez mais alto, é fato comprovado. Nos últimos 5 anos, o número de brasileiros no país cresceu mais de 50%. Dentre as cidades preferidas, estão Dublin, em primeiro lugar, seguida por Cork, Galway e Limerick.

As vantagens de escolher a Irlanda como destino do seu intercâmbio são bastante relevantes. Viver em um país europeu, o alto padrão de ensino, o fácil deslocamento para outros países do continente, a possibilidade de estudar e trabalhar ao mesmo tempo, uma população acolhedora e sorridente, as belíssimas paisagens e as animadas festas irlandesas justificam o encantamento de tantas pessoas, principalmente dos brasileiros, pelo país europeu.

Além da alta representatividade dos brasileiros na Irlanda, o Brasil se destaca também como o país da América Latina que mais envia estudantes para o exterior. Esse número gira em torno de 300 mil estudantes por ano, e os destinos mais procurados são: Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália e claro, Irlanda.

Porém, mesmo diante de tantas vantagens de estudar e trabalhar na Irlanda, muitas pessoas descartam o país presumindo-se que a presença de um número elevado de brasileiros pode atrapalhar o intercâmbio como um todo, mas principalmente, o aprendizado da língua inglesa.

Para os que pensam desta forma, adiantamos que existe uma parcela de razão, mas ela nunca pode ser forte o suficiente para fazer o intercambista desconsiderar escolher a Irlanda como destino do intercâmbio, e vamos explicar o porquê.

Você escolhe com quem irá conviver

Por mais que existam grandes chances de esbarrar com muitos brasileiros no país, a convivência com esse grupo depende muito do próprio intercambista. Se você escolher fazer o seu intercâmbio na Irlanda, é você quem vai se decidir por uma imersão a fundo na cultura irlandesa e é você quem vai tomar atitudes para que a prática do idioma estrangeiro seja intensa. Assim como brasileiros, existem intercambistas de diversas outras nacionalidades que estarão na Irlanda com o mesmo objetivo que o seu: aprender um novo idioma e enriquecer a trajetória acadêmica e profissional. Identifique estas pessoas e procure estar próximo a elas. Procure estar próximo às pessoas que falam inglês ou o estão praticando, assim como você estará.

More com pessoas que falam inglês

Outra dica imprescindível é com relação à moradia. Por mais que pareça bem mais confortável e prático dividir quarto ou residência com brasileiros, evite fazê-lo. O ideal é que você more com pessoas que já possuem o inglês como língua nativa. Assim, a chance de aprender e alavancar o seu inglês é exponencial.

Evite habitar zonas turísticas

A região que você frequentará também terá muito peso para que a presença maciça de brasileiros no país não atrapalhe o seu aprendizado. Neste caso, busque viver em regiões que costumam ser frequentadas por habitantes locais das cidades irlandesas e que são mais afastados de centros turísticos. Dessa forma, você vai conviver com o inglês de forma mais profunda e escutá-lo quando estiver passeando na rua, quando precisar ir ao mercado, quando necessitar de algum serviço ou quando estiver fazendo qualquer refeição em algum restaurante. Em resumo, opte por frequentar locais que irlandeses frequentam.

A Irlanda é bastante reconhecida por sua qualidade de ensino, pelo baixo custo de vida, e pelas inúmeras oportunidades de trabalho que concede. Lembre-se sempre: é você quem faz o seu intercâmbio. Os rumos que ele irá tomar, dependerá de suas escolhas. Portanto, decida-as com cautela e responsabilidade, e comprove que definitivamente, não há como se arrepender de um dia ter escolhido a Irlanda.

Conte com a Travelmate para fazer este sonho acontecer. Clique aqui e fale com um de nossos consultores. Estamos esperando por você!

Seul

Por que Seul é o próximo destino do seu intercâmbio

Postado por: Sirius/ 192 1

Por que Seul é o próximo destino do seu intercâmbio

 

Mesmo não sendo um destino altamente disputado pelos futuros intercambistas, a Coréia do Sul reúne atrações interessantíssimas para quem busca uma viagem um tanto quanto exótica. E adiante, você verá que não há motivos para deixar o país de fora das possíveis opções para o seu intercâmbio. A bagagem que a Coréia do Sul, e precisamente, Seul, a sua capital, pode deixar na vida de qualquer intercambista é imensurável, considerando a diversidade cultural, lugares, costumes e principalmente modos de viver, bastante diferente do que estamos acostumados.

 

É importante lembrar a qualquer estudante, que o Governo da Coréia do Sul leva a educação muito a sério. Sendo um país marcado pela alta competitividade, o setor educacional é um dos escolhidos para grandes investimentos governamentais, e tendo em vista um bom desenvolvimento econômico nacional, a educação está bastante ligada ao avanço digital. Não é pra menos: a Coréia do Sul de hoje, é altamente reconhecida pela tecnologia, traduzida principalmente em produtos eletrônicos e marcas de carros com bastante representatividade mundial. Para aqueles que já estudaram na Coréia do Sul, é unanimidade que os coreanos são educados e dedicados, e o país altamente tecnológico e muito seguro.

 

A melhor parte disso tudo, para nós brasileiros, é o fato de que os beneficiados por esse incentivo educacional não se restringe apenas aos cidadãos coreanos, mas também, aos cidadãos das “nações parceiras”, como felizmente, é o caso do Brasil.

 

Outro ponto positivo em fazer intercâmbio na Coréia do Sul é que o país vem em constante crescimento e se mantém presente, mesmo que indiretamente, no dia a dia de milhares de pessoas mundo afora, considerando os importantes produtos tecnológicos produzidos por lá.

 

Seul, sua capital, é um lugar especial com características das mais encantadoras e vibrantes metrópoles mundiais, como Nova York, e sabe equilibrar muito bem dois importantes quesitos: tradições antigas e modernidade. Seul, definitivamente, é uma cidade que nunca dorme. A vida noturna é bastante agitada, com inúmeros bares, restaurantes, karaokês e cafés que nunca fecham para você passar o tempo. Conhecer os principais pontos turísticos da cidade requer um passeio ao Palácio Changdeokgung, reconhecido como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, ao tradicional bairro de Bukchon, e uma caminhada entre a multidão que vem e vai na região de Dongdaemun, com seus shopping que ficam abertos 24 horas.

