Estudar e trabalhar na Austrália: tudo que você precisa saber

Postado por: TravelMATE Intercâmbio/ 14 0

Se você já pensou alguma vez em estudar e trabalhar na Austrália, não pode deixar de conferir este artigo. Nele, você encontrará as informações mais importantes para que possa colocar esse pensamento em prática! 

Afinal, realizar aquilo que você quer para sua vida, só depende de você, não é mesmo? 

Estudar e trabalhar na Austrália: um sonho de muitos! 

A Austrália sem dúvida alguma é um dos destinos mais procurados por quem pensa em fazer um intercâmbio. E isso acontece pelo fato do país ter muitas coisas a oferecer para quem escolhe viver lá. 

Aliás, quem nunca imaginou poder ver grandes nomes do surf bem de perto em praias paradisíacas e conhecidas mundialmente por suas ondas perfeitas? Convenhamos, só isso já torna o lugar muito atrativo. 

Mas, se você não é do tipo que se importa com surf, saiba que existem muitas outras coisas a serem exploradas no país. Vai dizer que não seria mágico um mergulho em meio aos corais de um mar cristalino? 

A grande verdade é que estudar e trabalhar na Austrália é uma ótima oportunidade! A diversidade cultural, somada à receptividade dos australianos, tornam o local ideal para quem pretende se aventurar mundo afora para aprender ou aprimorar o inglês. Melhor ainda tendo a possibilidade de trabalhar e conseguir juntar uma graninha pra poder se manter e aproveitar todos os benefícios – e muitas belezas naturais – que o país proporciona. 

 

Língua oficial 

 

O idioma falado na Austrália é o inglês. Porém, o sotaque dos australianos costuma ser bem peculiar e pode variar de acordo com a região. O que não significa que não seja fácil de entender. Existem muita gírias e inicialmente pode ser mais complicado saber como usá-las, mas conforme você vai se acostumando, tudo flui naturalmente. 

E esse é um dos grandes diferenciais de aprender um idioma em outro país! Além do suporte das aulas do curso de inglês, é possível vivenciar a cultura local e assim aprender o que não é ensinado em sala de aula. 

 

Economia

Se você pretende estudar e trabalhar na Austrália, é bom saber o mínimo sobre a economia de lá, que é bem diversificada. O país é conhecido como um grande exportador de alimentos e minérios. Contudo, o setor que mais gera empregos na Austrália é o turismo, o que inclusive facilita que o intercambista encontre um emprego, já que há maior demanda para serviços operacionais em locais como bares, hotéis e restaurantes.

A moeda local é o dólar australiano (AUD), que inclusive é a oitava moeda mais utilizada no comércio estrangeiro. 

O salário mínimo é de 19,49 dólares australianos por hora trabalhada, mas algumas funções podem pagar até AU$ 30,00/hora. 

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Departamento de Imigração e Cidadania da Austrália, o custo de vida de um estudante é de aproximadamente AU$1.690,00 mensais. Considerando que geralmente os estudantes recebem mais que o salário mínimo e contando com uma jornada semanal de 20 horas, dá tranquilamente para se manter no país

Clima 

Esse é um dos grandes atrativos para os brasileiros que pretendem estudar e trabalhar na Austrália, já que o clima é bem parecido com o que temos aqui no Brasil. 

Como nós falamos antes, praias australianas são uma ótima pedida para os amantes do surf, sol e águas cristalinas. Mas, mesmo no inverno é possível curtir as maravilhas naturais das cidades australianas. O sol brilha bastante! Por isso até em dias de temperaturas mais  baixas o clima fica muito convidativo para quem adora uma aventura.  

 

Cultura Australiana 

 

Os australianos são muito simpáticos e receptivos e uma das características do povo é o multiculturalismo. Por ter tantas pessoas das mais variadas etnias, é considerado um dos países com a maior diversidade cultural do mundo

A maior parte da população é jovem e os brasileiros se sentem muito à vontade com os australianos. E acredite, esse clima acolhedor facilita muito o processo de adaptação!

Entretanto, não somente de belezas naturais o país é feito! Algumas regiões tem uma vida cultural bem ativa. Existem muito parques temáticos, de diversão, restaurantes, bares, casas noturnas, cassinos. Lá também você poderá encontrar montanhas impressionantes, mergulhar em lindas cachoeiras e ver os famosos cangurus! 

