Categoria: Programas

Eduardo Lunardi – Curso de inglês

Postado por: Tatiana Serbena/ 681 0

O nosso intercambista Eduardo Lunardi estudou na Dominion English School em Auckland, Nova Zelândia, de fevereiro à março de 2016! Confira abaixo o depoimento dele:

 

“Com o objetivo de passar um mês no exterior praticando inglês e conhecendo um novo país,entrei em contato com a Fernanda e a Gabriela da Travelmate em Chapecó/SC. Entre conversas e troca de e-mails, elas sugeriram que eu fosse pra Nova Zelândia. A princípio torci o nariz por achar muito distante e eu pouco saber do lugar. O tempo foi passando, comecei a pesquisar e aos poucos fui mudando de ideia. Ainda bem!

Tomei a decisão e fechei o pacote de quatro semanas. Cheguei de volta há uns dez dias a e não consigo parar de ter saudades daquele país maravilhoso, dos amigos que fiz e das experiências que tive. Fiquei em homestay, em Auckland, estudando das 9:00 da manhã até as 14:30 (tinha a opção até as 15:30 pra quem quer estudar um pouco mais). Auckland é a maior cidade e concentra cerca de 30% da população do país que é dividido em duas ilhas: norte e sul. O clima é semelhante ao nosso, com as estações de hemisfério sul. Por ser verão quando fui, entre fevereiro e março, todos os dias após as aulas eu pude conhecer parques fantásticos, ilhas e arquipélagos lindíssimos, entre outras tantas maravilhas de um lugar seguro, organizado e com uma população muito amigável. Para os finais de semana, nas próprias escolas existem empresas oferecendo excursões pra lugares um pouco mais distantes. Tudo funciona muito bem lá: segurança, transporte e outras facilidades que, em uma semana, nos faz parecer que estamos   em casa.

Claro, talvez eu tenha tirado a sorte grande de tudo ter corrido tão bem mas acho que isso é o que ocorre com mais frequência, pois os novos amigos compartilhavam deste sentimento. Na escola, principalmente para estrangeiros, fiz amizade com pessoas vindas de muitos países diferentes como Japão, Suíça, França, Alemanha, Coreia do Sul e Tailândia entre outros.

12814778_1363477483678513_2135424431421851686_n

 

Além das belezas naturais, que já são motivos suficientes pra fazer esta escolha, em NZ existe uma “cultura” de esportes radicais e aventuras do gênero. Foi lá que fiz BungeeJumping, OGO – bola de plástico que a gente vai dentro rolando ladeira a baixo, conheci um parque geotermal de atividade vulcânica, andei nos carts parecidos com os carrinhos de rolimã, fiz rafting, conheci uma praia que verte água fervendo… Enfim, não foi tempo suficiente pra conhecer tudo na ilha norte e faltou toda a ilha sul. Quem sabe numa próxima oportunidade!”

 

12814670_1368449283181333_574511547831834768_n

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Pamila Capelli – Curso de inglês

Postado por: Tatiana Serbena/ 680 0

A Pamila Bianca Capelli estudou na iTTTi Vancouver, no Canadá, por 06 semanas e amou cada segundo dessa experiência. Confiram o depoimento dela!

“Fazer este intercâmbio foi a melhor coisa que eu já fiz na minha vida, me desafiei, enfrentei meus medos, conheci um mundo novo, um mundo que me mostrou que devemos aproveitar a cada minuto de nossa vida como se fosse o último, pois depois só restará saudades. Conheci novas culturas, novas pessoas, mas o melhor de tudo, conheci a mim mesma, fiz novos amigos, que mesmo agora distantes vou levar para sempre em meu coração. Vancouver é uma cidade maravilhosa, visitei lugares lindos que sempre guardarei em minha memória, a cada dia que se passava eu me sentia dentro de um sonho que a qualquer momento estava prestes a acordar.”

 

Pamila

Pamila3

Pamila4

Pamila5

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Rodrigo Ortiz – Curso de inglês

Postado por: Tatiana Serbena/ 666 0

Nosso intercambista Rodrigo Ortiz foi para Londres fazer um curso de 30 dias de inglês, na EC English Language School e está muito feliz com a experiência! Confiram o depoimento do Rodrigo abaixo!

“Confesso que não sou muito de escrever depoimentos e descrever as experiências vividas, porém, esse vale a pena descrever.

Meu acesso à Travelmate se deu por meio de conhecidos que já tiveram a oportunidade de fazer um intercâmbio ou curso de inglês no exterior. Todos, sem exceção, me recomendaram o atendimento dessa agência! Atendimento excepcional!

Fiz muita pesquisa antes de decidir o local que iria (Dublin, Malta, Cidade do Cabo, Londres, etc), e, confesso, se não fosse a ajuda da Travelmate, eu ainda estaria pesquisando. Orçamentos, indicações, orientações e atendimento de primeira linha. Difícil encontrarmos empresa com tamanha seriedade e que nos presta feedback de forma quase imediata.