 

Seul, ainda, é conhecida como um digno “laboratório da moda”. O fascínio pela estética e pelo mundo da moda estão bastante presentes na dinâmica não só da cidade, como no país como um todo. Mais uma vez citando Dongdaemun como exemplo, revela-se o exemplo mais claro que o quesito moda, estética e excentricidade fazem parte do dia a dia dos sul-coreanos, bem representado pelo edifício Dongdaemun Design Plaza, projetado pela equipe do tão respeitado escritório de Zaha Hadid em parceria com o estúdio Samoo. Inaugurado em 2014, o edifício atua como um complexo multicultural, representando a maior área comercial da Coréia do Sul, abrigando mais de 25 shoppings e aproximadamente 30.000 lojas. Mesmo que o complexo seja um atrativo por si só, ainda existem dois grandes eventos. Nos meses de março e outubro acontece a Semana da Moda de Seul. Imperdível!

 

Agora, se você é um adepto à belas praias, mergulhar em um intercâmbio em Seul não será má escolha. As belas praias de Yeosu e Busan formam um litoral repleto de ilhas e campos floridos. Para os mais aventureiros, a belíssima cadeia de montanhas Taebaek cai como uma luva. É lá que está o Parque Nacional Seoraksan, um lugar lindo e tranquilo para desfrutar à vontade de uma natureza belíssima.

 

Como todo lugar possui a sua culinária típica, em Seul, você não pode deixar de saborear o mais coreano de todos os pratos conhecido como “Kimchi”, um condimento típico feito a base de acelga. Mas de forma mais abrangente, a culinária tenra e apimentada é uma das principais características locais. Representando um bom e velho país do extremo oriente, a culinária é saudável baseada em grãos, legumes, vegetais, peixes, frutos do mar. E sobre a carne de cachorro, é mito ou é verdade? Sim, eles comem, mas é uma parcela pequena da população. Os pratos mais comuns da Coréia continuam sendo iguarias como o Bibimbap e o Naengmyoen, que nada mais são que uma tigela com arroz, legumes, carne e ovo, e macarrão gelatinoso, respectivamente.

 

O fuso horário é uma outra curiosidade da Coréia em relação ao Brasil. A diferença é grande: 12 horas à frente em relação ao Brasil.

 

E já que estamos falando de Coréia, não há como deixar de lado a febre do som K-pop, tradicional música pop coreana que mistura influências do pop, hip hop, rock e R&B. Se o som te atrai, há muito o que curtir entre amigos.

 

Se animou em fazer um intercâmbio pra lá de diferente? Seul definitivamente é uma excelente opção! Entre em contato com a Travelmate e dê o primeiro passo para viver essa incrível experiência.

 

 

 

 

Cidade do Porto

Como é morar na Cidade do Porto?

Postado por: Sirius/ 127 0

Como é morar na Cidade do Porto?

 

Se o seu interesse de intercâmbio é movido pela vontade de estudar em boas instituições, Portugal com certeza está dentre as opções mais acertadas. O país possui vibrantes cidades universitárias como Lisboa, Coimbra e Porto. Esta última é bastante conhecida por reunir diversos fatores atrativos tanto para quem busca diversão e lazer, quanto para quem está interessado em estudo e aprendizado. Além de excelentes instituições de ensino, a Cidade do Porto é reconhecida como um destino e tanto por sua faixa litorânea, por sua arquitetura moderna e tradicional, por seu centro histórico que hoje é Patrimônio Mundial da UNESCO, por suas paisagens, vinhos e culinária.

 

Os cidadãos de lá levam uma vida simples, como acontece na maioria das cidades da Europa, mas com muita qualidade. Como os encantos da cidade são extensos, listamos os principais que você não pode deixar de conhecer.

 

Cidade do Porto

 

Ribeira

Localizada às margens do Rio Douro, no coração do tão falado Centro Histórico da cidade, a Ribeira do Porto foi considerada Patrimônio Histórico pela UNESCO. Na Ribeira, merecem destaque o Palácio da Bolsa, a Praça da Ribeira (também conhecida como Praça do Cubo), a Rua da Fonte Taurina, uma das mais antigas da cidade, o Muro dos Bacalhoeiros e a Casa do Infante, onde acredita-se que tenha nascido o Infante D. Henrique, em 1394.

Rio Douro

É  o segundo maior rio de Portugal sendo navegável ao longo de toda a sua extensão. É possível fazer passeios de barco e apreciar a vista da linda cidade do Porto de outro ângulo. Diversas empresas hoje oferecem esse passeio, aproveite!

 

Estação Ferroviária de São Bento

Considerada uma das mais belas estações ferroviárias da Europa, a Estação de São Bento foi inaugurada em 1916 e é especial por apresentar elementos que caracterizam Portugal, como a presença de azulejos pintados de azul, tipicamente português. A arquitetura é linda, com influência francesa. Vale a pena marcar uma viagem e embarcar nessa estação.  

 

Catedral da Sé

Próxima à Estação de São Bento, encontra-se a Catedral da Sé, um edifício belíssimo de estrutura romano-gótica, típica do século XII e XII.

Torre dos Clérigos e Arredores

Por conta da vista de tirar o fôlego, a Torre dos Clérigos é um dos principais pontos turísticos da cidade. A torre faz parte da estrutura da Igreja dos Clérigos, e foi construída por volta de 1750 a 1760.

 

Avenida dos Aliados

É a Avenida mais importante da cidade, que reúne importantes lojas, muito charme, história, e atrai milhares de pessoas diariamente. A Avenida dos Aliados é o retrato da sociedade burguesa do século XIX, e no passado, concentrava as principais sedes bancárias do país e diversas instituições financeiras do governo. Por mais que a ocupação de diversos edifícios tenha sido modificada, a maioria deles continua lá, de pé. Por isso, caminhar pela Avenida sem nenhuma pressa é definitivamente uma decisão mais que acertada.