E assim como um bom brasileiro, os australianos valorizam muito os momentos de lazer. Apreciam um bom churrasco, adoram tomar uma cerveja e compartilhar bons momentos. Não precisa nenhum motivo especial para reunir os amigos em casa ou em algum outro lugar.

E como é possível estudar e trabalhar na Austrália? 

Agora que você já sabe o principal sobre o país, vamos ao que interessa: como você pode fazer para estudar e trabalhar na Austrália!

O que não foi dito até agora é que outro ponto de destaque é a qualidade do sistema de ensino do país. Falando em universidade, por exemplo, das 200 melhores no ranking mundial, 7 são australianas. 

E isso reflete na qualidade do ensino como um todo. É possível encontrar excelentes opções de instituições que oferecem um ensino de alta qualidade! Portanto, o intercâmbio que une estudo e trabalho é certamente a melhor maneira de chegar até lá! 

 

Intercâmbio 

O intercâmbio para quem pretende estudar e trabalhar na Austrália deve ser ter uma duração mínima de 14 semanas. Uma das grandes vantagens é a possibilidade de trabalhar, mas para isso, é necessário estar matriculado em um algum curso de inglês, profissionalizante ou superior.

O fato de poder trabalhar enquanto faz o intercâmbio ajuda, inclusive, com que você consiga se manter por mais tempo no país. Além disso, fazendo um bom planejamento é possível guardar dinheiro para viajar para outros lugares, até mesmo para se aventurar por alguns dos locais mágicos do sudeste Asiático!

 

Como obter o visto para estudar e trabalhar na Austrália 

Para entrar no país é necessário fazer a solicitação do visto antes da viagem. O mais indicado é que o visto seja solicitado com um mínimo de 2 meses de antecedência do embarque. Isso porque alguns processos podem demorar mais que do que outros.  

O visto que deve ser aplicado para que se possa estudar e trabalhar na Austrália é o visto de estudante. Soa um pouco estranho, mas é justamente esse o visto que permite trabalhar enquanto estuda. Para isso, é necessário ter mais de 18 anos, estar matriculado em um curso com duração acima de 14 semanas, como já citamos, e então você terá permissão para trabalhar 20h por semana. O consulado normalmente concede 4 semanas extras de férias depois que o curso termina e nesse período a jornada de trabalho pode ser de até 40h semanais

O processo é feito obrigatoriamente online através de um sistema. Nele, você responderá seus dados pessoais, familiares, histórico acadêmico, profissional, detalhes sobre o curso que você pretende realizar no país e, claro, a comprovação financeira de que você consegue se manter lá durante o período do curso. 

 

Confirmation of Enrolment (COE)

 

Antes mesmo de iniciar o processo de aplicação do visto, é necessário estar matriculado e ter realizado o pagamento integral do curso. Com isso, a instituição que você escolher emitirá o COE (Confirmation of Enrolment), muito importante para o processo dar certo. 

 

Genuine Temporary Entrant (GTE)

 

O critério GTE é utilizado para garantir que o estudante realmente se matriculou no curso para aprender, não apenas como porta de entrada para permanência do país. O candidato deve fazer uma carta justificando o  motivo pela qual pretende estudar na austrália e que o objetivo é permanecer no país temporariamente, pelo tempo de duração do curso. 

Seguro saúde e exame médico 

Quem pretende aplicar o visto para estudar e trabalhar na Austrália, precisa ter o seguro saúde obrigatório do governo australiano o Overseas Student Health Cover (OSHC). Assim como o curso, no momento em que o visto for aplicado é necessário comprovar o pagamento. 

Além do seguro saúde, o governo australiano exige exame médico para os intercambistas que pretendem ficar no país por um período superior a seis meses. Se o tempo de permanência for menor, o exame pode, ou não, ser solicitado.  

E você deve estar se perguntando: mas e seu eu quiser ficar mais tempo que o previsto, é possível? 

Sim! Além de ser possível, é o que geralmente acontece. A Austrália e toda a hospitalidade dos australianos encantam a qualquer um. Então é bem provável que você queira ficar ainda mais tempo por lá. Aliás, o próprio consulado já identificou que 70% dos intercambistas brasileiros não retornam no tempo previsto. 

 

Quais opções de cidades para estudar e trabalhar na Austrália

Uma das características do país é a sua versatilidade em atender bem a diferentes perfis de intercambistas que pretendem estudar e trabalhar na Austrália. Por isso, não vai ser difícil encontrar um lugar que esteja mais de acordo com seu estilo de vida. 