Me conhecendo um pouco mais, até porque eu não parava de fazer questionamentos (rs), a Myriam (da Travelmate Joinville) me apresentou o projeto EC London 30 , curso destinado a pessoas maiores de 30 anos. Assim, com a ajuda da Travelmate fiz a opção que já estava no coração e apenas faltava aquele incentivo. Optei pelo curso de 30 dias em Londres.

Partindo para a experiência, a Escola possui estrutura excelente, professores capacitados e técnicas de ensino tanto gramatical quanto verbal de fácil assimilação. Excelente escola. Quanto a acomodação, optei pela Somerset Residence, apartamentos/flats destinados exclusivamente para estudantes, escolha excepcional.

Londres é fantástica. Tive uma experiência incomparável! Trata-se de uma cidade cosmopolita e multicultura! London Eye, Canden, London Bridge, Convent Garthen, Nothing Hill, Chinatown, enfim, tantos lugares! Lá, além de interagir – em inglês – com nativos, irlandeses, escoceses, tive a oportunidade de conhecer pessoas de diferentes partes do mundo com culturas e hábitos totalmente diferentes dos nossos, Suíços, Japoneses, Coreanos, Chineses, Turcos, Italianos, Alemães, Espanhóis e outros. Grande oportunidade de abrir nossas mentes e ampliar nossos horizontes.

Enfim, só tenho a agradecer a ajuda, a compreensão e a paciência (que não foi pouca) da Travelmate comigo. Competência e dedicação são ingredientes que sobram nessa equipe. A todos da agência meu muito obrigado! E digo mais, logo estou voltando!”

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Henrique Zolet – Curso de inglês

Postado por: Tatiana Serbena/ 698 0

A África do Sul é um país fantástico, não só por suas paisagens e sua natureza, mas também por sua cultura! O Henrique fez inglês por 04 semanas pelo Programa Teens da LAL Language School na Cidade do Cabo e curtiu muito a experiência, confira o depoimento do Henrique Zolet:

A Cidade do Cabo é o lugar mais bonito que já fui e a África do Sul possui uma cultura riquíssima. Além de fazer muitos amigos aprendi muito nesta viagem, sobre a união de pessoas e povos, sobre o respeito as diferenças e sobre a natureza e suas incríveis estruturas e ensinamentos.

 

“É pelo sinal da amizade que se unem os homens, os povos e as raças, e é sob seus auspícios que há de haver paz na Terra”. 

González Pecotche

12687911_946149498803750_2867477700302897245_n

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Alexandre Mendonça – Curso de inglês

Postado por: Tatiana Serbena/ 741 0

O Alexandre Mendonça teve a ideia de fazer intercâmbio em 2014, se preparou por quase um ano para fazer essa viagem e escolheu Fort Lauderdale, na Flórida, para estudar inglês por 3 meses.

Para poder trazer um pouco do que aprendeu e viveu para nós, Alexandre criou a série “O Mundo Lá Fora”, em que conta um pouco do seu dia-a-dia nos Estados Unidos, com algumas dicas e relatos da sua experiência no exterior.

 

Nesse vídeo, ele conta como é sua rotina e o seu caminho para a escola.

Saiba mais sobre como foi o intercâmbio dele, clicando aqui.

Angela Souza – Curso de inglês

Postado por: Tatiana Serbena/ 710 0

No final de Março a Angela Sousa fez intercâmbio de 4 semanas em Fort Lauderdale, pertinho de Miami!

Ela estudou na Embassy English e foi assessorada pela Travelmate, no vídeo ela conta um pouquinho como foi a experiência. =)

angela angela

 

Apertem o PLAY e saibam tudo sobre o intercâmbio dela!

 

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Lívia – High School no Canadá

Postado por: Tatiana Serbena/ 703 0

A Lívia foi para o Canadá e é a correspondente oficial da Galera CAPRICHO fora do Brasil.

Fiquem por dentro de tudo e saiba como ela planejou seu intercâmbio de High School no Canadá. =)

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

Rafaella Elger – Higher Education #2

Postado por: Tatiana Serbena/ 672 0

A Rafaella tem novidades para o diário do intercâmbio! Entre furacão, passeios, trabalho e faculdade, a vida dela está bem movimentada! No post de hoje, ela também vai contar alguns detalhes sobre as aulas da universidade, fique ligado! Para entender o que está acontecendo assista o vídeo até o final ?

 

 

Deu pra ver que quem gosta de sair da rotina e ter uma vida agitada tem o perfil ideal de intercambista universitário! E ai, se interessou nessa aventura?

 

Veja os outros episódios do intercâmbio da Rafa!

Top 5 guloseimas da Disney

Postado por: Tatiana Serbena/ 733 0

Top 05 guloseimas da Disney:

1- O clássico sorvete do Mickey. Sabiam que a cada 10 pessoas que entram no parque, 9 comem ele? (E tiram foto, claro).

