Categoria: Sem categoria

O que ninguém te contou sobre o que fazer antes de entrar na faculdade

Postado por: TravelMATE Intercâmbio/ 72 0

Escolher o que vai cursar na graduação é provavelmente uma das primeiras vezes que você realmente tem a oportunidade de decidir o seu futuro. E já pensou em o que fazer antes de entrar na faculdade?

Quando chega aquele momento que (nem) todos esperam – concluir o ensino médio – surgem muitos questionamentos. Até o final do terceirão, é bem provável que você tenha seguido os passos que outras pessoas desejavam pra você. Mas e agora? Como tomar a decisão que provavelmente guiará, no mínimo, os próximos quatro anos de sua vida? 

Take it easy! E se liga só: você realmente precisa decidir isso AGORA?

Portanto, respire e pense bem sobre isso! 

Ir direto para faculdade ou dar um tempo  

Não parece um tanto precipitado ter que definir, muitas vezes aos 17 anos, o que você vai querer para o resto da sua vida?

É verdade que essa passagem do ensino médio para a faculdade é uma transição muito importante na vida de qualquer pessoa. Mas a pressão dos pais, professores, amigos, e inclusive do próprio vestibular, somados à incerteza de qual curso escolher, pode causar muitas frustrações.

A faculdade é completamente diferente do ensino médio, é um novo universo, com vários desafios e que requer muita energia da sua parte.

E considerando que você estava buscando o que fazer antes de entrar na faculdade, é bem provável que ainda não tenha certeza sobre o que quer. E sabe, não há problema nenhum nisso! Até porque o mundo tem muito a oferecer e você não precisa definir seu futuro sem antes conhecer outras possibilidades. 

A gente quer te ajudar a tomar essa decisão!

Você já ouviu falar em softs skills? 

Segundo estudo do Núcleo Brasileiro de Estágios, o Nube, 46% dos recém-formados do Brasil são afetados pelo desemprego assim que concluem o ensino superior.

Porém, muitos dos jovens que conseguem uma colocação no mercado nem atuam em sua área de formação. E sabe o que é apontado como a principal causa disso? A falta de experiência

Mas, que tipo de experiência é essa? Outra pesquisa realizada com mais de 400 líderes executivos revelou que o ao contratar jovens recém formados, apesar de toda a qualificação, o que falta são habilidades de comportamento e relacionamento, ou as conhecidas soft skills

O perfil de um jovem que conclui os estudos cedo na graduação, socialmente é sinônimo de sucesso. Mas, muitas vezes eles não tem tempo de desenvolver essas habilidades comportamentais, tão requisitadas hoje em dia. 

Existem diferentes tipos de soft skills e algumas são mais valorizadas:

  • Colaboração: saber trabalhar bem em grupo
  • Flexibilidade: saber se adaptar às mudanças
  • Trabalhar sob pressão: gerenciar estresse sem perder o foco
  • Comunicação eficaz: ouvir atentamente e se comunicar de maneira clara
  • Orientação para resultados: atingir o resultado final da maneira mais eficaz possível
  • Liderança de equipe: saber como motivar e engajar grupos

Enfim, essas habilidades cada vez mais são mencionadas como um diferencial no mercado de trabalho e, infelizmente, as faculdades não ensinam isso. O que realmente ajuda a desenvolvê-las é a VIDA! Ou seja, a vivência e as experiências adquiridas ao longo do tempo. E olhando por esse lado, é bom saber que existem outras possibilidade de o que fazer antes de entrar na faculdade!

O que fazer antes de entrar na faculdade

Então como adquirir softs skills? Viajando!

Essas competências podem ser desenvolvidas, principalmente em situações do dia a dia. Como são competências sociais, emocionais e mentais ligadas à personalidade de cada um, a melhor maneira de aprimorar esses aspectos é criando oportunidades que desafiem a relação com outras pessoas e com as adversidades da vida.

Definitivamente, não tem oportunidade melhor para desenvolver todas essas – e muitas outras – habilidades do que realizar um intercâmbio. Não por nada! Mas é que quando uma pessoa se permite viver essa experiência, além do conhecimento geral, proporciona o autoconhecimento

Experienciar uma nova cultura, hábitos e regras que obrigatoriamente tiram qualquer pessoa da sua zona de conforto é uma excelente alternativa de crescer e conhecer a si mesmo. Além de transformar a vida, amplia a visão do mundo. 

As situações e os desafios de um intercâmbio vão facilmente proporcionar o desenvolvimento dessas competências, sem que se perceba!  Todas elas são essenciais para que suas vidas longe dos familiares, e em outro país, realmente aconteça.

Ou seja, é sem dúvida a melhor maneira de conseguir desenvolver as habilidades que líderes esperam. E isso, como dissemos, não é ensinado em sala de aula! E sabe o melhor disso tudo? Todas essas competências exigidas, as soft skills, são essenciais para a vida! Já que essas habilidades lidam diretamente com as relações e interações com os outros. 

Viajar transforma! 

A transformação de quem desfruta a incrível experiência – e aventura – de um intercâmbio é total. Morar sozinho, dividir uma casa ou alojamento com pessoas de diferentes culturas, resolver questões e conflitos, além de aprender outro idioma (habilidade muitíssimo valorizada nos dias de hoje) e longe de casa!

Tem como imaginar o quanto tudo isso traz vantagens, não só para um futuro profissional promissor, mas principalmente para a sua VIDA? Sendo assim, talvez o intercâmbio seja realmente uma excelente opção de o que fazer antes de entrar na faculdade, não é? 