 

Os principais destinos são: 

 

Brisbane

 

Estudar e trabalhar na Austrália

Brisbane é a única capital subtropical da Austrália, com isso, seus dias são ensolarados e as noites são refrescantes. A cidade tem como apelido ‘Cidade do Sol’.

Ou seja, é a escolha certa para quem não curte muitos dias de chuva, já que são, em média, 300 dias de sol ao ano! Dessa forma, para quem gosta de aproveitar a vida ao ar livre, dificilmente a chuva irá atrapalhar o programa. Por lá há muitos festivais e apresentações em locais públicos e privados.

 

Melbourne

Estudar e trabalhar na Austrália

Melbourne é a segunda cidade mais populosa do país. Diferente de Brisbane, Melbourne é um local mais frio e no inverno costuma chover bastante. Mas não se preocupe! As chuvas costumam ser tão rápidas que em muitos casos nem dá tempo de desmarcar o programa. 

A cidade é um importante centro internacional de artes cênicas e visuais. E não por menos é considerada a capital cultural da Austrália.  

Seja para morar, estudar ou trabalhar, Melbourne possui a combinação perfeita de uma cidade urbana, moderna e com lindas praias. 

 

Gold Coast

 

Estudar e trabalhar na Austrália

A “Costa Dourada” é o destino ideal para os amantes do das ondas. Inclusive a primeira etapa do Circuito Mundial de Surf acontece por lá. Não precisa nem dizer o quanto esse evento movimenta a cidade, não é? 

Além das belezas naturais e da presença de animais nativos como wallabies (pequenos cangurus), koalas e  iguanas, a vida noturna é bem agitada! Por lá você encontra muitos pubs, baladas e festas que começam ao entardecer. Então, se você tem alma jovem, Gold Coast é o seu destino! 

Em relação a economia, é a cidade que mais se desenvolveu em 2019. Se você é da área de marketing, fotografia ou design, é bom saber que existe uma alta demanda desses profissionais lá!  

 

Perth

Estudar e trabalhar na Austrália

 

Perth é conhecida por ser uma cidade muito organizada! Em todos os bairros existe um centrinho comercial com os mais diversos serviços: restaurantes, cabeleireiros, cafés… 

É uma cidade mais diurna e o estilo de vida é muito tranquilo. Você conseguirá perceber que o easy-going style é bem presente na cidade. Inclusive é super comum ver os nativos andando descalços pelos mais variados lugares. 

Durante o inverno apresenta chuvas frequentes. Mas caso sua ideia seja fugir um pouco dos conterrâneos, pode ser uma boa opção. Já que comparada aos outros locais tem menos brasileiros

 

Sidney

Sidney

Diferente do que a maioria pensa, Sidney não é a capital da Austrália! A capital australiana é Camberra. 

Porém sem dúvidas é a cidade australiana mais multicultural. Para quem gosta de opções, lá é possível encontrar diversos lugares legais pra visitar, baladas para curtir e diversas lojas para fazer umas comprinhas. Mesmo assim, não perde a tranquilidade da natureza, já que existem mais de 70 praias com águas cristalinas.

 

Como encontrar um emprego na Austrália

 

Nós sempre dissemos que a Austrália, em relação ao mercado de trabalho, é o destino ideal para pessoas proativas e que não têm vergonha de ir atrás de um emprego.

Imprimir um currículo e bater de porta em porta ainda é a maneira mais eficiente para conseguir um emprego. É claro que com a facilidade da internet essa busca pode ser feita online. Mas a dica é encontrar as oportunidades e, sempre que possível, tentar ir pessoalmente se oferecer para a vaga. 

Até porque é muito comum que os contratantes peçam para que o candidato faça um trial. Então, além de ir atrás da oportunidade é importante já estar preparado, caso surja essa possibilidade. 

Em relação ao trabalho na Austrália, um dos atrativos é o salário mínimo, que em 2020 é de 19,49 dólares australianos por hora. Apenas para ter noção, no Brasil o valor da hora trabalhada é de R$ 4,54. Bem diferente, não é mesmo?

Porém, antes de sair em busca de uma oportunidade você deverá emitir o seu Tax file Number, que equivale ao CPF aqui no Brasil, e será solicitado pelo empregador. Ele é importante para que o contratante possa descontar o imposto do seu salário e pagar sua Superannuation, que é como o fundo de garantia.

A solicitação é feita online, leva cerca de 20 minutos e não tem custos.  