 

Casa da Música

Um dos símbolos da arquitetura moderna é a principal sala de concertos do Porto e uma das mais importantes do país. O edifício foi projetado pelo arquiteto Rem Koolhaas, fazendo parte do evento “Porto Capital Europeia da Cultura, em 2001.

 

Francesinha

Para finalizar, uma atração da cidade do Porto de dar agua na boca. A Francesinha é um prato típico que surgiu na cidade do Porto. A sua criação foi inspirada em dois clássicos franceses, o croque-madame e croque-monsieur. Ao ser adaptado ao paladar português, foi criado o famoso molho levemente apimentado que vai por cima do sanduíche feito com dois pães de forma grossos, recheado com bife bovino, linguiça, salsicha fresca,  fiambre e queijo. Por cima, o molho quente levemente apimentado à base de tomate, cerveja preta e claro, vinho do porto. Costuma-se ainda finalizar com ovo estrelado por cima e servir com batata frita. Delicioso!

 

Conte com a Travelmate para viver essa incrível experiência. Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

Work and Travel Estados Unidos

Postado por: Sirius/ 193 1

Trabalhar durante o seu intercâmbio pode ser o melhor dos mundos para a maioria dos intercambistas que se aventuram em viver no exterior. O Work and Travel é um programa de trabalho remunerado ideal para estudantes que sonham em ter uma experiência completa que abrange um dos principais campos de interesse de um intercambista: ser remunerado enquanto desbrava uma nova cultura.

 

Devido aos moldes do programa, é possível aproveitar as férias da Universidade para viajar sem precisar perder ou adiar os estudos aqui no Brasil. O programa é exclusivo para jovens universitários que tenham entre 18 e 28 anos de idade e o período no exterior varia de 3 a 4 meses. O Work and Travel é realizado nos Estados Unidos, sempre durante as férias de verão do Brasil, justamente para que os estudantes possam voltar ao país e continuar os seus estudos normalmente, mas agora, com uma bela bagagem a mais. Ter que interromper os estudos para fazer intercâmbio nem sempre é a melhor escolha para os estudantes, e de fato, muitos não querem adiar um pouco mais a formação universitária.

 

O contato com o idioma vai ser constante, e você vai poder praticar o seu inglês com pessoas de vários lugares do mundo, conhecer de perto as gírias locais e se acostumar com diferentes sotaques. É por isso que, sem sombra de dúvidas, o nível de inglês para quem passa 3 ou 4 meses nos EUA melhora consideravelmente. Porém, visando um melhor aproveitamento no trabalho, é importante que o estudante já possua um conhecimento de inglês pelo menos a nível intermediário.

 

O Work and Travel é um programa baseado em experiência de trabalho, e o trabalho no exterior compete testar novas capacidades, possibilita a descoberta de novos talentos e ainda desenvolve a sua capacidade de adaptação e aprendizado. Mas, e agora, ele é o melhor programa pra você?

 

 

Para responder essa pergunta, veja se você se adequa ao primeiro critério do programa: a idade. Ter entre 18 e 28 anos e ser estudante universitário são pré-requisitos para ter o passe livre e então se aventurar em uma experiência Work and Travel. Se você se encaixa nestes critérios, sorriso no rosto!

 

Você vai poder aproveitar as férias universitárias para conhecer uma nova cultura, conhecer pessoas diferentes, fazer amizades de todas as partes do mundo, ganhar experiência profissional em terras americanas e ainda levar o seu inglês a um nível excelente, é claro, se houver dedicação o bastante. Com estes benefícios, é difícil achar alguém que não se interesse em viver um Work and Travel. Portanto, se você é jovem, tem uma grande de vontade de se desenvolver, tanto profissionalmente quanto pessoalmente, quer conhecer pessoas, lugares e costumes novos e de quebra voltar com um inglês redondinho, o Work and Travel é pra você.

 

A Travelmate trabalha com duas modalidades dentro do programa. Uma delas, é o Work and Travel Independent, onde o estudante é responsável por conseguir a sua própria oferta de trabalho. A outra modalidade é o Work and Travel Premium. Nesta, a oferta de trabalho é providenciada pela Travelmate através de seus parceiros nos EUA. Esta modalidade se torna ideal para quem está participando do programa pela primeira vez e/ou quem não quer se preocupar em procurar a sua própria oferta de trabalho.

 

Ficou com vontade de trabalhar nos EUA? Entre em contato com a Travelmate e feche o seu pacote. Esperamos você!

 

 

 

 

Vantagens de intercâmbio na América do Sul

Postado por: Sirius/ 163 0

Se um dia, alguém pedisse para você se imaginar fazendo intercâmbio, muito provavelmente você se imaginaria em algum destino não muito longe de países como Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia ou em algum dos encantadores países da Europa. Mas nem sempre é preciso ir tão longe assim para viver um intercâmbio memorável. Os países da América do Sul são (ou pelo menos deveriam ser) candidatos fortíssimos para a escolha do destino do seu intercâmbio.

 

É natural que os aspirantes a intercambistas mirem países que estão mais distantes, como aqueles anteriormente citados, que priorizem a língua inglesa para aprendizado e aperfeiçoamento, ou até mesmo tenham a percepção de que indo tão longe, enfrentarão desafios mais intensos e memoráveis.

 

Porém, naturalmente, temos certa dificuldade de nos voltarmos para o que está próximo de nós e que também possa vir a ser uma excelente opção para intercâmbios de curta, média ou longa duração. A América do Sul possui uma cultura e paisagens riquíssimas, e a capital da Argentina, Buenos Aires, é tão encantadora e efervescente que não perde para a maioria das cidades da Europa.