Sorvete Mickey

2- Caramel Apple, maçã verde coberta com um caramelo puxa-puxa, outro clássico.

cgy987564large

3- Sanduíche de Waffle com Nutella e Frutas!!! Este só é encontrado no Sleepy Hollow, no Magic Kingdom, mas vale a pena ir conferir.

Waffle

4- Sundae. Sorvete, chantilly, muita calda e uma cereja, simples assim!

Sundae

5- Turkey Leg! Não é uma sobremesa, mas precisa  estar aqui. Mais de 1,5 milhão de coxas são vendidas na Disney por ano, cada uma pesa em média 700 gramas e tem por volta de 1000 calorias. Quem arrisca?

Turkey

Confira algumas dicas para não perder tempo no aeroporto

Postado por: Tatiana Serbena/ 673 0

Viajar de avião envolve diversas etapas, desde o check in até o momento do desembarque. Entretanto, atitudes simples podem facilitar esse processo e diminuir o estresse. Confira algumas dicas que separamos para vocês!

 

Check-in Online

Antes da viagem, se o sistema da companhia aérea permitir, faça seu check-in online. Esta atitude agiliza seu processo de embarque  (principalmente se você for viajar somente com a bagagem de mão), além de aumentar as chances de encontrar um assento mais confortável na aeronave.

 

Porta-documentos

Evite deixar seus documentos como passagens aéreas, passaporte ou RG misturados com outros itens em sua bolsa ou mochila. Separá-los em um porta-documentos agiliza sua vida e das pessoas na fila, além de diminuir a chance de perdê-los, tendo todos os documentos concentrados em um lugar só.

portavoucher_final

 

Vista roupas simples e leves

Sabemos que muitas pessoas ainda gostam de vestir suas melhores roupas e jóias para viajar de avião, mas muitos acessórios podem atrasar o percurso (no raio-X do aeroporto, por exemplo). Para uma jornada mais dinâmica, vista-se de maneira simples e confortável, certamente sua viagem vai ser mais agradável.

Outro item que pode ajudá-lo é carregar uma jaqueta com bolsos, nos quais você pode colocar seus objetos de metais e joias no momento de passar pelo raio-X.

 

Bagagem de mão sem estresse

Lembre-se de tirar de sua bagagem de mão itens que podem pará-lo nas averiguações do raio-X, pois além de perder tempo passando pela inspeção, você corre o risco de perder objetos confiscados.content_mala_de_mao

 

Celular na bolsa ou mochila

Para não correr o risco de esquecer seu celular no raio-X, atitude bem frequente nos aeroportos, procure sempre colocá-lo na bolsa ou mochila e não guardá-lo no bolso.

 

Dicas especiais para quem vai aos EUA

Essas dicas são especialmente para quem viaja para os Estados Unidos.

No país, é preciso tirar os calçados na hora de passar pelas áreas de segurança, antes de embarcar. Sapatos fáceis de calçar e retirar irão facilitar muito a sua vida.

Alguns aplicativos, como o “My TSA”, mostram o quanto estão demorando as filas nas áreas de segurança dos aeroportos americanos administradas pela TSA (Transportation Security Administration).

aeroporto-viagem-celular-smartphone-app-aplicativo-malas-1415553926860_956x500

Dicas para aproveitar ainda mais a experiência de um intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 691 0

Um intercâmbio é sempre uma experiência de vida inesquecível e única! Não importa se você já fez um, dois ou mais intercâmbios, cada um vai trazer a você uma percepção diferente sobre as coisas e um novo aprendizado! Não existe uma fórmula mágica para que a experiência do intercâmbio traga bastante aprendizado, mas algumas atitudes são válidas para que você tire o maior proveito possível de uma experiência desta! E nós separamos algumas dicas pra vocês ?

 

Não faça comparações com o seu país de origem

É inevitável, quando vamos morar fora ou até mesmo só fazer uma viagem, fazermos comparações com nosso país. Sejam estas comparações boas ou ruins, isso não nos acrescenta muito, pois acabamos perdendo muito tempo pensando nelas e em como era diferente da maneira que sempre vivemos. Então é importante: viva o momento, procure esquecer um pouco de como era seu país. O maior benefício disto é que acaba sendo muito mais fácil para a sua adaptação, ao passo que quando comparamos o tempo todo, nos colocamos em “dois lugares ao mesmo tempo”, o lugar em que vivíamos e o lugar em que estamos atualmente.

 

Procure participar de tudo (ou quase tudo)

Quando vamos morar em outro país, principalmente sozinhos, é como se a vida começasse do zero. E muitas vezes acaba sendo bem difícil esse “recomeço”. Conhecer novos amigos, refazer nossa rotina… Às vezes dá aquela preguiça de ir em algum lugar em que você vai conhecer poucas pessoas, ou que não sabe se vai ser legal. Mas esforce-se no início, tente socializar o máximo possível, e aos poucos você vai se encaixando, e criando amizades com pessoas que poderá contar ao longo de todo o período que estiver fora. E vai se sentir em casa depois de um tempo!