 

Principais vagas de emprego para intercambistas 

 

Uma das coisas que costumamos dizer aqui na TravelMate, é que o intercambista é quem faz o intercâmbio! E se desafiar é uma das principais maneiras de crescer, tanto pessoalmente quanto profissionalmente! 

Desse modo, é importante estar disposto a sair da zona de conforto e experimentar funções que talvez você nunca tivesse imaginado fazer! 

Se você não tem muito domínio da língua, inicialmente irá trabalhar em atividades que não exijam muita comunicação. Auxiliar na cozinha de um restaurante, trabalhar com limpeza, ser ajudante de construção, trabalhar com jardinagem… Essa última, por sua vez, dentre as citadas, é a função com melhor remuneração podendo chegar a 30 dólares australianos por hora. 

Conforme você for ficando mais familiarizado com o idioma poderá realizar atividades de maior contato com o público, o que é ótimo para colocar em prática o que está sendo ensinado em sala de aula. 

Para aqueles que pretendem trabalhar em uma área específica é essencial focar muito no aprendizado do idioma! 

 

As formas de remuneração podem ser: 

 

Part- time 

É como um emprego fixo que você trabalha às 20 horas semanais permitidas. Esse tipo de trabalho oferece os mesmos direitos que um trabalho em tempo integral, como férias e afastamento em caso de doença. O pagamento geralmente é feito quinzenalmente (ou a cada 40h de trabalho) e sempre via depósito na conta do estudante. É importante saber que desse pagamento já será descontado o imposto referente ao salário.  

 

Casual 

Normalmente acontece quando o trabalho é em eventos, bares e não acontece todos os dias, sendo normalmente mais comum aos finais de semana. 

Em alguns casos é possível trabalhar as 20 horas dessa forma, mas quem não consegue, geralmente tem um segundo emprego para completar a jornada. 

Nesse caso, o valor é pago via depósito em conta, já descontando o imposto, ou em cash hand.

 

Cash Hand

Nesse tipo de remuneração, a pessoa recebe o pagamento em dinheiro assim que conclui o serviço ou semanalmente. É o tipo de remuneração mais comum oferecida pelos empregadores. 

 

Programas disponíveis para estudar e trabalhar na Austrália 

 

Com tudo o que dissemos até agora, a maior certeza é que quem faz intercâmbio traz na bagagem competências e conhecimentos que vão muito além do aprendizado de outro idioma. 

Inclusive, todas as habilidades conquistadas, como independência, segurança e capacidade de se adaptar a diferentes situações, serão muito importantes quando você retornar. Qualquer desafio começa a ser encarado com muito mais confiança e tranquilidade. Sejam eles quais forem! 

O Study&Work é o programa destinado para quem pretende estudar e trabalhar na Austrália. Ele é destinado justamente para quem pretende aprender ou aperfeiçoar o idioma e ainda poder trabalhar em outro país. 

Nós sabemos que existem muitos detalhes a serem observados para que tudo dê certo no projeto de intercâmbio, mas não se preocupe! Nosso papel é justamente auxiliar para que todo o processo ocorra conforme deve ser! Para embarcar na maior vivência de sua vida solicite mais informações para nossos consultores através do WhatsApp.  

5 paraísos espanhóis que você precisa conhecer

Além de Madrid e Barcelona: 5 paraísos espanhóis que você precisa conhecer

Postado por: Sirius/ 598 0

Além de Madrid e Barcelona: 5 paraísos espanhóis que você precisa conhecer

 

Um dos destinos turísticos mais belos e visitados do mundo, uma cultura riquíssima e um povo de personalidade forte. Assim é composto o trio que pode representar genericamente o que é a Espanha aos olhos do mundo. Quando se fala em Espanha, provavelmente o que virá em seu pensamento serão as duas cidades mais populares e emblemáticas do país, seja pela sua importância, história, beleza ou representatividade: tendemos a visualizar as gigantes Madrid e Barcelona.

Porém, e aqui não contaremos nenhuma novidade, a Espanha vai muito, mas muito além disso. Não seria ousadia dizer que o país detém praias, por exemplo, que não perdem para nenhuma outra no mundo, e em todos os quesitos comparativos.

E para comprovar, listaremos 5 grandes paraísos espanhóis que merecem tanta fama quanto qualquer outro canto da linda terra espanhola.