 

 

Além de poder conhecer lugares como Machu Picchu e Cusco no Peru, Buenos Aires, Patagônia e Ushuaia na Argentina, Santiago, Deserto do Atacama, Torres del Paine, Isla de Pascua e Marble Caves no Chile, Ilha Galápagos e Banõs no Equador, Salar de Uyuni e Green Lagoon na Bolívia, Los Roques na Venezuela, Cartagena e Guatapé na Colômbia, Punta del Este e Montevideo no Uruguai, você pode usufruir de pelo menos mais 3 belas vantagens:

 

– O espanhol é um dos idiomas mais importantes e mais falados no mundo;

 

– O nível de ensino na grande maioria das escolas de idiomas é equiparável com o nível dos cursos oferecidos na Europa;

 

– A economia, levando em consideração a cotação da moeda local destes países, pode te permitir certos luxos e passeios a mais. Portanto, há um excelente custo-benefício.

 

Outra vantagem de fazer da América do Sul o seu novo lar, é que você pode entrar em todos os países que fazem parte do Mercosul (Argentina, Paraguai, Uruguai) sem visto nem passaporte, desde que o período de permanência seja de até 3 meses. Se por acaso esse for o seu caso, apenas a sua carteira de identidade é suficiente. Portanto, além da passagem aérea ser mais barata, você economiza o gasto que teria se tivesse que fazer visto e passaporte e de quebra aproveita pra se divertir ainda mais.

 

Além disso, a América do Sul pode se revelar ainda mais interessante em termos de custo. É possível investir em excelentes cursos de espanhol em países como Argentina, Chile, Peru, Uruguai e Colômbia. Além disso, custos básicos que incluem estadia, alimentação e transporte saem mais em conta, visto que a moeda local destes países é menos valorizada que o real, e farão seu dinheiro render mais, se comparado com o dólar ou o euro.

 

Conheça e valorize o seu continente. Curta as lindas paisagens, desfrute da memorável gastronomia e viva as ricas culturas da América do Sul. Conte com a Travelmate para explorar o que temos de melhor! Clique aqui e fale com a gente.

 

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem

Postado por: Tatiana Serbena/ 481 0

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem: Todo viajante tem em mente a sua própria lista de aventuras, sejam elas radicais ou não. Essas aventuras podem incluir desde voar de balão na Capadócia a pular de Bungee Jump na Nova Zelândia.

Pensando nos aventureiros dispostos a encarar qualquer parada, criamos uma lista com 10 sugestões de aventuras que tem tudo para marcar a vida de quem mergulha de cabeça em cada experiência dessas. Lembrando que o tempero de cada experiência não precisa ser apenas radical. Você pode ficar completamente satisfeito e empolgado com diferentes maneiras de ver algumas das paisagens mais bonitas da terra.

Começaremos, portanto, com uma experiência já anteriormente citada e bastante conhecida para quem aterriza em terras turcas:

 

Voe de balão na Capadócia

É com certeza o passeio imperdível da Turquia. Além da sensação de voar em um balão, o que, diga-se de passagem, não é nem um pouco familiar, você terá aos seus pés uma paisagem indescritivelmente bela. Existe um silêncio que paira sobre o momento que transmite paz, tranquilidade e emoção ao mesmo tempo. A consciência de como a natureza é grandiosa é um dos legados mais bonitos dessa experiência. O passeio é concorrido, portanto, reserve-o antes de chegar lá.

capádocia balão travelmate

 

Mergulhe em um cenote mexicano

Os cenotes são espécies de cavernas ou grutas. A diferença é que estão cobertos por água da chuva, e com isso, são formados incríveis poços de água cristalina. No México existem vários deles, e é na Riviera Maia que você pode encontrar a maioria. Além de serem belíssimos, os cenotes tem história. Eles eram de extrema importância para a população Maia, pois além de fonte de água também serviam como local para cerimônias religiosas. Não é de surpreender, pois esses lugares são realmente divinos. Você pode comerçar por Tulum, onde está o famoso Cenote Dos Ojos ou conhecer o Gran Cenote, para ver de perto uma água incrivelmente cristalina e uma das representações mais bonitas da arquitetura gótica do mundo.

mexico travelmate

Acampe na Antártica

Parece impossível, mas não é. A Antártica pode ser considerada a fronteira limítrofe quando se trata de uma viagem de aventura. Por lá, existe vida e paisagens selvagens e é possível viver (nem que seja apenas por poucas noites) encarando toda essa novidade de perto. Diferente do que a maioria pensa, visitar o Continente Branco não é somente para cientistas ou pesquisadores. Para chegar na região mais fria do planeta, você precisa se deslocar até Ushuaia, na Argentina para então percorrer cerca de 1000 km de navio quebra-gelo. A melhor época para encarar essa aventura gelada é entre novembro e abril, pois as temperaturas estão um pouco mais amenas. Uma das sensações mais incríveis é quando bate meia noite e ainda é possível ver o sol no horizonte, pois o dia tem quase 24 horas. O lugar é inóspito e observar paisagens, animais e um campo vasto de água congelada vale mais do que uma visita a qualquer museu da face da terra.

3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem
3 incríveis aventuras que fazem valer a viagem

Conte com a Travelmate para embarcar rumo ao destino dos seus sonhos. Clique aqui e fale com a gente!

Três destinos para aprender inglês e economizar

Postado por: Tatiana Serbena/ 422 0

A chance de aprender inglês no exterior é uma oportunidade de ouro pra quem precisa dominar o idioma. A boa noticia é que você pode fazer isso, e ainda economizar dinheiro fugindo dos destinos mais populares do mapa caso volte os olhares para destinos mais alternativos. Países como a requisitada Austrália, a exótica África do Sul e a badalada Malta são as melhores opções para quem busca se aperfeiçoar no idioma, fazer turismo e economizar.

Além de serem países com uma excelente oferta de ensino de inglês, os três possuem uma vantagem em comum. A excelente estrutura turística de seus lugares exuberantes e atrativos fazem a motivação de estar lá, decolar. O apoio aos estudantes também é outro fator digno de ser considerado e pontuado como benéfico, pois em determinados países existem restrições ou uma burocracia demasiada que dificulta a permanência e liberdade do estudante do local.

Países como África do Sul e Malta por exemplo, possuem uma particularidade que pode ser bastante positiva se o seu objetivo é uma imersão total na língua inglesa. Nos dois existe um número reduzido de brasileiros, o que te proporciona um contato maior com estudantes estrangeiros e moradores nativos. Esse ponto com certeza impulsionará os ganhos do seu intercâmbio, em termos de aprendizado e experiências diferentes.