 

Tente se desligar um pouco das pessoas que ficaram

Esta é uma das tarefas mais complicadas. E também uma das mais importantes! Quando moramos fora, precisamos entender que não teremos mais nenhum controle sobre as situações à distância e não estaremos mais presentes no dia-a-dia das pessoas que ficaram. Isto pode acabar resultando em uma decepção e tornando tudo mais difícil se não soubermos aceitar. Por esse motivo, conectar-se ao novo momento e desligar-se do que ficou é importante! Torna a adaptação mais fácil e também tudo mais proveitoso, pois viver em dois lugares ao mesmo tempo é impossível! ?

 

Leitura e TV facilitam muito a sua vida

Ah não ser que você tenha nascido acostumado a praticar mais de uma língua ao mesmo tempo, é normal, por mais avançado que você esteja em um segundo idioma, a dificuldade inicial de se comunicar e entender é normal e acontece com todo mundo. Por isso, ler revistas, jornais e ver televisão durante algum período do dia, auxilia bastante a começar a compreender melhor o idioma e adquirir fluência mais rápido!

 

Fuja dos brasileiros

Essa é uma dica bastante comum na realidade, mas nem sempre praticada. No entanto, é muito válida! Ela engloba alguns dos motivos citados acima em outras dicas, como, se adaptar mais rapidamente ao idioma e à nova cultura em que está inserido. Outro motivo que vale muito a pena você ter amigos de outros países e não se fechar em um círculo de brasileiros durante seu intercâmbio, é o fato de você poder ter amigos em vários lugares do mundo, e depois poder ir visitá-los, já pensou?

 

Mais informações sobre destinos de intercâmbio e programas, entre em contato com a gente!

6 programas de intercâmbio para trabalhar no exterior

Postado por: Tatiana Serbena/ 2071 0

Nessa terça-feira, a EXAME.COM publicou uma notícia sobre programas de intercâmbio para trabalhar no exterior. Camila Pati, a autora, listou seis tipos de programas para trabalhar no exterior e o que cada um deles tem a oferecer.  Se você tem vontade de fazer intercâmbio e quer investir em sua carreira, essa é a oportunidade! Sem contar o salário, né?

Programas de intercâmbio que incluem trabalho têm feito sucesso entre os brasileiros. Em muitos casos é possível, além de recuperar o dinheiro investido, ainda garantir recursos para viajar e se manter durante a estada no país.

Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, França, Alemanha e Holanda são alguns dos países para os quais há opções de trabalho que pode ser remunerado ou não.

Confira alguns dos programas que o diretor de intercâmbio da Travelmate, Eduardo Heidemann, cita entre os mais procurados na agência.

 

TRABALHO NOS EUA

size_810_16_9_estacao-de-esqui-nos-eua

O Work & Travel nos Estados Unidos é programa de trabalho mais procurado da Travelmate, segundo Eduardo Heidemann, diretor de intercâmbio. Ele é realizado durante as férias de verão aqui no Brasil e é voltado para universitários entre 18 e 28 anos com conhecimento intermediário, no mínimo, de inglês.

Os jovens passam entre três e quatro meses trabalhando em estações de esqui, hotéis, resorts e restaurantes. A média salarial fica normalmente entre 7,25 e 12 dólares por hora, variando conforme empregador e função.

Heidemann aponta o custo, que não é alto, como o principal atrativo do programa. “Além disso, trabalhando, o jovem consegue recuperar o dinheiro investido e se manter enquanto está lá, além de não prejudicar as aulas no Brasil”, diz.

 

TRABALHO E ESTUDO

size_810_16_9_auckland

Muitos brasileiros estão preferindo países que permitem que estudantes estrangeiros trabalhem. É o caso de Canadá, Irlanda, Austrália e Nova Zelândia (foto), em que é possível frequentar uma escola de idiomas, por exemplo, e também trabalhar nas horas vagas.

A busca de emprego fica por conta do estudante, mas há algumas escolas que dão auxílio aos seus alunos interessados em trabalhar. Na Travelmate, programas desse tipo são chamados Work & Study.

 

ESTÁGIO NOS EUA E AUSTRÁLIA

size_810_16_9_sydney

Interessados em adquirir experiência profissional e que tenham nível avançado de inglês podem optar por fazer estágio. Programas dessa modalidade são para universitários, estudantes de pós-graduação e recém-formados há, no máximo, um ano.

Há vagas em diversas áreas nos Estados Unidos e também na Austrália (foto), segundo o diretor de intercâmbio da Travelmate. “Tem estágio em engenharia, administração, tecnologia, recursos humanos. Mas há maior número de oportunidades nos dois países para trabalhar com hospitalidade e gastronomia”, diz Eduardo Heidemann.

O processo seletivo é feito no Brasil, o jovem já sai daqui sabendo para quem vai trabalhar e há opções remuneradas e não remuneradas que duram de três a 18 meses nos Estados Unidos.