Praia de Gulpiyuri, Astúrias

Além de linda, a praia de Gulpiyuri detém um título relevante: ela é considerada a menor praia do mundo. Nada exagerado, já que a orla possui apenas 50 metros de extensão. No entanto, um detalhe a deixa ainda mais especial: a praia de Gulpiyuri só pode ser acessada por corajosos aventureiros, já que carros não tem acesso ao local. O local é tido como Monumento Natural do país e protegida pelo governo espanhol. Com toda a certeza, Gulpiyuri fará você se sentir em uma ilha deserta, em plena Espanha.

 

Praia de Covachos

Localizada perto de Santander, precisamente na cidade de Soto de la Marina, a praia de Covachos possui, além de uma beleza impressionante, uma característica curiosa. Ela se encontra dividida, de forma natural, por uma grande formação rochosa. Tal rocha, é a responsável por criar um efeito de que a praia possui dois mares que estão cortados por uma fina faixa de areia. Se um dia você for a Covachos, só tenha em conta um detalhe: a praia é um tanto quanto “naturalista” e nem todo mundo estará utilizando trajes de banho. Se isto não for um problema, aproveite a visita à praia para conhecer a linda cidade de Santander e suas preciosidades, como a Catedral e o Mirante Cabo Mayor.

 

 

 

Hayedo de Otzarreta

Se você confundir a paisagem de Hayedo de Otzarreta com uma pintura, não se sinta só. Também não é uma miragem, se você estiver visitando o local no outono, quando costuma ser chamado de “bosque encantado”. Pelo seu valor paisagístico e natural, o bosque faz parte do espaço protegido do Parque Natural de Gorbeia.

Photo: Edu Martín
Photo: Edu Martín

Ilhas Cíes, Galícia

A região conhecida por Islas Cies, em espanhol, faz jus à fama. O paraíso espanhol, que fica, na verdade bem pertinho de Portugal, detém alguns apelidos que nos fazem desconfiar de que estamos realmente perdendo algo grandioso. Conhecida como “Caribe espanhol”, “ilha dos deuses” ou chamada de “o paraíso secreto”, as Ilhas Cies foi um dia descrita pelo popular The Guardian como a praia mais bonita do mundo. Mais precisamente, o arquipélago é composto por 3 ilhas: Monte Agudo, O Faro e San Martiño. Em resumo: um paraíso, de águas cristalinas e areias brancas. Nada mais importa.

Ilhas Cies

 

Enseada Pregonda, Menorca

É claro que Menorca não poderia ficar de fora dessa lista de paraísos espanhóis. Depois de uma longa, mas pra lá de recompensadora caminhada, você chegará à tão desejada praia de areia avermelhada e águas cristalinas. E aproveitando que você estará em Menorca, dê um pulo nas praias Macarella e Macarelleta (preciosíssimas como diriam os espanhóis) e não deixe de passar na região vizinha, Mallorca, para conhecer a ilha e a charmosa Palma de Mallorca, que também abriga uma praia mais linda que a outra.

Enseada Pregonda Menorca

 

Deu vontade de embarcar amanhã pra esses paraísos espanhóis? Você pode contar com a Travelmate para te auxiliar tanto em uma viagem a turismo quanto para te acompanhar em um passo maior, como um intercâmbio. Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

 

Escócia Intercâmbio

Escócia: um intercâmbio dos sonhos

Postado por: Sirius/ 668 0
Mesmo um pouco longe dos holofotes quando o assunto é intercâmbio, a Escócia figura entre os mais belos países do mundo na lista de quem tem o privilégio de visitá-la alguma vez.

 

Mesmo fazendo parte do Reino Unido, a Escócia possui singelas particulares que a diferem do restante de países mais visados entre futuros intercambistas como Inglaterra e Irlanda do Norte. Um país idílico, com inúmeras cidades prá lá de históricas, românticas, rodeadas por lagos, montanhas, castelos e mais castelos, excelentes whiskys e ainda, com um povo que anda pra lá e pra cá exibindo a exótica cultura “kilt”. Sabe aquela saia xadrez masculina, geralmente usada em ocasiões formais, bastante incomum aos nossos olhos de habitantes de terras brasileiras? Estas saias são conhecidas como “kilt”.

 

A lindíssima Edimburgo, capital do país, é conhecida como um dos maiores centros financeiros da Europa e está entre as três cidades mais visitadas do Reino Unido. Não é pra menos: a cidade, como a Escócia em geral, é um verdadeiro reduto de história, conhecimento, beleza e sofisticação. Edimburgo, em meio as suas alamedas arborizadas e edificações históricas, elegantes e impressionantemente belas, é marcada por uma veia cultural bastante intensa. A cidade é repleta de teatros, arenas, salões de exposições e grandes museus, oferecendo tudo o que um verdadeiro amante de artes desejaria conhecer algum dia. Sem falar ainda, em seus castelos e palácios históricos que são verdadeiras obras de arte a céu aberto.