Já a Austrália, por suas mil e umas qualidades, costuma receber um número um pouquinho maior de brasileiros, no entanto, não é um fator que chegaria a ser prejudicial ao seu intercâmbio. Esse ponto vai muito da sua postura de imersão no idioma estrangeiro que acaba determinado pela nacionalidade que você mais conviverá.

Três destinos para aprender inglês e economizar
Três destinos para aprender inglês e economizar

 

Um outro ponto positivo da Austrália, além de ser um país com imensas qualidades e atrações, e por isso um pouco mais caro que os outros dois, é com relação à facilidade de obter visto que autorize o trabalho em meio período. Muitos estudantes buscam essa complementação na renda, e ir para a Austrália pode ser um fator determinante para essa conquista.

Na África do Sul, o destino mais comum é a Cidade do Cabo. O local garante um baixo custo de vida, visto que a moeda é desvalorizada em comparação com o real. Em Malta, você pode optar por Saint Julians. Mesmo sendo o euro a moeda oficial do país, por lá as coisas não costumam ser tão caras, principalmente se tratando de cidades pequenas e acolhedoras, como Saint Julians. Por lá, existem excelentes ofertas de ensino de inglês, visto que o inglês é um dos dois idiomas oficiais do país.

Cape Town

A Austrália é longe de ser uma opção barata. Mas se colocarmos a alta do dólar americano e do euro em questão, o destino passa a ficar um pouco mais atrativo se nos voltarmos para o custo/benefício. Lembre-se também do fator que estimula o trabalho meio período na Austrália, o que pode acabar ajudando muito no final das contas.

Entre em contato com a Travelmate e dê o primeiro passo para realizar o seu sonho de morar fora!

Os três modelos de hospedagem mais comuns no intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 369 0

Se tratando de intercâmbio, uma série de decisões devem ser tomadas. Para ter certeza de que você chegou na melhor opção, é preciso primeiramente conhecer as alternativas possíveis e fazer um balanço dos fatores que mais pesam. Uma importante decisão a ser tomada é com relação a sua moradia. Listamos abaixo as três modalidades mais comuns e pontuamos as vantagens e desvantagens mais evidentes de cada uma delas. Lembrando que essa é uma decisão que não precisa ser fixa do início ao fim do seu intercâmbio. Você pode mudar caso não se sinta à vontade ou perceba que não é da maneira como você esperava.

hospedagem mais comuns no intercâmbio
Hospedagem mais comuns no intercâmbio
  • Host Family 

Um dos modelos mais comuns de se hospedar no intercâmbio é o que chamamos de Host Family, que significa morar na casa de uma família e dividir com eles o dia a dia. Este, possivelmente, é o caminho mais curto para economizar e mergulhar na cultura de um país, pois é uma troca bastante significativa e diária. As três maiores vantagens que resumem essa modalidade de hospedagem são: economia, segurança e excelente custo-benefício. Além disso, esse tipo de acomodação costuma ter pelo menos uma refeição inclusa, um fator confortável e que reduz gastos.  Sem contar ainda que “ter uma família” do outro lado pode ser bastante confortante. Há momentos em que pode-se precisar de uma atenção um pouco mais particular.

Além disso, quem vivenciou na pele esse tipo de modalidade de hospedagem afirma ter tido uma melhora e aprofundamento significativo na língua materna local, seja ela qual for. Se a sua intenção for realmente aprender inglês, por exemplo, a Host Family é seguramente uma excelente opção.

No entanto, você pode estar indo para o intercâmbio com um espírito um pouquinho diferente, e opções como “residência estudantil” e “morar sozinho” podem ser mais adequadas.

 

  • Residência estudantil

O ambiente é outro. Você vive entre estudantes que geralmente tem a mesma idade que a sua e possivelmente as mesmas pretensões e objetivos. As acomodações nessa modalidade podem variar entre quartos compartilhados ou individuais. Aqui, você já é um pouco mais dono do próprio nariz e deve menos satisfações. É uma rotina um pouco mais autônoma que a intimidade vivida em uma casa de família. As residências estudantis costumam ter excelentes infraestrutura e localizações centrais privilegiadas. Algumas incluem até mesmo a facilidade das três refeições diárias, já outras oferecem cozinhas e a infraestrutura necessária para que você mesmo faça a sua própria comida. Existem outros tipos de variações, como banheiros compartilhados ou não.

Uma vantagem da residência estudantil que se assemelha à casa de família é o fator convivência diária com a língua diferente da sua e que você provavelmente tenha imenso interesse em aprender.

Uma das principais desvantagens, principalmente em comparação com a casa de família é o preço. Residências estudantis costumam ser mais caras e também mais concorridas. Em alguns casos há filas de espera para conseguir uma vaga. Por mais esse motivo é importante fazer tudo com antecedência.

Lembre-se também do fator convivência. Como você dividirá os espaços e possivelmente seu quarto com diferentes pessoas das mais distintas culturas, é preciso haver uma conversa para que haja a responsabilidade devida, respeito e organização, a fim de evitar conflitos futuros.

Por outro lado, se você pretende ficar muito tempo no local de destino, esse é um ambiente ótimo para a sua chegada. Lá, você irá fazer amigos e encontrar possíveis colegas para dividir um apartamento, opção que oferece um pouco mais de privacidade e conforto, além de criar laços e amizades duradoras com pessoas de diversos lugares.

 

  • Morar sozinho

Eis a opção que exigirá uma disposição maior em desembolsar um valor a mais por mês. Morar sozinho tem qualidades evidentes que atraem qualquer um que deseja uma experiência de autonomia no exterior. No entanto, costuma ser a menos popular entre as opções mais comuns de moradia, principalmente tratando-se de intercâmbio estudantil. Além de ser mais caro na grande maioria dos casos, morar sozinho exige que você tenha mais autonomia em resolver todos os seus problemas de maneira independente. É preciso também ter um pouco mais de controle com gastos e pagamentos de contas.