Na Austrália há também estágios pagos e não pagos e a duração pode variar entre um mês e seis meses. Há limite de idade de 35 anos para estágio nos Estados Unidos e 30 anos para estágio na Austrália.

 

AU PAIR E DEMI PAIR

size_810_16_9_au-pair

Os dois são programas de trabalho remunerado, em que o estrangeiro mora com uma família e ajuda no cuidado com as crianças da casa. Nível, ao menos, intermediário de inglês ou do idioma do país de destino é um requisito, assim como experiência prévia no trabalho com crianças.

O trabalho como au pair é integral e há oportunidades nos Estados Unidos, Alemanha, França e Holanda, segundo o diretor de intercâmbio da Travelmate. O estrangeiro recebe, além da remuneração, estadia e alimentação. Nos Estados Unidos, a passagem de ida e volta também é paga pela família contratante. O programa dura, geralmente, um ano, mas pode chegar a dois anos, período máximo permitido. É para quem tem entre 18 e 26 anos, é solteiro e não tem filhos.

Já o programa de demi pair é realizado na Austrália é de meio período de trabalho cuidado de crianças e meio período de estudo obrigatório em escola de inglês. Podem se candidatar solteiros sem filhos que tenham entre 18 e 35 anos.

De acordo com Eduardo Heidemann, mulheres geralmente têm a preferência das famílias, mas homens que sejam qualificados também podem ser aceitos. ” Já tivemos casos de sucesso com candidatos homens também”, diz.

 

TRABALHO NA FRANÇA

size_810_16_9_cafe-paris

Jovens universitários entre 18 e 26 anos podem participar de programa de trabalho na França voltado para a área de hospitalidade e gastronomia. Dura entre dois e três meses e é feito durante as férias de verão aqui e de inverno lá.

É preciso ter nível de francês no mínimo intermediário para trabalhar em bares, restaurantes, hotéis e estações de esqui francesas.

 

CURSOS PROFISSIONALIZANTES E TRABALHO NO CANADÁ

size_810_16_9_canada

“Temos visto aumentar o número de interessados em emigrar do Brasil”, diz o diretor de intercâmbio da Travelmate, Eduardo Heidemann.

O país que mais atrai atualmente, de acordo com ele, é o Canadá. O caminho escolhido, geralmente, passa pela matrícula em curso profissionalizante de longa duração nos chamados Colleges, que permitem trabalho durante meio período. “Depois deste curso, o estrangeiro pode ficar até dois anos trabalhando no país e então pode dar entrada no pedido de visto permanente”, diz Heidemann.

Ele explica que muita gente tem levado a família junto. E que a vantagem é que o acompanhante pode trabalhar período integral e os filhos podem ser matriculados no ensino público canadense durante o programa.

 

Se você quiser ver a matéria na íntegra, é só clicar aqui.

High school no Canadá, a garantia de uma experiência inesquecível

Postado por: Tatiana Serbena/ 648 0

O Canadá tem sido uma excelente opção de base para a educação de qualidade no mundo. Fazer High School no Canadá é mais do que simplesmente adquirir fluência em um outro idioma. É ter uma educação bilíngue (inglês e francês são as línguas oficiais do país) e colocar um peso a mais no currículo com escolas que possuem excelente infraestrutura e alto reconhecimento em educação.

 

As vantagens

High School no Canadá

Um dos motivos para colocar o High School no Canadá no topo da lista de melhores opções no exterior é o custo. Além de se tornar uma alternativa mais barata pelo fato da moeda, o dólar canadense, ter um valor abaixo do dólar americano, o país permite que o intercambista escolha a cidade na qual quer morar.

Outro ponto vantajoso em um intercâmbio no exterior é o contato com diferentes culturas. Dentro da escola você vivenciará a rotina dos estudantes canadenses ao mesmo tempo em que conhece e faz amigos de todos os cantos do mundo. Outra convivência fundamental para o enriquecimento cultural e o aperfeiçoamento do idioma através da prática contínua é com a família hospedeira. Lá você poderá vivenciar o ambiente familiar canadense e conhecer seus hábitos e costumes. É, sem dúvidas, uma experiência para a vida inteira!

 

Flexibilidade

High School no Canadá

Diferente do padrão de ensino brasileiro, o Canadá oferece uma grade curricular flexível para seus estudantes. Lá eles mesmos podem escolher algumas matérias que almejam estudar, de acordo com o seu perfil e a área em que planeja seguir carreira no futuro.

São diversas opções como artes, business, culinária, esportes, tecnologia, entre outros. Essas disciplinas são ingressadas na grade junto das mais abrangentes, estas de caráter obrigatório.

O calendário segue os padrões do hemisfério norte, com o ano escolar iniciando em agosto ou setembro e terminando em maio ou junho.

 

Requisitos

High School no Canadá

Para o aluno ingressar e cursar o ensino médio em uma escola canadense, ele deve ter:

  • Entre 13 e 18 anos;
  • Pelo menos o nível intermediário básico de inglês.