 

Para os fãs de história e também de seriados, a série Outlander, que conta a história de Claire Beachaump e sua história de (re)encontros com sua alma gêmea, Frank.  O seriado é gravado na Escócia e retrata o país nos anos 1.745 e 1.945. Interessante, não?

 

No mês de agosto, a exemplo dessa veia cultural, a cidade recebe o dobro de pessoas em comparação ao número habitual, a fim de visitar as famosas apresentações de teatro, música erudita, ópera e balé do Festival Internacional, que também acontece para escritores, com o nome de International Book Festival, além do Fringe e do Jazz Festival. É cultura e entretenimento que não acaba mais.

 

O Palácio de Holyroodhouse é residência oficial da rainha da Escócia e merece uma, duas, três ou quantas visitas forem necessárias para apreciar a magnífica arquitetura e impressionante decoração barroca do interior. Ainda dentro dos limites do Palácio, está a Abadia Agustina de Holyrood, construída no século XII, e embora esteja em ruínas, segue sendo um lugar romântico e misterioso.

 

Outros pontos interessantes que estão próximos ao Palácio, é o Parlamento Escocês, o Museu de Edimburgo, o People’s Story Museum e o Calton Hill, que é uma colina onde estão localizados diversos monumentos que fazem com que a cidade receba o título de “Atenas do Norte”. O “Monumento Nacional” por exemplo, é um monumento composto por 12 colunas criado para homenagear as vítimas nas Guerras Napoleônicas, mas nunca foi finalizado.

 

Outro distrito bastante próximo à capital que merece ser visitado com calma durante a estadia, é Leith. A região era conhecida pela construção de navios, produção de whisky, lustres, cristais entre outros.

 

A Escócia, por fim, é um país onde a natureza e sofisticação de sua arquitetura dão um show à parte. A tranquilidade reina e a variedade de montanhas é um convite tanto para aqueles que querem relaxar em meio à natureza quanto para os que curtem esportes de aventura. Trilhas, mountain bike, canoagem e rafting são os mais praticados no litoral e interior do país.

 

A culinária do país é baseada em carnes e batatas, e semelhantemente com o que ocorre na Inglaterra, os escoceses também tem o hábito de recorrer à fritura para incrementar o sabor de seus pratos.

 

Além de Edimburgo, capital da Escócia, as cidades mais populares para visita, e com razão, são: Glasgow, Dundee, Angus e Fife. A moeda do país é a libra esterlina, e os idiomas oficiais são o inglês e o gaélico escocês.

 

Fale com a Travelmate para conhecer as melhores opções de intercâmbio para a Escócia e partir para uma etapa memorável na sua vida. Clique aqui e fale com um de nossos consultores.

Dicas para se adaptar melhor no intercâmbio High School

Dicas para se adaptar melhor no intercâmbio High School

Postado por: Sirius/ 770 0
Dicas para se adaptar melhor no intercâmbio High School

Por mais empolgante que seja a ideia de sair de casa rumo a novas experiências em um país, cultura e língua diferentes, haverá o choque cultural e a necessidade do período de adaptação. Dito período depende de muitos fatores, não tem prazo definido para durar e varia de pessoa para pessoa. A decisão de deixar a família, casa, amigos e escola para viver um tempo no exterior diante de novidades por todos os lados, costuma dar um frio na barriga e gerar ansiedade.

 

Por isso, a decisão de fazer intercâmbio no Ensino Médio, período considerado cedo se compararmos com a maioria dos intercâmbios que ocorrem já na fase adulta, precisa ser uma escolha principalmente de quem está indo viajar. É o futuro intercambista que irá se confrontar com o novo ambiente, os novos colegas, a outra família, a outra casa, outros hábitos, outra língua, outra comida, outro clima e por aí vai. No entanto, a contrapartida é um amadurecimento, autoconhecimento e enriquecimento pessoal que dificilmente se obterá de outra forma que não esta. Os ganhos pessoais, acadêmicos e até mesmo profissionais de um intercâmbio são únicos. É um crescimento que se construirá aos poucos, dia após dia, e que inegavelmente, o acompanhará para o resto da vida.

 

Para isso, há de se passar por um caminho difícil e um pouco tortuoso, até alcançar a tão desejada adaptação. O lado bom dos percalços do início, é que eles serão bem vindos pois só possuem uma finalidade por trás: fazer crescer.