No entanto, ter o seu próprio cantinho pode significar um prazer imenso para quem não abre mão de conforto, liberdade total e principalmente privacidade.

Se o local comportar, nada impede também que futuramente você também opte por dividir com uma ou mais pessoas, já que existirá a liberdade de fazer esse tipo de escolha. Essa opção cai bem não só pela companhia, caso você deseje, como também para dar uma folga nos gastos mensais da casa.

Agora que você já conhece as principais vantagens e desvantagens de cada uma das principais modalidades de hospedagem para o seu intercâmbio, entre em contato com a Travelmate e dê o primeiro passo para o seu sonho de morar fora!

Intercâmbio na Austrália? Anote 5 experiências inusitadas

Postado por: Tatiana Serbena/ 254 0

Pelo país rico que é, motivações diferentes é o que não faltam para quem elege a Austrália o país de seu intercâmbio. Listamos 5 experiências inusitadas que são dignas de marcar não só o seu intercâmbio, mas a sua vida.

Intercâmbio na Austrália
Intercâmbio na Austrália

 

  • Conheça de perto uma onda gigante de pedra

Na pequena cidade de Hyden existe uma instigante obra prima da natureza. Uma formação rochosa natural com mais de 110 metros de comprimento conhecida por Wave Rock justifica a visita e todas as fotos que serão levadas desse encontro. A propósito, privilegie a visita na época da primavera. As orquídeas florescem e criam um entorno único.

intercâmbio na austrália

 

  • Se jogue nas dunas de Port Stephens

Melhor lugar que esse pra surfar só mesmo um mar com boas ondas. As dunas de Port Stephens oferecem quilômetros de pura beleza e diversão. Para deslizar nas dunas, você praticará algo conhecido como sandboarding, o que é o mesmo que se jogar pelas montanhas de areia com uma tábua ideal para isso. Termine com um mergulho no mar ao lado.

 

  • Nade com tubarões

Por mais assustador que essa ideia pareça, tudo acontece de forma segura. No parque marinho de Ningaloo você pode mergulhar com os bons gigantes conhecidos por tubarões-baleia. Caso você já tenha alguma experiência a mais em mergulho, descubra e explore a diversificada coleção de esponjas, gorgônias e chicotes do mar localizadas nos jardins de esponjas logo na entrada do golfo de Exmouth.

 

  • Viaje ao centro da terra em Hancock Gorge

Já que você estará na outra ponta do mundo, dá pra ir um pouquinho mais além. Encare um passeio conhecido como “viagem ao centro da terra”. O lugar é Hancock Gorge e a paisagem é exuberante. Vale a queda, literalmente.

 

  • Veja de perto a historia das colônias de Port Arthur, Tasmania

Apesar da juventude do país, Austrália também é casa de lugares históricos. Mesmo que pareça inusitado para um país tão belo, sorridente e banhado por águas lindas e cristalinas, a Austrália tem um passado presidiário, e dos pesados. Em Port Arthur está um dos presídios mais duros da época colônias, cheio de historias e personagens emblemáticos. Talvez um dos motivos da fama, é que Port Arthur era o destino final dos condenados mais perigosos da época. O presídio foi fechado em 1877 e hoje ocupa a categoria de Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Ficou com vontade de fazer intercâmbio pra Austrália? Entre em contato com a Travelmate e conheça nossos pacotes e condições especiais.

Austrália | Melbourne

Duda Flores fala sobre sua preparação de intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 335 0

A Duda vai viajar para a Austrália com a Travelmate e fez um vídeo falando sobre a preparação dela.

Confira:

Juliane Paula Trevisol na Nova Zelândia

Postado por: Tatiana Serbena/ 1778 0

Esse é um relato de experiência pessoal, onde posso garantir que após um intercâmbio você nunca mais será o mesmo, você não terá as mesmas ideias sobre as coisas, você se tornará uma pessoa melhor em todos os aspectos pessoais.

Bom, meu nome é Juliane Trevisol, nasci na cidade de Itá Santa Catarina, cidade a qual vivi por toda minha vida até o ano de 2016 quando dei uma reviravolta em minha vida. Planejando casar, vivendo em uma cidade pacata de apenas 5 mil habitantes, onde tudo acontecia de uma maneira rotineira e a qual não me fazia sentir realizada e completa, faltava adrenalina, faltava emoção, tinha um sentimento que dizia: “vai guria, você pode mais do que isso, vai desistir dos seus sonhos por medo? Pelo que as pessoas dizem? “Eu sabia que não encontraria felicidade se continuasse reclamando da minha vida sem fazer nada para muda-la. Foi o que eu fiz.

Sempre tive um sonho de infância que era realizar um intercâmbio, comentei sobre a ideia com meu futuro marido na época, o mesmo me respondeu: “ Esse é um sonho seu e não meu” Lembro como se fosse hoje, isso significava que eu estava com uma pessoa que não compartilhava dos meus sonhos, e foi exatamente isso me impulsionou a tomar minha decisão, vi que nossos caminhos não estavam indo para mesma direção, decidi terminar o relacionamento, pedir demissão do meu trabalho, vender minhas coisas, resolver assuntos pendentes, e contar para minha família sobre minha decisão, isso foi o que eu fiz. Estava certa do que eu queria e nada e nem ninguém iriam fazer eu desistir. Manter o foco no objetivo é fundamental, não levar em conta as influencias, pois muitos tentaram fazê-lo desistir, ou desejar o seu fracasso, nessa hora você identifica quem são seus verdadeiros amigos, e são aqueles que ficaram ao seu lado quando ninguém mais está.

Após um planejamento e dicas de uma boa agencia de viagens chamada Travelmate de Chapecó, que me orientou sobre a melhor escolha, e quais as possibilidades seriam as melhores para mim eu decidi optar como destino a Nova Zelândia, um pais a aproximadamente 18.000 quilômetros da minha cidade Itá Santa Catarina. Arrumei as malas e com muita vontade de fazer acontecer, embarquei rumo ao desconhecido.