 

High School no Canadá é diversão garantida

High School no Canadá

Se você pensa que a rotina é só estudar, você está enganado. High School no Canadá vai muito além da sala de aula! Nos tempos livres, finais de semana e no período de férias, o estudante pode se aventurar nas belas paisagens e variados atrativos que o Canadá pode lhe oferecer. Que tal praticar esportes e outros tipos de atividade na neve no inverno? Ou então curtir uma tarde de verão nos parques? Essas são apenas algumas opções de lazer garantido durante seu intercâmbio no país.

Ficou com vontade de cursar o ensino médio em uma escola canadense? A TravelMate tem as melhores opções para você. Que tal começar a se programar desde já para a experiência mais incrível da sua vida conhecendo uma escola canadense por dentro? Assista o vídeo abaixo, ele foi feito pelos próprios alunos da escola, localizada em Ottawa, a capital do país.

Existe uma idade certa para fazer intercâmbio?

Postado por: Tatiana Serbena/ 629 0

Não existe idade certa para fazer intercâmbio. Várias opções para todas as idades estão disponíveis nas agências.

Viver uma experiência em outro país, conhecer gente do mundo inteiro, aprender um ou mais idiomas. O intercâmbio no exterior é mais que uma vivência cultural, é um salto importante para uma carreira de sucesso, ajuda no amadurecimento e traz junto uma bagagem indescritível. Isso tem sido cada vez mais prioridade ente os estudantes no Brasil. Mas, antes de arrumar as malas e se arriscar em uma aventura lá fora, surge o questionamento: existe uma idade certa para fazer um intercâmbio? E qual é?

A verdade é que não existe uma idade adequada para fazer, e sim a ideal para cada tipo de intercâmbio. Na fase da adolescência, dos 13 aos 18 anos, é comum estudantes do ensino médio se aventurarem no exterior para fazer o high school. Além de estudarem por lá, eles aperfeiçoam o idioma ao mesmo tempo em que enriquecem culturalmente na convivência com nativos e estudantes de outros países. Programas teens no período das férias escolares também são indicados para esta faixa etária. Lá os alunos estudam outra língua ao mesmo passo que se divertem e passeiam pelo destino escolhido.

A opção a partir dos 16 anos é um curso de idioma. Esse é específico para o aprendizado de outra língua no exterior, com a flexibilidade do aluno em escolher o tipo de curso, o período e carga horária em que deseja estudar. Apesar de não existirem restrições etárias para os cursos de idiomas, é necessário que o aluno possa ter uma estrutura melhor e a maturidade para viajar sozinho, sem preocupações, fazendo da sua experiência ainda mais sólida.

Dos 17, 18 anos em diante, surgem as opções de graduação, pós-graduação, técnico, trabalho e estudo, voluntariado, entre outros. O intercâmbio universitário é um passo largo para o sucesso. Um diploma de uma universidade do exterior no currículo é, sem dúvidas, a meta de grande parte dos estudantes. Outros programas visam o trabalho mesclado com o estudo, trabalho voluntário, ou no período de férias de verão no hemisfério sul.

Engana-se quem pensa que o sonho de fazer intercâmbio para por aí, na casa dos 20 e tantos anos. Se você já chegou ou passou dos 30, ainda é hora para aprender outro idioma no exterior. Muitos executivos buscam programas em outros países para aperfeiçoar outra língua, otimizar a carreira e até mesmo se especializar. Muitas escolas de idiomas estão abrindo opções específicas para quem tem 30 anos ou mais, e uma imensa parte delas já contam com cursos de idioma para negócios. E não pense que parou por aí. Têm escolas que oferecem também opções de cursos para quem já tem 50 anos ou mais. Ou seja, sem desculpas, né?

Se você tinha alguma dúvida quanto à idade ideal para o seu intercâmbio, ela já está sanada. A hora é agora! Planeje seu curso, escolha seu destino e boa viagem. Ainda está indeciso? A TravelMate tem as melhores opções para você.

Como convencer minha mãe a me deixar fazer um intercâmbio

Postado por: Tatiana Serbena/ 2890 0

Como convencer minha mãe sobre intercâmbio? Essa pergunta é muito comum aos adolescentes que sonham fazer intercâmbio, afinal sair de casa, andar com as próprias pernas, conseguir a sonhada independência e viver o mundo nem sempre são tarefas fáceis, principalmente se a sua mãe for do tipo “coruja”, e sempre faz de tudo pra te manter por perto, seja no caminho para a escola, nos passeios de final de semana, nas visitas ao shopping e até mesmo na hora de te levar pra balada, a sua mãe está lá, sempre pronta pra te proteger em todas as situações. Mas e agora, como convencer a sua mãe de que o seu sonho da sua vida é fazer intercâmbio? Andar com as próprias pernas, vivenciar outra cultura, conhecer novas pessoas e conseguir a tão sonhada independência? É isso que a gente te explica no post de hoje!

