InterCâmbio, Desligo. | Episódio 2: Estados Unidos

Postado por: Sirius/ 831 0

O 2º episódio da nossa série InterCâmbio, Desligo! tira as dúvidas sobre o intercâmbio nos Estados Unidos. Nele você vai saber detalhes sobre cultura, povo, visto e programas.

Conversamos com Mauricio Buerger, diretor de marketing da Travelmate, e contamos tudo o que você precisa saber antes da sua viagem para os EUA.

Acompanhe!

Passaportes mais poderosos do mundo: eles existem!

Postado por: Sirius/ 930 0

Sabe aquela história de que um passaporte pode ser “melhor” que o outro? Na verdade, não podemos dizer que um é melhor ou pior, mas já é possível saber qual é o mais poderoso. Segundo o estudo desenvolvido pelo Henley Passport Index, e feito periodicamente, Japão e Cingapura estão no topo da lista e têm os passaportes mais poderosos do mundo. O documento japonês e o cingapuriano são aceitos em 189 países sem a necessidade de visto.

O “poder” de cada passaporte é medido de acordo com o número de países em que o titular pode viajar sem a necessidade de visto ou pode conseguir permissão de entrada ao desembarcar no país visitado. O levantamento de passaportes mais poderosos da Henley & Partners é feito com base em dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo.

Em segundo lugar na lista dos passaportes mais poderosos está a Finlândia, Alemanha e Coreia do Sul, que permitem aos seus cidadãos entrarem em 187 países sem a necessidade visto. As cidades são seguidas da Dinamarca, Itália e Luxemburgo, que possibilitam a entrada em 186 países. 

Já o Brasil aparece em 18º lugar no ranking dos passaportes mais poderosos, permitindo aos brasileiros entrarem em 169 nações. O passaporte brasileiro caiu duas posições. A queda ocorreu devido a necessidade dos brasileiros precisarem de um visto eletrônico para entrar na Nova Zelândia

Veja quais são os passaportes mais poderosos do mundo:

1 – Japão e Cingapura

2 – Finlândia, Alemanha e Coreia do Sul

3 – Dinamarca, Itália e Luxemburgo

4 – França, Espanha e Suécia

5 – Áustria, Portugal, Holanda e Suíça

6 – Bélgica, Canadá, Grécia, Irlanda, Dinamarca, Reino Unido e EUA

7 – Malta

8 – República Tcheca

9 – Islândia, Nova Zelândia, Austrália e Lituânia

10 – Letônia, Eslovênia e Eslováquia

18 – Brasil

Por que os passaportes têm cores diferentes?

 

Essa também é uma dúvida recorrente de quem viaja. Você sabia que as cores do passaporte tem uma ligação com a identidade nacional do país e também pode refletir as características da origem de cada nação? Existem apenas quatro cores de passaporte primárias no mundo, e cada país tem suas próprias razões para escolher uma destas cores para a capa.

Os passaportes vermelhos, por exemplo, estão entre os mais comuns e têm uma conotação política forte, já que a cor é usada normalmente por países que tiveram um histórico de sistema comunista. 

A capa azul é a mais utilizada na maioria dos países do continente americano. Ela está ligada ao conceito de “novo mundo”. Países como o Canadá, Brasil, Argentina e Uruguai utilizam o passaporte azul. Em 1976, os Estados Unidos também adotaram a coloração azul.

Já o passaporte de capa verde é comum entre os países muçulmanos, como Marrocos, Arábia Saudita e Paquistão. Acredita-se que a cor verde era a favorita do profeta Maomé, além de simbolizar a natureza a vida. Algumas variações na tonalidade do verde também são usadas pelos membros da CEDEAO (Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental), representando a relação política-econômica entre os países.

E o preto é o passaporte mais raro. Os documentos com essa cor podem ser encontrados entre cidadãos de alguns países africanos como Botswana, Zâmbia, Burundi, Gabão, Angola, entre outros. A Nova Zelândia também optou pela cor preta por ser a cor oficial do país.

10 motivos para estudar fora

Postado por: Tatiana Serbena/ 1548 0
Há mil e um motivos para você fazer intercâmbio e estudar fora.

Existem aqueles motivos que são mais explícitos e diretos, como aprender (geralmente de forma fluente) um novo idioma, pois a prática acontece a todo instante. Por outro lado, existem alguns outros motivos que geram mudanças mais implícitas, que provavelmente surtirão efeitos que apenas você os conheça. Pode ser que você os perceba enquanto ainda vive por lá, ou só os sinta quando você estiver de volta ao seu país de origem. São mudanças não palpáveis e diretas que trabalharão o seu lado mais humano, de amadurecimento pra lidar com os desafios, flexibilidade pra aceitar encará-los e tolerância para conviver com as diferenças.

 

10 motivos para estudar fora

 

Os atrativos e ganhos de estudar fora não param por aí, confira os 15 motivos principais e benefícios que essa escolha pode trazer na sua vida:

 

  1. Experiência de vida em um outro país

Viver como um cidadão em um país estrangeiro é completamente diferente de passar um tempo no exterior como turista. Você só sentirá isso, vivendo.

 

  1. Conhecer e aprender novas culturas e idiomas

Aprender uma nova língua é um dos principais motivos que impulsionam a escolha por um intercâmbio. Mas tão bom quanto, é aprender, conviver e mergulhar em uma nova cultura. É enriquecedor.

 

  1. Conviver com a diversidade faz crescer

É bom para a criatividade e para o seu desenvolvimento pessoal, pois a diversidade estimula novos pensamentos, novas opiniões e novos conhecimentos.

 

  1. A intensidade de um intercâmbio proporciona fazer amigos para a vida toda

A intensidade com que tudo acontece durante um intercâmbio acaba servindo principalmente para os seus relacionamentos. As pessoas que passam pelo seu caminho durante essa trajetória irão definitivamente marcar a sua vida.

 

  1. Descobrir e experimentar uma explosão de sabores com comidas típicas que você não está acostumado a experimentar

Nada como experimentar comidas típicas que tem a sua melhor versão no seu lugar de origem.

 

  1. Estudar e aprender de uma forma diferente e com um novo olhar

Os benefícios e legados de conviver com a diversidade entram em cena novamente para desenvolver a sua maneira de estudar e viver a vida.

 

  1. Ganhar independência

Por mais que você faça um milhão de amigos, a essência de estudar fora é encarar tudo o que vem pela frente, sozinho. É assim que vai resolver a maioria dos seus problemas: sozinho, e cada vez mais confiante.

 

  1. Desenvolver o autoconhecimento e autossuficiência

Os momentos que você passa a sós com você mesmo e as dificuldades que te fazem crescer, consequentemente vão te aproximar de você mesmo e farão você se conhecer cada vez mais.

 

  1. A possibilidade de se tornar mais aventureiro e espontâneo é muito grande

Geralmente em um intercâmbio somos mais soltos e mergulhamos de forma intensa nos momentos que sabemos que serão marcantes. Você tem tudo para desenvolver o seu lado aventureiro.

 

  1. Aprender a apreciar as pequenas coisas

A sua casa de repente se torna o lugar mais seguro do mundo e sua família, o seu porto seguro. Toda essa experiência nova, intensa e fascinante, de alguma forma faz você entender o quanto pequenos momentos com eles e pequenas atitudes de amor fazem toda diferença.

 

Para seguir esse sonho de fazer intercâmbio e estudar fora, entre em contato com a Travelmate. Se redescubra!

Translate »