Chegando em Auckland uma das maiores cidades da Nova Zelândia me deparei com um mundo desconhecido, mas cheio de oportunidades, e eu precisava fazer com que as pessoas que aqui viviam percebessem que eu estava aqui, fazer o diferencial.

Após 2 meses procurando por trabalho, distribuindo currículo de porta em porta, consegui meu primeiro emprego em uma loja de cafés chamada Starbucks. Na época eu trabalhava três dias por semana, incluindo sábado e domingo, e estudava de terça a quinta, durante um ano e meio, na mesma empresa fui promovida a supervisora, e a dois meses consegui emprego em um dos maiores bancos da Nova Zelândia.

Recebi muitos nãos, mas a cada não que eu recebia me fortalecia ainda mais, eu sabia que eu conseguiria, eu acreditei em mim. Viver em um país que não é o seu é desafiador, e você precisa manter o pulso firme para não desistir, manter o pensamento positivo e acreditar que o amanhã será melhor que o hoje ajuda muito a equilibrar as emoções, essas que são muitas. A falta da família, dos amigos, da comida que sua mãe preparava, da sua cama, das festas, você irá enfrentar um turbilhão de emoções, mas mantendo o foco é possível ir em frente. A cada vitória é uma conquista, conquista que é somente sua e de mais ninguém.

Hoje sou um ser humano melhor, fazer um intercâmbio faz com que você aceite as diferenças, faz com que você aprenda a pedir ajuda, a dizer obrigada, agradecer e agradecer. Encarar os desafios e medos é muito mais fácil após um intercâmbio, é uma maneira de receber um aprimoramento pessoal vivenciando na pele, você literalmente precisa correr atrás dos objetivos e fazer acontecer, não é como no Brasil que ter uma boa classe social te ajuda em algumas situações, aqui não importa quem você é, se é rico ou pobre, filho de presidente ou não, aqui você é igual a todo mundo, buscando lugar ao sol.

Atualmente estou noiva de um indiano, com quem tenho casamento marcado para o próximo ano além de planos futuros. Ao longo da minha jornada conheci vários lugares e países ao redor do mundo como: França, China, Holanda, Amsterdã, London, Bélgica e claro não poderia faltar a Índia que era o meu maior sonho.

Hoje tenho amigos de toda parte do mundo, vivo um dia após o outro, e com uma nova descoberta a cada dia, a declaração acima é apenas um pequeno exemplo do que um intercâmbio pode trazer e mudar a sua vida, basta acreditar que desbravar o mundo é possível pra quem quer, arriscar sem medo de falhar, aprender com os erros irão te permitir ser feliz.

Certamente a decisão de fazer o intercâmbio foi o investimento mais proveitoso e assertivo que eu poderia ter feito na minha vida, encontrei minha felicidade e minha realização aonde eu jamais pensei que poderia encontrar. Tenho certeza que essa é somente a primeira página do meu livro da vida, tem muito mais por vir, basta lutar e se dedicar para isso.

Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos

Postado por: Tatiana Serbena/ 1153 0

Com tantas opções disponíveis, como ser certeiro ao escolher o destino do seu intercâmbio? Existem mais de 190 países no mundo e seguramente cada um deles possui uma particularidade, ou algumas delas, que fazem toda a diferença na hora de eleger o país ideal para a sua experiência como intercambista. Existem alguns passos que direcionam a escolha do seu destino, e as principais estão listadas abaixo:

  1. Idioma

Principalmente se a sua intenção for viajar em pouco tempo, impossibilitando o aprendizado necessário de uma segunda língua para se sentir preparado para viajar, considere o idioma que você já domina ou no mínimo, se vira bem. Pergunte-se: qual idioma você quer se aprofundar? Se for inglês, este fator já exclui todos os outros países que não tem o inglês como língua nativa.

  1. Distância

A distância do Brasil em relação ao futuro país de destino, é um fator de peso principalmente se você deseja visitar a sua família ou receber visitas durante o seu intercâmbio. Verifique o que seria possível, e exclua aqueles que ficariam inviáveis para as suas intenções.

  1. Estilo de vida

Entre Europa e Estados Unidos podem haver muitas diferenças se a questão for estilo de vida. Entre Nova York e Firenze, na Itália, existe um abismo. Vai de você entender o que mais se aproxima do estilo de vida que pretende levar no exterior, e então, deixar de lado os países que não se assemelham com o que você está idealizando. Uma agência de intercâmbio ajuda muito no processo de conhecimento de destinos.

Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos
Descubra o destino ideal do seu intercâmbio em 5 passos
  1. Orçamento

Definir um orçamento, ou seja, um planejamento com relação à quanto você pretende gastar no seu período de intercâmbio é outro fator que pode ser determinante na hora de escolher um destino e desconsiderar outro. Algumas cidades são um pouco (ou muito) mais caras que outras. Procure se aprofundar nas informações que dizem respeito ao custo de vida das cidades que você tem em mente. Você vai acabar tendo que deixar algumas delas de lado e dessa forma, as coisas vão se afunilando.

  1. Objetivos

Imagine-se na cidade de destino e reflita como determinada cidade pode ser benéfica e estar em consonância com os seus objetivos e intenções. Faça pesquisas sobre universidades e cursos disponíveis para a sua área de interesse. É importante, da mesma forma, refletir sobre o seu futuro e aspirações profissionais e pessoais. Assim, vai conseguir extrair o melhor que o seu intercâmbio poderia te proporcionar.

Para o seu conforto, o blog da Travelmate possui diversos conteúdos que respondem algumas dessas questões, não deixe de visitar! Conte com a Travelmate para auxiliá-lo neste processo inicial assim como acompanhá-lo em sua experiência como intercambista. Conheça nossos planos e pacotes disponíveis e boa viagem!