1-Demonstre maturidade

2a

Você precisa passar confiança para a sua mãe, mostrar que e capaz de se virar sozinho, afinal, nenhuma mãe coruja deixará um filho imaturo solto pelo mundo. Demonstre que é responsável, comprometido, aplicado, que assume tarefas e é capaz de cumpri-las, o melhor caminho para convencer sua mãe é que mostrando sua capacidade de viver em segurança sem estar sempre com ela.

 

2-Conheça muito bem o seu destino

3a

Faça muitas pesquisas sobre o local que pretende ir, conheça elementos culturais, estude sobre a possibilidade de trabalhar, instituições de ensino, custo de vida, pontos turísticos, etc. Dessa forma, quando for convencer sua mãe, os argumentos positivos estarão na ponta da língua, e você poderá responder da melhor maneira as perguntas dela.

 

3-Demonstre que possui controle das suas finanças

4a

Um intercâmbio é, antes de tudo, um investimento na sua vida. Durante o período fora do país, você precisa mostrar que consegue controlar os seus gastos e viver sem luxos e mordomias (afinal, é o dinheiro dos seus pais que está em jogo). Para mostrar a sua capacidade de controle financeiro, comece pelas coisas simples, pesquise preços de produtos, veja se realmente precisa comprar tudo o que deseja, e claro, economize nos passeios do final de semana.

 

4-Procure uma boa agência de intercâmbio

5a

Você e seus pais precisam de segurança o viajar para o exterior, tomar iniciativa própria ou confiar em uma agência sem credibilidade nunca são boas soluções. Procure indicações com amigos, pesquise agências na internet, veja depoimentos, e avaliações. É muito importante que a agência escolhida tenha o Selo Belta (Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais), estas agências respeitam um padrão de qualidade que com certeza deixará sua mãe mais tranquila.

 

5-Conheça sobre os programas de intercâmbio

6a

Procure um programa ideal para a sua idade, e que englobe tudo o que você deseja fazer, seja estudar o ensino médio, ensino superior, idiomas ou até mesmo trabalhar. As agências montam vários tipos de pacote para todas as idades e públicos, pesquise sobre todos os pacotes e veja o que é o ideal para você.

 

6-Mostre exemplos de sucesso

7a

Várias pessoas relatam sua experiência com o intercâmbio na internet, inclusive aqui no nosso blog (conheça o Alexandre e a Malu). Mostre esses relatos de sucesso para a sua mãe, e faça-a imaginar como seria se você estivesse no lugar dos alunos de intercâmbio.

Seguindo essas dicas, e sendo um “bom filho”, temos certeza de que você conseguirá convencer a sua mãe. Não desista no primeiro “não”, vá atrás de novos argumentos e alimente o seu sonho, esteja sempre otimista e corra atrás de convence-la, mesmo quando ela diz que não. Aproveite esse tempo de convencimento e pratique todas as atitudes que comentamos acima. Esperamos ter a sua história em breve aqui no Diário do Intercâmbio!

work-study-na-nova-zelandia

Work & Study na Nova Zelândia

Postado por: Tatiana Serbena/ 758 0

A Nova Zelândia ganha cada vez mais evidência no mercado de intercâmbio, e Work & Study na Nova Zelândia é uma excelente opção pra quem deseja desfrutar desse país incrível!

A Nova Zelândia se destaca cada vez mais no meio dos países desenvolvidos, as duas grandes ilhas (Ilha do Norte e Ilha do Sul) localizadas na Oceania possuem excelentes índices de qualidade de vida, educação e emprego. Com escolas de idiomas que são referências mundiais no ensino de inglês, a Nova Zelândia atrai os jovens também pelo mercado de trabalho, que nos últimos anos cresceu muito e abriu várias oportunidades para estrangeiros, um prato cheio para quem sonha em fazer Work & Study na Nova Zelândia.

Com o mercado em rápida ascensão, a indústria e o turismo geram grande parte do PIB neozelandês. O país recebe anualmente cerca de 2,4 milhões de turistas internacionais, número extremamente positivo, uma vez que o país tem pouco mais de quatro milhões de habitantes. Só no setor de turismo, a Nova Zelândia emprega aproximadamente 180 mil pessoas em tempo integral, isto é, cerca de 10% da força de trabalho no país.

No País, estão presentes escolas de idiomas que são referências mundiais em ensino de inglês e graduação, como a Embassy English e a NZIE. O sotaque do inglês neozelandês é bem semelhante ao britânico, assim, você aprende inglês com qualidade e de referência, Com o Work & Study na Nova Zelândia, você tem uma experiência completa com o seu inglês.

work-sudy-na-nova-zelandia

Se você gosta de aventuras, a Nova Zelândia é o país certo para você! E se duvida, temos o argumento perfeito para te convencer: o bungee jumping foi inventado por um kiwi (forma que os neozelandeses são conhecidos, o kiwi é um animal típico do país). As praias paradisíacas e as montanhas que dividem neve com vegetação são um prato cheio para os amantes de natureza e belas paisagens. O isolamento geográfico da Nova Zelândia fez do país um habitat único de várias espécies animais, principalmente pássaros, que dominam a fauna da Nova Zelândia.