Para que o seu período de adaptação seja o mais brando possível, abaixo estão listadas 5 dicas para se ter em mente enquanto estiver no seu intercâmbio High School.

 

  1. Mantenha sempre a mente aberta

Você vai precisar conviver e respeitar diferentes culturas, diferentes hábitos e diferentes pessoas, deixando pra trás o que estava acostumado a vivenciar. interagir com as diferenças só vai fazer você crescer cada vez mais.

 

  1. Fuja das comparações

Lembre-se que você está vivendo uma nova fase. Já não é mais a mesma casa, a mesma escola, a mesma comida, os mesmos amigos nem sequer é o mesmo país. Por isso, como dissemos anteriormente, mantenha não só a mente aberta mas também o seu coração aberto para acolher novos amigos, novas experiências e assim tirar o melhor que eles podem dar.

 

  1. Não tenha medo de falar

Isso vale tanto para se expressar na nova língua, como para perguntar sempre que tiver dúvidas. Não tenha medo de falar. Guardar dúvidas pra si ou ter medo de errar uma coisa ou outra no idioma, vai retardar o seu aprendizado e a sua adaptação.

 

  1. Aproveite ao máximo o que a escola oferece

A maioria das  escolas no exterior oferecem uma lista de inúmeras atividades culturais, esportivas e para lazer que com certeza irão enriquecer a sua experiência e melhorar a vivência com novos colegas. Aproveite!

 

Gostou das dicas? Para  realizar o sonho de fazer intercâmbio High School entre em contato com a Travelmate e boa viagem!

apps

5 apps indispensáveis para a sua viagem

Postado por: Tatiana Serbena/ 962 1

Aproveitando que os celulares viraram há muito tempo itens indispensáveis que nos acompanham para todos os lados, em uma viagem eles podem se revelar ainda mais úteis e imprescindíveis.

Há diversos apps gratuitos que ajudam você nas mais diversas circunstâncias, seja antes, durante ou após a sua viagem. Confira abaixo os 10 melhores apps de viagem que merecem o espaço que ocupam na memória do seu celular.

  1. LiveTrekker

Caminhar como se não houvesse amanhã faz parte de qualquer viagem com a intenção de explorar, conhecer e aproveitar o máximo que cada lugar pode te dar. O LiveTrakker mapeia e registra cada passo em sua trajetória de viagem. O app é capaz de criar um diário digital do seu dia a dia lá fora, para que em outro momento, você possa localizá-lo em um mapa interativo. A medida que você caminha por aí, o app acompanha o seu trajeto e traça uma linha vermelha no mapa. Além do caminho que você percorreu, o app também monitora a sua velocidade, altitude e permite que você adicione fotos, vídeos e áudios durante sua jornada. Um verdadeiro diário de viagens digital!

 

  1. Urbanspoon

O Urbanspoon é aquele amigo nativo que conhece a cidade como ninguém e acaba revelando os restaurantes mais conhecidos como tesouros escondidos na cidade em que você está. Em vez de perder muito tempo procurando um lugar legal e bem avaliado, deixe que o app te indique qual é a melhor opção de acordo com os seus critérios, como bairro, tipo de gastronomia e limite de preço. No entanto, o app por enquanto, está disponível apenas nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Reino Unido e Irlanda. Caso você tenha sorte, no momento em que pegar essas dicas o Urbanspoon já vai ter chegado aonde você está.

 

  1. TourWrist

Disponível gratuitamente para Ipad´s e Iphone´s, o TourWrist é mais um dos milhares de aplicativos relacionados a fotografias que existem. Porém, com um ponto forte. O app permite que você crie fotos panorâmicas de 360 graus para chegar mais perto de revelar, mesmo que por foto estática, um pouco da sensação e amplitude do lugar em que você se encontra. Além disso, você pode compartilhá-las imediatamente.

 

  1. Foursquare

Conhecido como o “Facebook das viagens” o Foursquare é uma rede social de usuários que compartilham informações sobre lugares que visitam. O ponto forte do app é proporcionar a descoberta de novos lugares de atração baseado nas recomendações de amigos da rede social, ou seja, tudo se torna mais confiável. Quando você visita um lugar avaliado pelo Foursquare e faz o check-in, você ganha pontos. O sucesso foi tanto, que alguns estabelecimentos, como bares e restaurantes, entraram para a comunidade do Foursquare e oferecem descontos e promoções frequentemente.