7 empresas que oferecem oportunidade de carreira internacional

Postado por: Tatiana Serbena/ 830 0

Um intercâmbio profissional no exterior é considerado um benefício e um diferencial na carreira que pode fazer toda a diferença em seus planos futuros. Se a sua intenção for seguir carreira internacional, começar por um intercâmbio fora do Brasil pode ser o primeiro passo que o aproxime de uma carreira sem fronteiras.

empresas que oferecem oportunidade de carreira internacional
Empresas que oferecem oportunidade de carreira internacional

 

São vários os países que permitem esse tipo de experiência, como Estados Unidos, Austrália, França, Irlanda, Canadá, Nova Zelândia e diversos outros destinos. Uma agência de intercâmbio como a Travelmate pode te auxiliar em todo este processo de escolha e trâmites burocráticos, baseado no tipo de trabalho que você deseja exercer lá fora. É importante que você tenha claro os motivos que te levaram a escolher trabalhar no exterior, pois caso você não tenha um foco muito grande e não souber o real motivo da sua escolha, é bastante provável que você retorne ao Brasil nas primeiras dificuldades, porque elas existem.

 

Dentre as empresas que se destacam entre as que são abertas ao intercâmbio cultural, estão:

  1. General Motors (GM)

A empresa é conhecida por oferecer um aprendizado constante, bons salários e benefícios. A sede principal está localizada em Detroit, Michigan, EUA.

  1. Enel

A Enel é uma empresa italiana com sede em Roma, na Itália. Atua na geração e distribuição de energia elétrica e gás natural. Os pontos positivos mencionados por seus colaboradores são oportunidades internacionais, trabalho em equipe, bons salários e benefícios.

  1. Citibank

Fundado em 1812 como o “Banco da cidade de Nova York” hoje possui mais de 3 mil filiais em mais de 35 países ao redor do mundo, a maioria delas estão nos EUA. Os pontos positivos mais mencionados em relação à empresa são oportunidades internacionais, ambiente de trabalho estimulante e equipe competente.

  1. Siemens

A Siemens é uma empresa alemã e seus principais escritórios estão localizados na Alemanha, precisamente em Berlim, Munique e Erlangen. Os pontos positivos mais reconhecidos da empresa são as oportunidades de carreira internacional, salários, benefícios e ambiente de trabalho tranquilo.

  1. Nestlé

A Nestlé inicia sua história em 1866 na Suíça e em 2016 a empresa cumpriu os seus 150 anos, sem parar de inovar. Fora os clássicos da marca, a empresa lançou recentemente o sorvete Gelato, a linha Optifast e por aí vai. Os salários e benefícios, planos de carreira e oportunidades no exterior são os pontos positivos citados pelos colaboradores da empresa como os que se sobressaem.

  1. ABB

Asea Brown Boveri é uma multinacional com sede em Zurique que atua no ramo da tecnologia servindo a clientes industriais, concessionárias, transporte e infraestrutura de forma global. Os pontos que mais se destacam para os que trabalham na empresa é com relação ao ambiente de trabalho, possibilidade de mudança para outros países e flexibilidade de horários.

  1. Ernst & Young

A EY é uma empresa que atua basicamente nos ramos de Auditoria e Consultoria com sede principal em Londres. Presente em mais de 150 países e mais de 700 escritórios espalhados pelo mundo, as vantagens de se trabalhar lá se relacionam principalmente com a flexibilidade, exposição internacional e aprendizado constante.

Dê o primeiro passo para a sua carreira internacional. Fale com a Travelmate e conheça nossos planos e pacotes para um intercâmbio de trabalho no exterior.

Work&Study na Irlanda

Postado por: Tatiana Serbena/ 465 0

Pelos benefícios que a escolha de estudar e trabalhar ao mesmo tempo traz ao estudante, o Work&Study na Irlanda representa hoje um dos programas mais procurados pelos intercambistas que buscam uma experiência fora do país.

work&study na irlanda
Work&study na Irlanda

 

Uma das curiosidades mais comuns de quem pretende trabalhar no exterior é quanto à remuneração. “Quanto eu vou ganhar?” é uma pergunta muito comum, e aí vai a resposta: a remuneração gira em torno de 7 a 12 dólares por hora, dependendo muito, no entanto, do trabalho que você for exercer.

Mas muito além do dinheiro, existe o fator “bagagem” e o fator “experiência”. Quem estuda e trabalha em um país estrangeiro adquire habilidades e competências que muitas vezes são características do estilo de trabalho local, e dessa forma, serve como um diferenciador na sua trajetória. O trabalho impulsiona ainda o conhecimento e domínio da língua estrangeira, a qual se desenvolve principalmente pelo contato diário com pessoas diferentes, pela troca de experiências e necessidades de comunicação.

Se a sua vontade é trabalhar enquanto estuda, é fundamental analisar todos os países que dizem sim ao quesito “permissão para trabalhar”. Existe uma lista diversa de países que são ideais para um excelente Work&Study e escolher entre um deles, além da compatibilidade com o seu perfil, vai depender muito das oportunidades do momento e do estilo de vida que você pretende levar.

As cidades de Cork, Limerick e principalmente Dublin, na Irlanda, são muito desejadas por aventureiros que querem mergulhar nos estudos e conseguir uma memorável experiência de trabalho. Você tem chances de aprimorar o seu currículo, tanto em qualificações quanto experiência.

Em comparação à outros destinos, o Work&Study na Irlanda tem uma grande vantagem no que diz respeito à burocracia e custo. Dublin é o destino mais procurado. A capital cultural, política e de negócios da Irlanda está recheada de opções de escolas de inglês como ISE, Dorset College e Griffith College e, além da qualidade de ensino, por lá é possível se divertir muito. A cidade abriga inúmeros pubs característicos que são a alma do povo irlandês. O “The Temple Bar” é tão ponto turístico quanto a The Spire, a maior escultura da Europa.

Em um dos pacotes da Travelmate, você realiza um curso de inglês por 25 semanas e tem direito a 8 semanas de férias destinadas ao trabalho. Nesta estrutura, o estudante é encarregado por procurar e escolher o trabalho de sua preferência e pode iniciá-lo uma vez que as horas destinadas ao estudo tenham sido cumpridas. Além da Irlanda, as outras opções de destinos oferecidas pela Travelmate condizem com os destinos mais procurados para se fazer intercâmbio. É o caso do Canadá, no topo da lista, seguido por Austrália, Nova Zelândia e nosso mais novo destino, Dubai.