Se pensa em fazer Work & Study, a Nova Zelândia é o destino certo para você, com escolas excelentes e um amplo mercado de trabalho, o seu intercâmbio será um sucesso! Aqui na Travelmate temos opções de intercâmbio para Auckland e Queenstown, duas das maiores cidades da Nova Zelândia. Se você está interessado em fazer Work & Study na Nova Zelândia, ou se ficou com dúvida sobre os nossos programas, entre em contato com os nossos consultores, eles estão sempre prontos para atender você.

High School no Canadá

Postado por: Tatiana Serbena/ 631 0

Não existe idade para fazer intercâmbio, aqui na Travelmate, por exemplo, temos pacotes de intercâmbio para adolescentes a partir dos 11 anos, assim como temos programas para aqueles que já passaram dos 30. E se você pensa que precisa ser maior de idade para sair do país sem os pais, está muito enganado! Nossos programas de High School são especiais para jovens de 14 a 18 anos que estão cursando o ensino médio.

Uma das características do High School é o leque de possibilidades para os jovens e a independência. Nessa faixa de idade, a maioria ainda vive e depende dos pais para quase tudo, e o intercâmbio de High School é, sem dúvidas, uma das melhores maneiras para provar que você está crescendo e que é capaz de caminhar com as próprias pernas.

O Canadá é um país incrível em todos os aspectos, o país possui ótimos índices de educação, o mercado de trabalho remunera muito bem os seus funcionários, o país tem belas paisagens, o povo é acolhedor, as cidades são muito desenvolvidas e a economia é estável. Não é por acaso que esse país é o sonho de vida de muitos brasileiros.

O High School no Canadá é um dos melhores do mundo, as escolas são muito bem avaliadas e o sistema de educação é exemplo para todo o mundo. E por causa disso, muitos jovens sonham fazer intercâmbio de High School para lá, além de toda a experiência que se pode adquirir no Canadá, o aluno conhece novas pessoas, uma nova cultura, um novo modelo de educação e ainda aprimora outros idiomas.

E não precisa se preocupar com a validação das notas. O High School no exterior é reconhecido pelo Ministério da Educação e o período do intercâmbio abona as aulas no Brasil com o mesmo período (Intercâmbios anuais abonam um ano de estudos por aqui, assim como os semestrais abonam um semestre), e claro, é preciso ser aprovado durante o seu High School para abonar os estudos aqui no Brasil. Mas você está em um país referência em educação, temos certeza que será fichinha para você!

Curtiu o High School no Canadá? Conheça mais sobre o High School e o Canadá, converse com um dos nossos consultores e explique pra eles qual é o seu sonho, temos certeza de que vamos conseguir encontrar o programa ideal para você!

Cursos de idiomas nos Estados Unidos

Postado por: Tatiana Serbena/ 1037 0

new-york-1031411_1920

É impossível que você nunca tenha se deparado com alguma frase em inglês, seja na internet, em vitrines, manuais de eletrônicos, ou até mesmo nas suas roupas. O inglês está em todo lugar, e mesmo que você queira, não pode fugir dele, e como dizia aquele velho ditado, se você não pode vencer o seu inimigo, junte-se a ele.

O Inglês é o terceiro idioma mais falado do mundo, considerando os países que o tem como idioma oficial, porém, quando se fala em idioma secundário, sem dúvidas o inglês é primeiro idioma colocado na lista. O poder que os Estados Unidos conquistaram depois da Segunda Guerra Mundial foi essencial para que o inglês se tornasse o “idioma mundial”.

Os Estados Unidos são referência mundial em ensino de inglês (apesar de a “mãe” da língua ser a Inglaterra), o país conta com centenas de escolas em todo o país, para todos os gostos e níveis de inglês, como por exemplo: A Embassy English, EC English, OHLA, LaL, Stafford House e muitas outras escolas que estão esperando por você.

Você pode até ficar fazendo oito anos de curso de inglês aqui no Brasil, mas vivenciar o idioma é algo totalmente diferente. Viver 24 horas por dia em um país, onde o inglês é o único idioma falado, é incrível! Em poucos meses você consegue um resultado melhor do que teria em anos estudando no Brasil. Além de que no exterior, você aprende as peculiaridades da língua, gírias, expressões locais, sinônimos e muitas outras coisas que vão além dos ensinamentos em sala de aula.

Ficou interessado em aprimorar o seu inglês ao estilo norte-americano? Aqui na Travelmate temos vários pacotes de intercâmbio voltados para os cursos de idioma, tanto nos Estados Unidos, como em outros lugares ao redor do mundo. Procure um dos nossos consultores aqui no chat ao lado e tire todas as suas dúvidas com ele. Nós estamos esperando por você, que além de aprender inglês, quer vivenciar o idioma.