 

  1. Me

Caça ao Wi-Fi é uma sina na viagem de qualquer um, não adianta. Porém, mesmo que o Maps.Me não te garanta a internet o tempo todo e em qualquer lugar, uma coisa é certa: você não vai se perder. O Maps.Me é um app de mapas offline. Tudo o que você precisa fazer é fazer o download de todos os mapas que vai precisar antes de ficar sem internet. Uma vez baixados e guardados no app, você pode abrir e se aventurar por todos os lados e a qualquer momento. Disponível para Android e IOS.

 

Animado para a sua próxima viagem? Fale com a Travelmate e conheça nossos pacotes! Já baixou esses apps?

3 decisões importantes antes de morar no exterior

Postado por: Tatiana Serbena/ 1120 0

Desde a intenção até efetivamente aterrissar no país estrangeiro, o até então aspirante a intercambista precisa encarar um processo trabalhoso e exigente, não se pode negar. Caso você não se organize bem, todo esse período prévio pode se tornar um fator prejudicial ao seu dia a dia, visto que há inúmeras decisões a serem tomadas e pontos que demandam organização e responsabilidade.

Afinal, você precisa escolher o seu lugar de destino, estar certo da Universidade ou da escola que for fazer o curso, da forma de acomodação, organizar toda a documentação, fazer exames e se preparar para partir.

3 decisões importantes antes de morar no exterior

O auxílio de uma agência de intercâmbio com a expertise da Travelmate é essencial para fazer você passar por essa etapa da maneira mais leve e simples possível, pois afinal, esse esforço conjunto é extremamente recompensador.

No entanto, para fazer esse projeto de vida dar certo, você precisa estar empenhado e disposto para colocar em prática os passos descritos a seguir.

morar no exterior
Morar no exterior
  1. Qual é o seu projeto?

 

Esse, na verdade, é o primeiro questionamento que você deve fazer a si mesmo caso você tenha o sonho de realizar um intercâmbio. Portanto, reflita e pondere o que gostaria de estudar ou trabalhar no exterior, pois é o estudo ou o trabalho que ocuparão a maior parte do seu tempo lá fora. Além do mais, ficará marcado e registrado para o resto da sua vida o curso que você fez ou o trabalho que realizou, e é bastante importante que você goste e se orgulhe dele. A sua ocupação lá fora deixará algum legado, e está nas suas mãos transformá-lo em um legado positivo e memorável.

 

  1. Que idioma você gostaria de praticar?

 

O fator idioma é muito relevante para qualquer intercâmbio. Geralmente, quem está prestes a morar no exterior possui um conhecimento prévio da língua oficial do país de destino, o que é extremamente recomendável. Muitas escolas exigem uma comprovação de domínio em diferentes níveis, mas quanto mais você souber se virar, mais rápido pode tornar a ser o seu aprendizado. O idioma, possivelmente, seja o campo de aprendizado que se desenvolve mais naturalmente. Por questões de necessidade e não somente dedicação de estudo, você acaba aprendendo e falando naturalmente, simplesmente pelo convívio e contato diário. Eis um dos maiores legados de um intercâmbio.

 

  1. Organize-se financeiramente

 

Morar fora exige diversos campos de planejamento. Um dos mais importantes, é o planejamento financeiro. O modelo de hospedagem e o valor do curso são os dois fatores que concentram as maiores despesas do seu intercâmbio, mas você realiza o pagamento desses itens antes de sair do Brasil. Portanto, é importante pensar não só nos gastos prévios a viagem, mas também os extras que serão realizados durante seu intercâmbio. Gastos excessivos costumam se concentrar na sua chegada. É neste período que você realiza compra de itens para a viagem, como aparelhos eletrônicos, itens essenciais para casa e estudo, e ainda se empolga com aparelhos eletrônicos, roupas, livros, restaurantes e tudo que possa atrair a sua atenção. Portanto, tome cuidado e leve em consideração para não sair por aí torrando um dinheiro que você vai precisar mais tarde. Considere ter uma quantia guardada para alguma emergência. Porém, um orçamento apertado não deve ser um fator limitante, pois existem diversas formas alternativas que podem viabilizar a sua viagem e você pode contar com uma agência de intercâmbio para te auxiliar na melhor escolha.

 

Uma vez ciente de que esses questionamentos são fundamentais para morar no exterior, você está mais preparado para embasar suas decisões e partir rumo ao momento mais marcante da sua vida. Conte com a Travelmate e embarque nessa!

Translate »