A oportunidade de viver, mesmo que por um curto período, em outro país desafia o jovem a se virar e fortalecer soft skills de negociação, comunicação, relacionamento, flexibilidade, criatividade, responsabilidade e muitas outras. 

Depois de viver um intercâmbio e todas as possibilidades que isso proporciona, com certeza se tornará muito mais fácil definir um curso, uma formação, uma profissão e alcançar uma vida pessoal e profissional de sucesso

O que fazer antes de entrar na faculdade

Leia também: Os três modelos de hospedagem mais comuns no intercâmbio

O que fazer antes de entrar na faculdade? Intercâmbio

Em outras palavras, queremos te mostrar que dizer “viajei e vivi as melhores experiências da minha vida” vale muito mais do que “terminei o terceirão e entrei num curso que eu nem conhecia direito”

É claro que a faculdade é importante. E também é verdade que realizar um intercâmbio pode trazer incertezas. Antes de mais nada, você deve pensar fora da caixa e considerar o que realmente será mais valorizado nesse momento. Não para os outros, para você! 

Viajar faz com que qualquer pessoa amadureça e possa conhecer melhor a si mesmo. 

A grande vantagem é que você pode fazer isso de diversas formas e por períodos de tempos pré definidos de acordo com a sua realidade, necessidade e vontade. 

Caso você sinta vontade de viver algo incrível e que vai ficar marcado em sua vida para sempre, nós temos algumas sugestões para considerar essa possibilidade. 

Afinal, você está pronto para fazer sua própria história? 

Quer saber mais sobre os planos de intercâmbio e começar a viver a melhor experiência – e aprendizado – da sua vida? Converse com um de nossos consultores aqui e conheça mais sobre a TravelMATE.

Fluente

Estudar fora é o caminho para ser fluente?

Postado por: Sirius/ 661 0

Hoje em dia, seja pelo avanço da globalização, por pressão do mundo profissional ou por necessidades pessoais, diversos meios para aprender um novo idioma se aperfeiçoaram e se consolidaram até ocupar um papel importante no dia a dia de inúmeras pessoas.

 

Não há, no entanto, um jeito certo de aprender um novo idioma. O que existe, são meios que facilitam e aceleram imensamente o processo. O meio principal, sem sombra de dúvidas, é por intermédio de uma imersão no idioma, e essa imersão se revela potencialmente relevante quando se vive no país de língua estrangeira por no mínimo 6 meses.

 

A saga rumo à fluência é longa e deve ser vivida passo a passo, dia após dia. Muitas vezes, principalmente no início, é necessário até mesmo estar disposto a superar momentos embaraçosos e situações confusas.

 

Algumas dicas podem ser preciosas e fundamentais para alcançar a fluência mais facilmente. Confira as principais:

 

Evite o seu idioma natal

 

É primordial. Mesmo que você esteja em um país estrangeiro muito longe do Brasil, não é nada difícil encontrar grupos de brasileiros espalhados por cada canto desse mundo. Conviver com brasileiros, por mais cômodo e divertido que pareça ser, não contribui para caminhar em direção à fluência. O ideal, para que a imersão seja realmente completa, é você conviver com a população nativa, conhecer de perto costumes, festas, tradições, culinária e a cultura geral do local. Mesmo errando várias e várias vezes, as  confusões com algumas palavras, às vezes erradas ou fora de contexto, com certeza farão você evoluir constantemente. Além disso, um errinho ou outro sempre é bom pra enturmar e quebrar o gelo.

 

Não tenha pressa

 

Por mais que você tenha certa ânsia e pressa por se ver falando um novo idioma com desenvoltura, tenha calma. Nada acontece do dia para a noite, e é de pouquinho em pouquinho que tudo se torna tão grande no final. Porém, o que pode ser ainda mais relevante do que a vontade em saber falar, é a vontade de não mais errar. O medo do erro, no entanto, pode ser o seu maior vilão nessa caminhada. Mas tenha em mente: se você quer voltar ao Brasil sendo fluente em outra língua, terá de se acostumar a errar. A transição é difícil e você vai sentir muitas vezes quão ruim é a sensação de querer falar algo e não saber se expressar. Algumas tarefas básicas, como escrever um e-mail, falar ao telefone, perguntar algo em voz alta podem, e certamente irão, demorar para acontecer da maneira como agrada você. Mas de novo, tenha paciência. O processo é este.

 

More com nativos

 

Ouvi-los se expressar praticamente o tempo inteiro, naturalmente você vai se acostumando com o modo de falar, as gírias adequadas para cada momento, as expressões, e por fim, vai aprendendo a falar. Dividir casa, apartamento ou um quarto com nativos ajuda, e muito, no processo. Uma hora ou outra, você acaba se soltando e interagindo naturalmente com os seus colegas. Além de tê-los como uma joia na sua trajetória de aprender um novo idioma, existem ainda fatores externos positivos que acabam vindo por influência de seus companheiros, como programas de televisão, rádio e músicas locais.

 

Seguramente, sendo fiel à estas três dicas e entendendo a importância de todas elas, dificilmente você voltará ao Brasil sentindo que poderia ter feito mais para aprender o novo idioma. Alcançar a fluência em um idioma sempre dependerá exclusivamente de você. Se esse é o seu desejo, não espere mais para alcançá-lo. Fale agora mesmo com a Travelmate e dê o primeiro passo em direção ao seu sonho. Intercâmbio é para a vida toda.

 

Translate »